jun
26

DO ESTADÃO

Talita Fernandes e Beatriz Bulla

Brasília – O ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), homologou nesta quinta-feira, 25, a delação firmada pelo dono da UTC, Ricardo Pessoa, com a Procuradoria-Geral da República.

O empreiteiro firmou acordo com a PGR no dia 13 de março para contar o que sabe sobre o esquema em troca de um abrandamento de pena. Pessoa é réu na Lava Jato acusado de coordenar o “clube vip” das empreiteiras na formação de um suposto cartel que atuou no esquema que desviou recursos da Petrobrás. Graças às delações do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef a Procuradoria-Geral da República abriu inquéritos contra 50 políticos no STF e no STJ.

A delação do empreiteiro deverá ser usada para reforçar indícios de envolvimento de políticos já investigados na Operação Lava Jato ou ainda para que novos inquéritos, envolvendo outras pessoas, sejam abertos. Entre os citados, está o senador Edison Lobão (PMDB-MA), ex-ministro de Minas e Energia, como publicou o Estado. O nome do senador já havia sido mencionado por outros delatores da Lava Jato. Ele é alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal por ter supostamente solicitado recursos para a campanha da ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney.

A delação de Ricardo Pessoa tem cerca de 80 páginas e menção a alguns nomes já investigados na Operação Lava Jato. De acordo com fontes ligadas à investigação, o empreiteiro fez menção, por exemplo, ao senador peemedebista Romero Jucá (RR), que é um dos 39 investigados no inquérito que apura perante o STF suposta formação de quadrilha.

O nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de acordo com fontes que acompanham o caso, chegou a ser levantado no curso dos depoimentos, mas sem qualquer sinal mais concreto que o ligue ao escândalo de corrupção na Petrobrás. As menções a Lula teriam sido superficiais, segundo fonte da investigação, e a delação de Pessoa, portanto, não deve gerar uma investigação do ex-presidente petista.

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 26 junho, 2015 at 4:50 #

Valendo uma mariola e um gibi do Fantasma!

Alguém tem alguma notícia, rumor, sinal, ruído, dos tais inquéritos contra políticos movidos pelo Janot, o que só pensa em ser reconduzido?

No andar da carruagem, serão findos depois que eles, os políticos, tiverem virado nome de rua.

Teori sinaliza, com a demora desta homologação, o que fará com os sob sua jurisdição.

Na prática a “Teori(a)” é lenta.


luiz alfredo motta fontana on 26 junho, 2015 at 19:06 #

Aqui a relação dos VIPS de Pessoa, estampada no Blog do Josias:

estrelinha
-Campanha de Dilma em 2014: R$ 7,5 milhões (o delator citou o então tesoureiro da campanha, Edinho Silva, hoje ministro de Comunicação Social da Presidência)

– Campanha de Lula em 2006: R$ 2,4 milhões

– Ministro Aloizio Mercadante (PT): R$ 250?mil

– Senador Fernando Collor (PTB): R$ 20 milhões

– Senador Edison Lobão (PMDB): R$ 1 milhão

– Ex-Senador Gim Argello (PTB) R$ 5 milhões

– Senador Ciro Nogueira (PP): R$ 2 milhões

– Senador Aloysio Nunes (PSDB): R$ 200?mil

– Senador Benedito de Lira (PP): R$ 400?mil

– Deputado José de Fillipi (PT): R$ 750?mil

– Deputado Arthur Lira (PP): R$ 1 milhão

– Deputado Júlio Delgado (PSB): R$ 150?mil

– Deputado Dudu da Fonte (PP): R$ 300?mil

– Prefeito Fernando Haddad (PT): R$ 2,6 milhões

– Ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto: R$ 15 milhões

– Ex-ministro José Dirceu: R$ 3,2 milhões

– Ex-presidente da Transpetro Sergio Machado: R$ 1 milhão

Feliz final de semana para estas doces figuras, poderá ser um dos últimos, caso o STF acorde.


luiz alfredo motta fontana on 26 junho, 2015 at 20:04 #

Dona Dilma, Lula, Mercadantes e afins restarão impunes até quando?

Deixá-los assim, livres e soltos, não assemelha prevaricação?


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos