DEU NO BLOG O ATAGONISTA

PT hemorrágico

Há meses, o senador baiano Walter Pinheiro ensaia sair do PT.

Depois da prisão de Delcídio Amaral, parece que a coisa vai.

As bancadas federais do PT estão para sofrer uma grande hemorragia.

BOA TARDE!!!

nov
27
Posted on 27-11-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 27-11-2015


Edson Ribeiro:de Miami para a cadeia

DO CORREIO BRAZILIENSE

Eduardo Militão

O advogado do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró foi preso na manhã desta terça-feira (27/11), no Rio de Janeiro. Edson Ribeiro havia acabado de chegar de um voo de Miami, no Aeroporto Tom Jobim, na Zona Norte. O defensor estava sendo monitorado nos Estados Unidos, mas não foi detido lá por conta de um acordo entre a Polícia Federal e a agência americana de imigração (ICE), que permitiu o embarque para que ele fosse preso no Brasil.

Nessa quinta-feira (26/11), o ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava-Jato no STF, autorizou a inclusão do nome do advogado Edson Ribeiro, que foi defensor de Cerveró, na difusão vermelha da Interpol.

Ele é investigado na operação que prendeu também o senador Delcídio do Amaral (PT-MS), o banqueiro André Esteves, dono do Banco BTG Pactual, e o chefe de gabinete do senador, Diogo Ferreira.

De acordo com pedido de prisão da Procuradoria-Geral da República (PGR), encaminhado ao STF, Edson Ribeiro participou das negociações em que o senador Delcídio do Amaral tentou impedir que Cerveró firmasse um acordo de colaboração com o Ministério Público Federal, no âmbito da Operação Lava Jato.

Em um dos encontros – gravado pelo filho de Nestor Cerveró, Bernardo Cerveró, em um hotel em Brasília – o senador prometeu pagar R$ 50 mil mensais à família do ex-diretor para não ocorrer a delação premiada.

DEU NO BLOG POR ESCRITO ( DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Michel Temer é o maior envolvido por Delcídio

Não está sendo convenientemente analisado trecho da conversa grampeada do senador Delcídio Amaral que levou a sua prisão, decretada pelo Supremo Tribunal Federal e ratificada pelo Senado.

É quando o senador, numa referência direta ao vice-presidente da República, Michel Temer, confidencia que contava com seu apoio, inclusive junto a ministros do STF, porque “o Michel está muito preocupado com o Zelada”.

Fala-se de Jorge Zelada, sucessor de Nestor Cerveró na diretoria internacional da Petrobras, preso na Operação Lava-Jato sob a acusação de lavagem de dinheiro, corrupção e evasão de divisas.

Em nome dele foi descoberta conta secreta na Suíça com 12 milhões de euros. Sua agenda indica 15 encontros com o operador de propinas do PMDB, João Henriques, outro preso.

Um só negócio, a contratação do navio-sonda Titanium Explorer pela Petrobras, em 2009, rendeu o suborno de 31 milhões de dólares, dos quais 10 milhões foram destinados ao partido.

Assessoria diz que nada tem a temer

É inevitável que, um dia, afinal, se faça esse elementar trocadilho com o nome do vice-presidente Michel Temer, que, embora outras acusações tenha sofrido na vida, jamais enfrentou um situação em que sua honra estivesse, de fato, em xeque.

Não é preciso provas para que, pelo menos do ponto de vista político, levantem-se dúvidas sobre Temer. O senador Delcídio não forjaria em dados falsos um diálogo que o levou à cadeia apenas para comprometer o vice-presidente.

As palavras que pronunciou têm força de pura verdade. Temer deve estar “preocupado” com o que Zelada possa dizer, e por isso Delcídio teria argumento suficiente para levá-lo a conversar com “o Gilmar” – o ministro do STF Gilmar Mendes.

O vice-presidente, com a frieza que o momento requer, negou, por assessores, que haja “preocupação com possível delação de Jorge Zelada” que o envolva e garantiu que “jamais fez pedido ao ministro Gilmar Mendes sobre a investigação [ da Lava-Jato] no Supremo”.

Beque ganharia luvas gordas para jogar no time

Os detalhes do grampo perpetrado por Bernardo Cerveró, filho amoroso que não viu outro recurso para honrar o pai, resgatam na memória saudosista as antigas relações de trabalho no futebol, em que um craque renovava contrato com o clube em troca de uma camisa de jersey, sensação têxtil dos anos 50.

Não é a essa época tão antiga que queremos chegar, e sim a outra menos distante, quando o jogador recebia certo salário mensal, com o qual se viraria, mas no ato da assinatura ganhava as “luvas”, quantia substancial, com a qual podia pensar em fazer pequena mudança na vida, como dar entrada num carro ou numa casinha.

Pois não é que o senador Delcídio conseguiu fazer semelhante? Como queria ter o passe de Nestor Cerveró para colocá-lo, como um defensor vigoroso, na quarta-zaga de seu time, não se furtou de oferecer-lhe R$ 4 milhões de luvas e R$ 50 mil mensais. Embora seja isso grana pra cobertura em zona nobre.

BOM DIA!!!


Viva Rio!: todos citados por Delcídio de mãos dadas

DO EL PAIS

Gustavo Moniz

De São Paulo

Uma situação que já estava confusa ontem ficou ainda mais difícil de entender nesta quinta-feira. Citados por Delcídio do Amaral na gravação que levou o senador do PT e o CEO do Banco BTG Pactual, Andre Esteves, para a prisão, Romário e Eduardo Paes (PMDB) se contradisseram a respeito da aliança para a prefeitura do Rio em 2016. Os dois principais envolvidos na história contada por Delcídio apresentaram versões diferentes sobre os desdobramentos daquele encontro em 4 de novembro.

Durante a inauguração do estádio de canoagem slalom nesta quinta, no Complexo Esportivo de Deodoro, Paes confirmou a aliança com Romário. “Tenho um entendimento com o senador Romário. Se ele não se candidatar, ele vai apoiar o Pedro Paulo.” Já Romário usou as redes sociais, na própria quarta-feira, para negar apoio ao candidato de Paes: “Não é novidade para ninguém que o prefeito Eduardo Paes tem interesse que eu apoie o seu candidato à sucessão. Deixo claro que não tenho nenhum acordo com ninguém.”
mais informações

No cenário atual, só a oficialização das candidaturas no ano que vem vão mostrar para onde pende a balança. De concreto mesmo, além de negar tudo o que foi dito na gravação de Delcídio, Romário disse apenas que vai processar o advogado do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, Edson Ribeiro, que participou do diálogo revelado. Romário o chamou de “advogado de um bandido”.
Contas na Suíça

Em diálogo gravado pelo filho de Nestor Cerveró, Bernardo Cerveró, em 4 de novembro, Delcídio conta a Bernardo a respeito de uma reunião “estranha” em seu gabinete, naquele mesmo dia, com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, seu braço-direito e pré-candidato ao cargo em 2016, Pedro Paulo Carvalho, Romário e o senador Ricardo Ferraço. Uma foto foi tirada na ocasião, com todos os citados por Delcídio de mãos unidas, e começou a circular nesta quinta-feira nas redes sociais.

Segundo Delcídio, Paes aproveitou o encontro para informar ao senador, na frente de Romário, que os dois haviam fechado um acordo para que o ex-jogador desistisse da candidatura à prefeitura do Rio em 2016 e apoiasse Pedro Paulo. O motivo da aliança forçada por Paes, de acordo com Delcídio, foi a suposta conta que Romário teria no banco Suíço BSI, divulgada pela revista Veja e depois desmentida pelo veículo diante da negativa do próprio banco, apresentada por Romário. O prefeito do Rio é irmão de Guilherme da Costa Paes, um dos diretores e sócio do BTG Pactual, que comprou o banco BSI em 2014 e a hipótese é que poderia ter usado o irmão para costurar o apoio do ex-jogador. O problema para Romário seria não ter declarado o dinheiro que estava na conta à Justiça Eleitoral, que mostrou que o ex-atacante possuia patrimônio de 1,312 milhão de reais em 2014, quando foi eleito senador pelo Rio de Janeiro.
O diálogo que cita Romário

Delcídio – O problema, rapaz, hoje eu tava com minha agenda toda organizadinha só a partir das 13 horas. Pra acabar de complicar ainda mais o jogo aparece o Eduardo Paes, com Pedro Paulo, e com Romário. E com o Ferraço.

Edson – Ué, fizeram acordo, né?

Delcídio – Diz o Eduardo que fez.

Edson – Tinha conta realmente do Romário.

Bernardo – Tinha essa conta?

Delcídio – E em função disso fizeram acordo.

Edson – Seu amigo, então, foi comprado. Tira porque senão você vai preso.

Delcídio – O que eu achei estranho, ele ter chegado. Eu perguntei “o que você está fazendo aqui, Romario? “Não, não, vim acompanhar o Eduardo”…

Edson – Esquisito.

Delcídio – Esquisito pra caramba.

Edson – Essa é informação que me deram.

Delcídio – Aí o Eduardo falou assim… Delcidio –porque o Eduardo tenho intimidade, o Eduardo foi companheirão meu aqui, principalmente na CPI dos Correios, ele foi meu braço direito aqui– aí (Eduardo Paes) disse Delcídio eu chamei aqui o Romário, ele falou na frente do Romário… chamei o Romário, nos acertamos uma aliança para o Romário apoiar o Pedro Paulo. Mas tem esse motivo.

Edson – Foi o que eles disseram… quem pode melhor apurar é você.

Delcídio – Porque…não é possível, hoje quando eles chegaram…”Ué, o que vocês tão fazendo aqui juntos?” Aí o Eduardo explicou, diz que fizeram uma composição juntos.

Edson – Para apoiar o Pedro Paulo.

Delcídio – Eu fui tirar uma foto com ele, né? Ia tirar uma fotografia com todo mundo com a mão assim, uma em cima da outra. Eu não entendi mais nada.

Edson – Loucura, né?

nov
27


DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Os republicanos Pezão, Lewandowski e Tiago Cedraz
Brasil 26.11.15 21:52 Comentários (30)

Hoje, por volta das 17h30, Pezão esteve reunido com Ricardo Lewandowski, no STF. Pezão ainda está às voltas com a Lava Jato. Enquanto o governador do Rio de Janeiro conversava com o ministro, Tiago Cedraz, outro investigado pela Lava Jato, batia um papo com a moça da foto, na porta do Supremo…

nov
27
Posted on 27-11-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 27-11-2015


Sid, no portal de humor gráfico A Charge Online

DO PORTAL TERRA BRASIL

O presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, entregou nesta quinta-feira, durante reunião do Comitê Executivo da Conmebol, uma carta de renúncia ao Comitê Executivo da Fifa. Fernando Sarney, vice-presidente da CBF, foi indicado por Del Nero para ser seu substituto e foi aceito pelos dirigentes sul-americanos. A confirmação oficial da entrada de Sarney na Fifa se dará na próxima reunião em Zurique, semana que vem.

Del Nero assumiu a cadeira na Fifa após a renúncia de Ricardo Teixeira, em 2012. Mas decidiu não sair mais do Brasil desde que José Maria Marin, foi preso em Zurique, durante reunião da Fifa, por ser acusado de receber propina.

Del Nero não tem nome citado nas investigações do FBI, mas um co-conspirador com as mesmas credenciais dele até então – dirigente da CBF, da Conmebol e da Fifa – teria pedido o dinheiro do suborno recebido por Marin.

Os cartolas sul-americanos ainda estão reunidos na CBF, onde chegaram às 9h, e também almoçaram na entidade.

Novo representante sul-americano na Fifa, Fernando Sarney – filho do ex-presidente José Sarney – tem 60 anos e é vice da CBF para a região Norte.

  • Arquivos

  • novembro 2015
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30