DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Levy enquadra merreca do Bolsa Família

Garantido no cargo veementemente pela presidente Dilma Rousseff, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, dá um show de política.

Leve, despreocupado com Lula, que parece ter largado seu pé, Levy faz o mimo sobre o Bolsa Família: “É extremamente valioso”.

No bojo das declarações, diz algumas verdades: por exemplo, que se trata de uma “pequena coisa”, em torno de 0,5% do PIB, sendo importante apenas “monitorar esse gasto”.

O ministro não desceu aos valores absolutos do programa: pelos números de 2014, trata-se de R$ 27,6 bilhões.

Esse dinheiro, que daria para a turma da Petrobras prover, dividido pelos 45,8 milhões de beneficiários, dá R$ 602 para cada um por ano.

Mas a afinação de discurso com o PT não impede – antes o impele – que Levy dê o verdadeiro recado: aumentar tributos é indispensável para o “ajuste fiscal”.

O resumo da história é que, mais forte, o ministro quer dinheiro para o governo gastar e deixar um pouco também – por que não? – para a corrupção.

Be Sociable, Share!

Comentários

Taciano Lemos de Carvalho on 3 novembro, 2015 at 7:42 #

Levy, de modo sonso, dissimulado, descarado, finge se preocupar com a situação do país. Mas serve mesmo é à banqueirada.

Dois artigos que rapidamente dá uma boa ideia de como é falsa, e prejudicial, as medidas econômicas de Levy/Dilma. Economia de tostões e privilégios ao pagamento de bilhões aos de sempre. Os bancos

http://www.tribunadaimprensaonline.com/2015/11/a-divida-brasileira.html (artigo de Helio Fernandes, na Tribuna da Imprensa desta terça, 3 de novembro de 2015)

“Despesa com juros em 2015 é maior do que 15 anos do Bolsa Família” http://www.contasabertas.com.br/website/arquivos/11858#sthash.15A6fFEZ.dpuf


Taciano Lemos de Carvalho on 3 novembro, 2015 at 13:42 #

Em qual tipo de coisa Levy deveria “bulir” para ajustar as contas? No lucro dos bancos brasileiros, por exemplo. Só o Itaú teve um lucro no terceiro trimestre deste ano de R$6 BILHÕES. Um aumento de 10 por cento em relação ao mesmo período de 2014. Mas mexer com os bancos não é para nenhuma gerenta, Lula, ou FHC. Esses aí não têm coragem de fazer isso. São uns verdadeiros pais e mãe dos banqueiros. E quando a coisa se refere à agiotagem da banca internacional, aí é que nossos governantes (melhor, gerentes) miam fino e baixinho. Aliás, nem chegam a miar.


luiz alfredo motta fontana on 3 novembro, 2015 at 15:22 #

O “bobo da corte invertido”, ou de como Levy nada faz piorando tudo.

Um fato, para os que amam os fatos em sua impávida imobilidade e solidão, Levy está no “comando” da economia há 1 ano e só colheu desastres.

O “Clark Kent tupiniquim”, pelo andar da “kriptonita”, não terá sequer o consolo do retorno ao Bradesco, Trabuco, ao que parece, o sacrificou em nome dos velhos tempos do “namorado de Rose”, como é tudo, menos tolo, sabe que sacrificados são descartados e nunca reaproveitados.

Levy fará história, não deixará sequer um indicador positivo. Tem todas as características de gestor de massa falida.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2015
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30