Levy na chegada a NY: “tudo bem”

DO G1-O GLOBO

O ministro Joaquim Levy, da Fazenda, chegou aos Estados Unidos neste domingo (28) e passa “muito bem”, de acordo com a assessoria de imprensa do ministério. Ele viajou para se juntar à comitiva da presidente Dilma Rousseff no país. Na noite da sexta-feira (26), Levy havia sido hospitalizado e diagnosticado com embolia pulmonar. O médico desaconselhou a viagem, segundo a assessoria da Fazenda, mas o ministro, que recebeu alta horas depois, quis ir mesmo assim.

Levy embarcou na noite deste sábado em um voo comercial. Ele passou o dia em repouso e não viajou no avião presidencial, com Dilma e demais ministros que compõem a comitiva.

A assessoria do ministério informou que o ministro pousou em Miami às 7h30, no horário de Brasília, para fazer escala.Ele chegou a Nova York por volta de 12h30, tambem no horário oficial do Brasil.

Ao chegar ao hotel onde vai ficar hospedado, o ministro falou rapidamente com jornalistas. Questionado sobre seu estado de saúde, ele disse que está bem. Quando uma jornalista perguntou se ele descumpriu ordem médica para viajar, o ministro respondeu: “Não. Não descumpro ordem de ninguém. Sou muito obediente”, afirmou Levy.

Ele disse ainda que a visita da comitiva aos EUA é uma “oportunidade boa” e que o encontro com o presdiente Barack Obama em Washington deve ser “bastante positivo”.

“Eu acho que vai ser positivo. Acho que temos bastante coisa para fazer. A economia está num momento importante. Então, acho que é uma oportunidade. E, como disse a presidente, acho que lá em Washingon também vai ser bastante positivo”, disse o ministro.

De acordo com a assessoria, o médico de Levy considerava o trecho até Miami, de aproximadamente sete horas de duração, o mais delicado para a condição de saúde do ministro.

Em quadros como o dele, viagens longas de avião não são recomendadas. Como a embolia pulmonar ocorre quando um coágulo entope uma veia e obstrui a chegada do sangue ao pulmão, viagens longas, em que o paciente se movimenta pouco, podem prejudicar a circulação e agravar o quadro.

Meta central de inflação

Na chegada ao hotel, o ministro também foi questionado sobre a redução no teto da meta central de inflação para 2017. “Acho que é bom, é mais uma etapa, né, de a gente estar fortalecendo o sistema de metas de inflação. Eu acho que ele aumenta a previsibilidade da economia brasileira e com isso ajuda o trabalho que a gente tá fazendo”, declarou.

A meta central de inflação foi fixada na quinta-feira (25) pelo Conselho Monetário Nacional em 4,5% para o ano de 2017. Trata-se da mesma meta central adotada pelo governo federal desde 2005.

O intervalo de tolerância em relação à meta central, porém, caiu de dois pontos percentuais (para cima e para baixo em relação ao objetivo central) para 1,5 ponto percentual. Na prática, isso significa que o piso será de 3% e que o teto será mais baixo: de 6% em 2017 sem que a meta seja formalmente descumprida.

Se o intervalo de tolerância anterior de dois pontos percentuais fosse mantido – o que não aconteceu – o teto, em 2017, seria de 6,5% (patamar que vigorou entre 2006 e 2016).

Agenda oficial
A viagem da presidente Dilma Rousseff aos EUA conta com 11 ministros e inclui um encontro com o presidente Barack Obama. O objetivo é retomar as relações diplomáticas, atrair investimentos para concessões na área de infraestrutura (aeroportos, portos, rodovias e ferrovias) e impulsionar a economia.

A comitiva presidencial é formada pelos ministros Mauro Vieira (Relações Exteriores), Jaques Wagner (Defesa), Joaquim Levy (Fazenda), Renato Janine Ribeiro (Educação), Armando Monteiro (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Nelson Barbosa (Planejamento), Ricardo Berzoini (Comunicações), Aldo Rebelo (Ciência e Tecnologia), Kátia Abreu (Agricultura) e Izabella Teixeira (Meio Ambiente), além do assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia.

Dilma e os ministros pousaram no Aeroporto Internacional John F. Kennedy por volta das 20h e, às 21h15, chegaram ao hotel.

Ao chegar ao hotel, Dilma foi perguntada sobre qual é a expectativa para o encontro com Obama. “Muito boa”, respondeu a presidente. Ela não parou para conversar com a imprensa.

Denúncias
A ida para os EUA ocorre num dia delicado para o governo. Na edição deste fim de semana, a revista “Veja” publicou reportagem que lista o nome de 18 políticos supostamente citados pelo dono da construtora UTC, Ricardo Pessoa, como beneficiados com dinheiro oriundo do esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Operação Lava Jato. De manhã, o embarque da presidente atrasou devido a reunião com ministros marcada de última hora

Be Sociable, Share!

Comentários

Taciano Lemos de Carvalho on 28 junho, 2015 at 19:32 #

Até que descumprir ordem de médico é fácil. Ele, o ministro, nunca vai descumprir são as ordens do sistema financeiro mundial. Os princípios do neoliberalismo (neo coisa nenhuma. Liberalismo puro)


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos