Cuba:Lula, com Raul Castro, visita obras do porto de Mariel


DO PORTAL TERRA BRASIL

O Ministério Público Federal (MPF) abriu uma investigação para averiguar se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva incorreu em crime de tráfico de influência para favorecer a construtora Odebrecht, informaram fontes oficiais nesta quinta-feira.

Lula é investigado por supostamente ter influenciado o BNDES, após o fim de seu mandato, para que concedesse créditos à Odebrecht destinados ao financiamento de obras em outros países latino-americanos e africanos nos quais a companhia tem atuação. Segundo a Procuradoria, após deixar a presidência, em janeiro de 2011, Lula fez viagens a Panamá, Venezuela, República Dominicana e Gana custeadas pela construtora.

As indagações preliminares do MPF começaram em abril e se concretizaram na semana passada com a abertura de um inquérito. O caso foi revelado em maio pela revista “Época”, segundo a qual a Odebrecht recebeu do BNDES créditos de cerca de US$ 4,1 milhões para obras em República Dominicana, Venezuela, Cuba e Gana.

O Instituto Lula, que representa o ex-governante, afirmou hoje ter recebido “com surpresa” a notícia da abertura do inquérito e informou que entregou todas as informações solicitadas pela procuradora Mirella de Carvalho Aguiar e alegou que a funcionária teve “pouco tempo” para analisar o material.

Em comunicado, o Instituto Lula manifestou que “terá a oportunidade de comprovar a legalidade e a lisura” de todas as suas atividades.

Quando o caso veio à tona, em maio, a Odebrecht negou que Lula tivesse trabalhado como seu consultor, mas admitiu que custeou viagens do ex-presidente para República Dominicana e Gana em 2013 para que desse palestras sobre “as potencialidades do Brasil e de suas empresas”

Vai para Vangelis, João , Galvão, Ivete, Targino e todo o povo criativo, produtivo, alegre e resistente da aniversariante cidade de Juazeiro, na margem baiana do São Francisco, o rio da minha aldeia. Viva a amada e amável cidade no dia de seu aniversário de fundação e do encerramento do III Encontro Internacional de Sanfoneiros.

BOA TARDE!!!

(Vitor Hugo Soares)

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA

Não será hoje

O depoimento de Marcelo Odebrecht sobre o bilhete recomendando a destruição de provas foi adiado. A PF não permitiu que a advogada do empreiteiro, Dora Cavalcanti, estivesse presente, já que ela poderá ser ouvida na condição de investigada ou testemunha do caso.

O Estado de Direito permite chicanas.

(Dos jornalistas Mario Sabino e Diogo Mainardi)

BOM DIA!!!

jul
16


Cardozo durante depoimento à CPI da Petrobras.
/ Lula Marques (Agência PT)/El Pais

DO EL PAIS

Rodolfo Borges

De São Paulo

A sequência implacável de derrotas que os Governo Dilma Rousseff acumula neste ano no Congresso Nacional terá seu primeiro refresco a partir desta sexta-feira, quando os parlamentares entram em recesso por duas semanas. Mas a aguardada calmaria projetada pelos governistas para os próximos dias em Brasília não deve se estabelecer, graças à mais recente etapa da Operação Lava Jato. Um dia após policiais federais apreenderem três carros de luxo na casa do senador e ex-presidente da República Fernando Collor, o presidente do Senado, Renan Calheiros, ele próprio também investigado no escândalo, informou que pretende questionar a ação policial no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Os Poderes precisam, mais do que nunca, estar voltados para as garantias individuais e coletivas”, disse Renan, questionado sobre a fase Politeia da Lava Jato. O peemedebista disse que pretende conversar acerca do assunto com o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, e que o Senado, onde uma dúzia de parlmentares são alvo da Lava Jato, “estuda” ingressar com uma ação no Supremo por conta das buscas da PF. No início da noite, Lewandowski reagiu. Por nota, informou que determinou que a Secretaria Judiciária do STF forneça cópia integral dos autos aos advogados dos parlamentares investigados, para “assegurar a estrita observância das garantias constitucionais, em especial a da ampla defesa”.

Nessa queda de braço, que envolve ainda ataques de parlamentares ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pode acabar sobrando para o Governo, pois os parlamentares afetados pela investigação enxergam a mão do Palácio do Planalto nas ações da PF — apesar dos evidentes danos de toda a questão para os planos de Dilma. Estariam planejando retaliar com a criação de novas comissões parlamentares de inquérito, entre elas a que pretende investigar o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Em depoimento prestado à CPI da Petrobras nesta quarta-feira, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, garantiu que jamais atuará “no sentido de controlar ou direcionar as investigações” da PF. Cardozo aproveitou o depoimento para destacar a “honestidade” e a correção da presidenta Dilma, acrescentando ter certeza de que “nenhum fato relativo à corrupção, desvio de dinheiro ou improbidade chegará perto da presidente”. Horas antes, ao comentar a crise econômica durante agenda em Santa Catarina, Dilma disse que “é preciso humildade para reconhecer que se passa por dificuldade, mas também é preciso coragem e dignidade para poder superar as dificuldades”.
Temer e 2018

Seu vice-presidente, Michel Temer, não parece, contudo, na mesma sintonia que a mandatária. Em meio à tensão política, Temer, que é o atual articulador político do Palácio do Planalto e cujo partido pode ser determinante no desfecho da crise, preferiu mirar para o futuro. Disse, durante evento do PMDB, que seu partido pretende lançar um candidato à presidência em 2018: “Nós estamos abertos para novas alianças, com todos os partidos. Apenas o que está sendo estabelecido é que o PMDB quer ser, digamos assim, cabeça de chapa em 2018”. No mesmo evento, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, outro investigado na Lava Jato e à espera dos desdobramentos da investigação, endossou a vontade peemedebista de se separar do PT no futuro: “O PMDB sabe que, em 2018, quer buscar o seu caminho, que não é com essa aliança”, disse Cunha, que impôs as maiores derrotas parlamentares do segundo Governo Dilma.

Diante do quadro, o cientista político David Fleischer, professor da Universidade de Brasília (UnB). acredita que a Politeia, na verdade, “piora muito o cenário para Dilma”. “Ela acha que ia ter duas semanas de folga, para respirar com o recesso do Congresso, mas parece que essa operação não vai deixar. E ela ainda tem medidas a aprovar por lá [como a desoneração da folha de pagamento, adiada para depois do recesso], e já vem demonstrando muita irritação, inclusive com notícias de cobranças ao ministro da Justiça sobre a Lava Jato”, analisa o professor. Na prática, o Governo terá de encarar que a folga das próximas semanas será cancelada.

DO BLOG O ANTAGONISTA

O depoimento de Odebrecht

Marcelo Odebrecht prestará depoimento à PF nesta quinta-feira, mas falará “apenas” sobre o bilhete apreendido em sua cela.

Segundo seus advogados, o depoimento formal ainda não tem previsão para acontecer. A informação é do Estadão.

(Dos jornalistas Mario Sabino e Diogo Mainardi)

jul
16
Posted on 16-07-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 16-07-2015


Aroeira, no jornal O DIA (RJ)

DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

OPINIÃO

Shoppings preferem o prejuízo

Insistindo na medida que afugenta clientes reais e potenciais, a entidade que congrega os shopping centers afirma que aeroportos, rodoviárias e hospitais cobram estacionamento de seus usuários – e não é o segmento que será “discriminado”.

Poder-se-ia argumentar, em contrário, que os locais citados são de uso eventual, pois não é todo dia que se recebem ou se despacham viajantes e, quanto aos hospitais, até são de indesejável frequência.

Mas prefiramos números objetivos da Federação do Comércio: queda nas vendas que chega a 50% em alguns empreendimentos, num cenário já afetado pela crise da economia, com desemprego, juros altos e inflação ascendente.

Numa demonstração de despreparo para a questão, embora venha rolando há muitos anos, surgem soluções “criativas”, como “descontos” em algumas lojas a partir de certo consumo e a “tarifa-empregado”, senão os comerciários teriam de gastar o salário em estacionamento e ainda ficariam devendo.

Num quadro em que todos perdem, os lojistas vão à Justiça contra a postura tacanha dos donos de shoppings, em tudo que essa palavra, nos dicionários, traduz: avareza, estupidez e astúcia, ressalvando-se, para evitar interpretação maliciosa, que este editor tem a média anual de frequência a shoppings igual a 3.

  • Arquivos