BOA TARDE!!!


Neruda, sobre a cebola:”Rosa de água
com escamas de cristal”.


João Bosco Leal

CRÔNICA / VISÃO E POESIA

A visão e o aprendizado

Quando uma pessoa sentou-se no divã e, diante de Rubem Alves disse: “Acho que estou ficando louca, pois adoro cozinhar, faço isso todo dia e hoje, ao cortar uma cebola, percebi que nunca havia visto uma cebola”, ele lhe respondeu: “Não, você não está louca. Você ganhou olhos de poeta… Os poetas ensinam a ver”.

Rubem Alves disse mais: “Ver é muito complicado. Isso é estranho porque os olhos, de todos os órgãos dos sentidos, são os de mais fácil compreensão científica. A sua física é idêntica à física óptica de uma máquina fotográfica: o objeto do lado de fora aparece refletido do lado de dentro. Mas existe algo na visão que não pertence à física”.

Sobre a cebola, Pablo Neruda disse: “Rosa de água com escamas de cristal”.

Enquanto Adélia Prado disse “Deus de vez em quando me tira a poesia. Olho para uma pedra e vejo uma pedra”, a pedra vista por Drummond deixou de ser uma pedra e virou um poema.

A visão que uma pessoa tem de uma árvore não é a mesma que outra a tem, e nem mesmo daquela própria, se olhada de um ângulo ou em horário diferente. Os ângulos, as sombras e os raios solares provocam visões distintas a cada segundo.

O mesmo ocorre quando relemos um livro que havíamos lido vários anos atrás. Tudo o que vivemos, ouvimos, falamos e aprendemos nesse período, fará com que interpretemos o mesmo livro de maneira totalmente distinta. Trechos pelos quais passamos despercebidamente agora significam muito e, outros, para os quais demos muita importância agora já não nos atraem tanto.

Em determinada ocasião, comentei com um grupo de pessoas, de idades variadas, que estava gostando muito de fotografias, que já havia feito dois cursos, que pretendia fazer outros, e que no domingo anterior havia ido a uma praça exclusivamente para fotografar flores, quando um dos que me ouviam logo disse que fotografar flores era coisa de viado. Nem respondi, porque com pessoas como essas não vale a pena sequer dialogar.

Como homem que viveu a maior parte de sua vida no meio rural, hoje vejo claramente que, na juventude, só queria andar a cavalo, trabalhar o gado, sem jamais procurar saber para que serve uma casca de angico, a cinza do fogão de lenha, a casca de quina, a folha de unha de vaca, o chá da folha da lixeira e tantos outros ensinamentos que os homens do campo possuem, mas só quando adultos nós procuramos com eles aprender.

Levei mais de quatro décadas para começar a enxergar coisas pelas quais havia passado a vida toda, sem dar-lhes a menor importância, como a beleza das árvores que se transformavam durante as estações do ano. Secavam, pareciam mortas, depois floriam, semeavam e outras frutificavam.

Aprendi como, nessas estações, os animais também se transformavam. Os pássaros botavam seus ovos, as vacas e as éguas entravam no cio, tudo de modo que suas crias nascessem na época mais apropriada, quando houvesse mais alimentos, para que as mães, bem nutridas, pudessem também alimentar melhor seus filhos.

Com esse aprendizado, os homens passaram a, imitando a natureza, criar estufas para a produção de flores diversas, irrigar suas lavouras, fazer inseminação artificial em suas vacas e fazer com que seus garanhões cubram suas éguas no tempo correto, para que criem na melhor época.

Esse aprendizado só ocorreu porque alguns “viram” o que ocorria ao seu redor e não somente passaram por lá sem realmente observar o que acontecia.

Ver é um aprendizado diário para aqueles que possuem olhos ou não.

João Bosco Leal é Jornalista e empresário


BOM DIA!!!

out
11

DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Tudo muda com Cunha na corda bamba

É impressionante como certas posturas mudaram depois que ficou comprovada a inviabilidade da permanência de Eduardo Cunha na presidência da Câmara dos Deputados em razão da descoberta e rastreamento de contas secretas, suas e da família, de milhões de dólares, em bancos suíços.

O senador Aécio Neves, interessadíssimo na cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer, mas lhe agradando também o impeachment exclusivo da presidente, sabe que Cunha, até pouco tempo muito seu aliado, não mais poderá comandar o processo na Câmara – e lhe acena com a hipótese de renúncia apenas ao cargo, conservando o mandato parlamentar.

No afã de manter viva a pretensão presidencial já para o semestre que vem, Aécio comete este erro que certamente lhe será cobrado numa hipotética campanha: defende a preservação de um político que está condenado aos olhos da nação e cuja “madame”, como bem lembrou Merval Pereira, da Globonews, gastou 800 mil dólares em dois anos pelo exterior.

Mal refeita desse golpe, a opinião pública ouve o vice-presidente Temer propor matéria vencida – a votação de emenda constitucional para o financiamento privado nas eleições, sonho de consumo de Cunha e de numerosa quadrilha. Deve ser-lhe útil uma PEC dessa natureza, mas o objetivo principal é adocicar a boca do, enfim, correligionário de PMDB.

A surpresa maior ficou por conta do próprio Cunha. “O meu entendimento, pelo que entendo até agora e tenho demonstrado publicamente, é que o mandato anterior não contamina o mandato atual”, ou seja, já que, se continuar presidente, é quem dá partida ao impeachment, Dilma pode ficar tranquila, porque o ex-arquiadversário não vai levar em conta a condenação do TCU.

out
11

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Delfim Netto é igual a FHC

Delfim Netto, que escreve artigos a pedido de Lula, disse ser contra qualquer “golpezinho” ou vitória no “tapetão”, segundo a Folha. Ele criticou a condução da economia, mas defendeu Dilma, a quem considera “absolutamente honesta”.

Como FHC, Delfim Netto é ouvido a cada semana por certa imprensa que insiste em produzir manchetes a favor de Dilma e do PT.

Querer ganhar no tapetão ou dar um golpezinho é o que o governo Dilma, por meio da AGU, tentou fazer para evitar que o TCU cumprisse sua função institucional na semana passada.

out
11
Posted on 11-10-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 11-10-2015


Paixão, na Gazeta do Povo (PR)

DEU NO PORTAL DE NOTÍCIAS TERRA BRASIL

A chancelaria do Paraguai expressou nesta sexta-feira ao Brasil seu “desagrado” pelos comentários atribuídos à presidente Dilma Rousseff, que supostamente afirmou que o país vive um “golpe democrático à paraguaia”, em alusão à destituição em 2012 do então presidente paraguaio, Fernando Lugo.

Segundo o jornal “Folha de S. Paulo”, o comentário foi feito por Dilma durante uma reunião com seus 31 ministros realizada a portas fechadas , sexta-feira (9) em Brasília antes de viajar à Colômbia, onde se encontrava ontem em uma visita de Estado.

Neste sentido, a chancelaria paraguaia convocou o embaixador do Brasil, José Felício, para expressar-lhe a “surpresa e desagrado pelas expressões publicadas em dito meio de imprensa e atribuídas à governante brasileira”, informou o Ministério das Relações Exteriores do país vizinho em comunicado.

A chancelaria acrescentou que solicitou a Felício que peça ao governo brasileiro “os esclarecimentos devidos sobre a veracidade das mesmas”.

Além disso, instruiu o embaixador paraguaio no Brasil, Manuel María Cáceres, para que realize as mesmas consultas perante as autoridades do Itamaraty, segundo o comunicado.

A chancelaria paraguaia assinalou ainda que a cassação de Lugo, após um julgamento político no Congresso, aconteceu “no marco jurídico estabelecido na Constituição Nacional e nas leis, respeitando o tempo todo o devido processo”.

Lugo foi destituído em junho de 2012 por “mau desempenho” de suas funções, uma situação que fez com que o Paraguai fosse suspenso temporariamente do Mercosul por seus sócios considerarem que houve uma “ruptura constitucional”.

  • Arquivos