“No mais, poesia é axial”, como dizia o saudoso Silvio Lamenha nas mesas boemias da Bahia e escrevia em sua coluna do jornal em Salvador. Antes de puxar a introdução de mais uma canção de Dalva de Oliveira de um jeito que só ele (além da própria) sabia interpretar.

BOA TARDE!!!

(Vitor Hugo Soares)

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos