BOA TARDE!!!

DICA DA JORNALISTA MARIA OLÍVIA NO BAHIA EM PAUTA E NO FACEBOOK.

Nesta quinta-feira, 22, na Pérola Negra (Barris/Salvador), o
Jornalista, radialista, pesquisador musical Perfilino Neto, produtor e apresentador de programas lança um novo livro, depois do êxito de ‘Memória do Rádio’ (2009). Agora, ‘Curiosidades e Pitorescos do Rádio e da MPB’, pela Editora Matarazzo-SP.

A noite de autógrafos promete. Durante o lançamento, haverá uma apresentação especial do quarteto Choro do Uirapuru, da cantora Marion Duarte (RJ) e da percussionista Ana Tomick (MG). Também estará presente a jornalista e escritora paulista Thais Matarazzo, autora de oito livros sobre música popular. Vamos lá, amigos. e PÚBLICO EM GERAL.

(Vitor Hugo Soares)

Da Raio Laser, a bem informada coluna política do jornal Tribuna da Bahia, edição desta quinta-feira, 22.

Sem moleza

O ministro da casa Civil, Jaques Wagner, estará aqui hoje, acompanhando o presidente Lula, que terá um almoço com a imprensa e, depois, à noite, se reunirá com um grupo de cerca de 100 petistas para tratar da conjuntura nacional. Na ocasião, os petistas pretendem encher a cabeça de Wagner com alegações de que o governo federal não pode dar mole para o prefeito de Salvador.

Sem melhora

Participantes do encontro, deputados estaduais e federais do PT, principalmente, vão consultar Lula sobre o que fazer para enfrentar o caos em que a crise política e econômica estão jogando o partido. No interior da Bahia, dizem, o clima nunca foi tão ruim para o partido. Mesmo quando falam em Lula, argumentam, o clima contrário ao governo e ao PT não melhora.

BOM DIA!!!


Lúcio x Piucciani: boa briga para o lugar de Cunha

Lúcio e Picciani de novo na mesma raia

Na perspectiva de o deputado Eduardo Cunha deixar a presidência da Câmara, três parlamentares são falados no PMDB para substituí-lo: o líder Leonardo Picciani (RJ), Jarbas Vasconcelos (PE) e Lúcio Vieira Lima (BA).

Jarbas, remanescente da bancada dos “autênticos” do velho MDB, ao lado de nomes como Chico Pinto e Alencar Furtado, parece improvável, porque não tem o apoio da cúpula do partido, sendo hoje uma espécie de dissidente.

Picciani e Lúcio enfrentaram-se, ainda este ano, pela liderança, tendo o primeiro vencido por 34 votos a 33, num equilíbrio surpreendente, considerada a força da seção fluminense do partido.

out
22
Posted on 22-10-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 22-10-2015


Opositores entregam pedido de impeachment para Cunha.
/ REUTERS

DO EL PAIS

Afonso Benites

De Brasília

Um dos principais grupos contrários ao Governo de Dilma Rousseff, o Movimento Brasil Livre anunciou nesta quarta-feira que vai incluir o nome de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) nos próximos protestos que promover. O peemedebista, que é alvo de uma série de denúncias de irregularidades, como o de ter recebido propinas no escândalo da Lava Jato e o de ter recursos não declarados em bancos no exterior, era até então visto como um ‘aliado’ do grupo. A foto dos integrantes do MBL junto com Cunha circulou sem parar nas redes sociais entre os que estavam a favor do impeachment – antes das denúncias contra o deputado aparecerem – e entre os que estavam contra, depois que o Ministério Público denunciou o parlamentar.

A divulgação foi feita logo após o grupo entregar para Cunha mais um pedido de impeachment presidencial. Um dos coordenadores do MBL, Kim Kataguiri, afirmou que os movimentos se sentiram constrangidos ao denunciar irregularidades para uma pessoa que é investigada por corrupção, mas como a legislação prevê que só o presidente da Câmara pode receber o processo de abertura não havia o que fazer. “Entregaríamos até para o Lula, que roubou mais do que o Cunha, se ele fosse o presidente da Câmara”, afirmou.

Se confirmado o novo alvo de protesto (sem data para ocorrer), será a primeira vez que Cunha estará na mira de movimentos populares opositores a Rousseff. Antes dele, somente o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), eram criticados ao lado da presidenta. A alegação para deixar o deputado de fora das manifestações anteriores era de que os movimentos estavam focados na figura do impeachment, mas agora, com o surgimento de novas acusações contra ele, a situação mudou.

Segundo Kataguiri, o protesto contra Cunha será uma maneira de pressionar os deputados do Conselho de Ética a analisarem com celeridade e de maneira técnica o processo que está sendo movido contra o peemedebista no órgão. Representantes do MBL também prometem acampar em frente ao Congresso Nacional para cobrar que Cunha defira o novo pedido de impeachment contra Rousseff.
Natal sem Dilma

Ao entregarem o 32º pedido de impeachment contra Rousseff, os opositores afirmaram que lançaram uma campanha do “Natal sem Dilma”. “Vamos trabalhar para derrubar a presidenta antes de 25 de dezembro”, afirmou o deputado Arthur Maia (SD-BA).

Porém, pelo trâmite atual de um processo de destituição presidencial, dificilmente essa proposta será cumprida. Da data de entrada na Câmara até uma decisão dos deputados, pela admissão ou não do processo, são pelo menos cinco semanas. Isso sem contar os prazos para recursos e para a apresentação dos representantes da comissão que analisará o pedido de impeachment.

Se aprovado na Câmara, o caso segue para o Senado. Neste momento, a presidenta é afastada preventivamente por até 180 dias, que é o prazo que os senadores têm para julgá-la. Só após a análise dos senadores é que o impeachment se configuraria de fato.

O próximo passo efetivo para emplacar o impeachment é o difícil convencimento do presidente da Casa. Dos 32 apresentados até agora desde o primeiro mandato de Rousseff (2011-2014), 25 já foram arquivados. Os argumentos costumam ser faltas de provas, ausência de testemunhas e de que as irregularidades teriam sido cometidas em um mandato anterior, o que não permitiria a destituição presidencial.

Ainda nesta quarta-feira, representantes da oposição discutiam uma maneira de acelerar a análise do processo de impeachment. Eles tentavam convencer Cunha a seguir um rito mais rápido, mas não detalharam publicamente de que maneira isso seria feito.

Como maneira de dar legalidade ao processo, os três juristas que assinaram esse novo pedido (Hélio Bicudo, Janaína Paschoal e Miguel Reale) citaram as pedaladas fiscais de 2014 e de 2015, trataram de decretos que criaram créditos suplementares sem a autorização do Congresso e compararam o caso de Rousseff com o de Fernando Collor – que enfrentou um processo de impeachment em 1992, renunciando antes de seu término.

Representando o ex-petista Bicudo no ato de entrega, a filha dele Maria Lúcia Bicudo recorreu exatamente a essa comparação para se manifestar a favor da queda da petista e citou um dos artífices da queda de Collor. “Já disse diria Ulysses Guimarães, maior que a urna, é a praça pública. Então temos que ir para as ruas por um Brasil melhor, sem corrupção, sem conchavos políticos”.

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Mais um ataque ao Pixuleco

Militantes do PT atacaram os bonecos Pixuleco e Bandilma durante protesto na Praça de Mirassol, em Natal. Do grupo de 15 pessoas envolvidas na ação, seis foram detidas pela Polícia, entre elas um professor universitário.

“Foi um crime praticado pelo pessoal da Juventude do PT, que foi lá só para isso, num movimento orquestrado, premeditado. Eles se infiltraram no movimento e furaram os bonecos”, disse Arthur Dutra, um dos organizadores, ao jornal “Agora RN”

e confusão em Teresina

Hoje, Lula foi a Teresina, para receber o título de cidadão teresinense (pois é). O Pixuleco o acompanhou:

Como de praxe, petistas atacaram o boneco e criaram uma confusão com os manifestantes do Movimento Brasil e do Vem Pra Rua, como mostra o vídeo abaixo:

out
22
Posted on 22-10-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 22-10-2015


Sinfrônio, no Diário do Nordeste (CE)

DO CORREIO24HORAS

Da Redação

O empresário e engenheiro mineiro José Corgosinho de Carvalho Filho, de 84 anos, morreu nesta quarta-feira (21), em Salvador.

Radicado na Bahia desde 1960, José Carvalho é considerado um dos grandes nomes do empresariado e da educação no estado.

Além de ser reconhecido por fundar a Companhia de Ferro Ligas da Bahia (Ferbasa) – que atua na área de mineração, metalurgia e reflorestamento -, o empresário tem como maior legado a Fundação José Carvalho, entidade sem fins lucrativos que proporciona a milhares de crianças e adolescentes acesso ao estudo de qualidade.

“Nunca paguei escola na minha vida. Estudei sempre de graça. Acho que a gente deve ficar muito grato àquilo que recebe. Sempre tive oportunidade de estudar nos melhores colégios e universidades do Brasil. Minha filosofia de vida é fazer por minha comunidade o que o país fez por mim”, dizia.

O velório e o sepultamento do empresário acontecerão nesta quinta-feira (22), às 10h (aberto ao público), no templo da Fundação José Carvalho, local idealizado e construído por ele no município de Pojuca, Região Metropolitana de Salvador, onde construiu parte da sua história.

A cerimônia de sepultamento, no entanto, será restrita aos familiares, às 16h.

  • Arquivos