Assunto é o que não falta

O advogado Roberto Podval, que defende o ex-ministro José Dirceu, disse que “é mais fácil matá-lo do que ele fazer uma delação premiada”, declaração aparentemente simples, realçando o caráter férreo e a lealdade a toda prova do seu constituinte.

Revela, porém, que Dirceu tem o quê e, sobretudo, a quem delatar, não se imaginando que seja alguém abaixo dele na hierarquia do grupo.

Be Sociable, Share!

Comentários

Taciano Lemos de Carvalho on 7 agosto, 2015 at 9:34 #

Seria o general a ser o delatado pelo capitão do time? O dono do time?


luiz alfredo motta fontana on 7 agosto, 2015 at 11:36 #

A tibieza geral da república.

Repete-se a opereta canhestra, no mensalão, o “animus puniendi” parou em Dirceu, Dona Dilma escalou “o ponto fora da curva”, nem mesmo a idéia de quadrilha foi adiante.

Agora, no Petrolão, o cotidiano tem a recondução do PGR como lema, Dirceu sucumbe por ser réu comum, os detentores de mandatos fingem aflição e repousam na condição de “investigados”, enquanto Curitiba sentencia.

A novidade?

Lula, “o antes nunca visto”, é uma possibilidade.

O “namorado” de Rose talvez nem precise ser alvo delação. A vocação de nababo, nos braços ternos de Marcelinho Odebrechet, fala por si só.

Aguardemos!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos