DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

“Eu não poderia arriscar minha reputação continuando ali”

Geraldo Samor, do site da Veja, publicou um desabafo de Murilo Ferreira sobre a sua saída da Presidência do Conselho de Administração da Petrobras. O executivo disse que sente vergonha pela forma como a companhia é gerida, movida a privilégios que nunca existiriam em empresas privadas. “Eu não poderia arriscar minha reputação continuando ali”, afirmou Murilo Ferreira.

Separamos outros trechos:

– “A Petrobras não é do acionista majoritário, nem do acionista minoritário — ela é da corporação”;
– “Sabe o que é isto? (tirando um cartão verde da carteira) É um cartão com o qual eu vou a qualquer farmácia, pago apenas 15 reais e compro o medicamento que quiser. Nenhuma empresa particular no Brasil tem um cartão de convênio médico como esse. Eu nunca usei, senti vergonha”;

– (A cultura estabelecida na petrolífera) “não permite imaginar que qualquer coisa vá mudar lá”.

O Antagonista sabe que a indignação de Murilo Ferreira é muito mais profunda. Vai até o pré-sal.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • setembro 2015
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930