Marcelo Odebrecht e Otávio Azevedo


Lava Jato (Erga Omnes) cumpre 59 mandados em quatro estados na 14ª fase
Operação é realizada nesta sexta (19) em SP, RJ, Minas Gerais e RS.
Lava Jato começou em 2014 e investiga esquema de lavagem de dinheiro.

DEU NO PORTAL G1/O GLOBO

Adriana Justi
Do G1

A Polícia Federal (PF) cumpre desde a madrugada desta sexta-feira (19) a 14ª fase da Operação Lava Jato. Serão cumpridos 59 mandados judiciais em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Esta fase da operação tem como alvo as empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez, segundo a PF.

Até as 9h, onze dos 12 mandados de prisão tinham sido cumpridos. Apenas uma pessoa não tinha sido encontrada até as 9h05. Entre os detidos da Odebrecht estão os executivos Márcio Faria, Rogério Araújo, Alexandre Alencar e Marcelo Odebrecht, que é presidente da empresa e foi preso em casa, em São Paulo.

A Odebrecht foi citada em 15 de setembro do ano passado durante um depoimento de Paulo Roberto Costa, que cumpre prisão domiciliar no Rio de Janeiro. À época, ele detalhou à Polícia Federal supostas irregularidades cometidas pela empresa em contratos com a Petrobras.

Do total de mandados, oito são de prisão preventiva, quatro de prisão temporária, 38 de busca e apreensão e nove de condução coercitiva, quando a pessoa é obrigada a prestar depoimento. A Lava Jato foi deflagrada em março de 2014 e investiga um esquema bilionário de lavagem de dinheiro.

A prisão temporária tem prazo de cinco dias, podendo ser prorrogada pelo mesmo período. Já a prisão preventiva pode ocorrer por termpo indeterminado, enquanto durarem as investigações.

Os mandados de busca e apreensão serão cumpridos em Jundiaí (1), São Paulo (17), Rio de Janeiro (16), Belo Horizonte (2) e Porto Alegre (2). Os de prisão preventiva em São Paulo (4), Rio de Janeiro (3) e Minas Gerais (1). Os de prisão temporária serão cumpridos em São Paulo (2), Rio de Janeiro (2). Já os de condução coercitiva serão em São Paulo (5), Rio de Janeiro (3) e Porto Alegre (1).

Esta fase da operação foi batizada de Erga Omnes e investiga crimes de formação de cartel, fraude a licitações, corrupção, desvio de verbas públicas, lavagem de dinheiro, entre outras. Erga Omnes trata-se de uma expressão muito usada no direito, que afirma que a lei deve atingir todos de modo igual.
Mandados foram cumpridos na manhã desta sexta na sede da empresa Odebrecht (Foto: Marcos Bezerra/Futura Pressa/Estadão Conteúdo )
Mandados foram cumpridos na manhã desta sexta
na sede da empresa Odebrecht
O outro lado

Em nota, a Construtora Norberto Odebrecht (CNO) confirmou a operação da Polícia Federal em seus escritórios em São Paulo e Rio de Janeiro, para o cumprimento de mandados de busca e apreensão. Da mesma forma, alguns mandados de prisão e condução coercitiva foram emitidos.

“Como é de conhecimento público, a CNO entende que estes mandados são desnecessários, uma vez que a empresa e seus executivos, desde o início da operação Lava Jato, sempre estiveram à disposição das autoridades para colaborar com as investigações”, diz a nota.

Também por meio de nota, a construtora Andrade Gutierrez informou que está acompanhando o andamento da 14ª fase da Operação Lava Jato e prestando todo o apoio necessário aos seus executivos nesse momento.

“A empresa informa ainda que está colaborando com as investigações no intuito de que todos os assuntos em pauta sejam esclarecidos o mais rapidamente possível. A Andrade Gutierrez reitera, como vem fazendo desde o início das investigações, que não tem ou teve qualquer relação com os fatos investigados pela Operação Lava Jato, e espera poder esclarecer todas os questionamentos da Justiça o quanto antes”, diz a nota.

Be Sociable, Share!

Comentários

Taciano Lemos de Carvalho on 19 junho, 2015 at 12:52 #

São duas das chamadas “empresas campeãs”.


luiz alfredo motta fontana on 19 junho, 2015 at 13:54 #

E o lobista? O “namorado” de Rose?

Continuará impune?


luiz alfredo motta fontana on 19 junho, 2015 at 15:23 #

Enquanto isto, no STF, festas para Fachin.

No gabinete do PGR, dormitam, em meio à preguiça, os tais inquéritos dos políticos. Açodada e vigilante apenas a esperança de ser reconduzido.


Taciano Lemos de Carvalho on 19 junho, 2015 at 15:37 #

Rodei por todos os telejornais e jornalões e não vi foto alguma —ou vídeo— dos dois presos sendo algemados, jogados no chão, tomando spray de pimenta nos olhos e porrada na cabeça, e com os rostos levantados por algum policial para ser melhor focado nos programas de TV, como é feito nas periferias das grande cidades com os miseráveis.

Até nisto eles são os ‘campeões’.

Os ‘campeões’ não merecem, claro. Também os outros deveriam receber o mesmo tratamento civilizado. E legal.


Taciano Lemos de Carvalho on 19 junho, 2015 at 16:06 #

Resumindo: Que o tratamento seja para todos. Erga Omnes


luiz alfredo motta fontana on 19 junho, 2015 at 16:32 #

Alvíssaras!

Um fiozinho de esperança exala do Erga Omnis.

Marcelinho Odebrechet e Tavinho Azevedo são convivas, afetuosos e fraternos, de petistas e tucanos.

Doce congraçamento!


luiz alfredo motta fontana on 19 junho, 2015 at 17:01 #

Tempos revoltos!

Aqui a crucial matéria publicada no O Antagonista:

————————————–

“Se for preso, Marcelo contará tudo sobre Lula”

Brasil 19.06.15 16:44

Em 2 de março, eu (Mario) apurei e publiquei a seguinte história aqui no Antagonista:

César Mata Pires, fundador da OAS, é um homem desesperado. A sua empreiteira está afundando depois de deflagração da Operação Lava Jato. Desesperado e amargurado com a Odebrecht, com quem mantinha, digamos, acordos bastante lucrativos. Ele foi aconselhado a ameaçar Lula, como contaremos a seguir…

No dia 20 de fevereiro, reproduzimos aqui que César Mata Pires procurou Marcelo Odebrecht, diretor-presidente da dita-cuja, para saber como era possível que a empreiteira comandada pelo menino não tivesse ninguém preso. Na mesma conversa, ele disse que não estava preocupado em salvar a própria pele, mas que não deixaria os seus herdeiros pagarem por “erros cometidos em equipe” — menção a lambanças cometidas pela OAS com a cumplicidade da Odebrecht, que até agora vem se safando. A informação foi tirada de uma reportagem publicada pelo Estadão, cujo tema principal eram os encontros de Lula e Paulo Okamotto com empreiteiros à beira de um ataque de nervos. Ao jornal, a Odebrecht negou o encontro e a OAS saiu-se com uma evasiva.

O Antagonista resolveu apurar os desdobramentos dessa história e descobriu que César Mata Pires procurou também Emílio Odebrecht, pai de Marcelo e presidente do Conselho de Administração da empresa. O encontro foi na ilha de Kieppe, na baía de Camamu, no sul da Bahia, de propriedade dos Odebrecht. O dono da OAS formulou a mesma pergunta a Emílio: como era possível que a empreiteira dele não tivesse ninguém preso, ao passo que a sua estava com toda a diretoria em cana. E acrescentou: o que eu posso fazer para salvar a OAS?

A resposta de Emilio Odebrecht foi: “Procure Lula”.

Emílio contou-lhe então que, temendo pela prisão de Marcelo, foi direto ao ponto com o petista. Emílio Odebrecht disse a Lula o seguinte: “Se for preso, o Marcelo não aguentará a pressão: ele vai abrir a boca e contará tudo o que sabe sobre as suas relações com a Odebrecht.”

O Antagonista revelou que Lula interferiu para que Renato Duque fosse solto, depois de ser ameaçado pela mulher do ex-diretor da Petrobras, operador do PT na estatal. Não se sabe se Lula moveu um dos seus tentáculos para manter, até o momento, graúdos da Odebrecht fora da prisão. Não se está insinuando, aqui, nada contra a Justiça. O empenho dos procuradores da Lava Jato em incriminar a empreiteira é grande, assim como o do juiz Sergio Moro. A nossa impressão é de que a Odebrecht será pega no momento certo pelos bravos paranaenses.

O único fato da nossa apuração — e fato assombroso, por mais que conheçamos as relações promíscuas entre a Odebrecht e Lula — é que Emilio Odebrecht ameaçou Lula e recomendou a César Mata Pires que fizesse o mesmo com o petista se quisesse salvar a sua empresa.

A única certeza da nossa apuração é que, se a Odebrecht cair, Lula também cairá.

——————————————

O “namorado” de Rose está com os dias contados?


luiz alfredo motta fontana on 19 junho, 2015 at 17:06 #

Papuda, um cenário idílico!

Rose, caso a ameaça, de Marcelinho Odebrechet, sejá levada a efeito, terá de se submeter à vexatória revista intima em suas visitas ao “namorado’?


luiz alfredo motta fontana on 19 junho, 2015 at 17:25 #

Como será a trégua entre tucanos e petistas envoltos no pesadelo destas prisões?

A mídia sofrerá problemas de audição e visão?

Lula e FHC farão uma declaração conjunta, remetendo à Caminha a origem?

Agosto já chegou?

Estas e outras indagações nas entrelinhas de nossa brava imprensa investigativa!

Ou focaremos na Fifa?

Façam suas apostas!


luiz alfredo motta fontana on 19 junho, 2015 at 17:37 #

Imperdível!

Revista Piauí

aqui:

http://revistapiaui.estadao.com.br/blogs/herald/economia/licitacao-escolhera-novos-integrantes-do-consorcio-que-administra-o-brasil

Licitação escolherá novos integrantes do consórcio que administra o Brasil

Governo e oposição chegaram a um inédito e misterioso consenso

CURITIBA É AQUI – Em comunicado oficial, o consórcio que administra o Brasil lamentou a prisão dos presidentes da Odebrecht e Andrade Gutierrez. “Diante de tão expressiva baixa em nossos quadros, não temos mais condições corporativas de manter os níveis chineses de crescimento no DIB, o Desvio Interno Bruto”, diz o texto, que concluiu em tom de desabafo: “A casa caiu. E não temos mais empreiteiras para reconstruí-la”.

Ciente da urgência de um novo modelo para administrar o país, o Governo Federal anunciou a abertura de uma licitação para a escolha de novos integrantes do Consórcio. “Nunca antes na história desse país os níveis mais altos do organograma de administração haviam ficado vagos”, disse um membro do governo que, apesar da língua presa, pediu para não ser identificado.

O premiê Eduardo Cunha prometeu aprovar uma Reforma Neolítica para que o clima de normalidade volte a pairar sobre toda a nação. “Apresentaremos uma Proposta de Emenda à Constituição para legalizar o financiamento mútuo público-privado, e vice-versa. Também vamos acabar com essa farra da Polícia Federal, que desequilibra as forças democráticas quando resolve atuar. Pelo nosso projeto, todas as decisões da PF deverão ser submetidas a mim”, explicou.

No final do dia, Gerald Thomas anunciou de Nova York que sua Companhia de Ópera Seca começou a ensaiar a peça Acorda, Brasil, do dramaturgo Antônio Ermírio de Moraes. “Vamos revisitar esse clássico do teatro do absurdo lançando mão do distanciamento odebrechtniano”, explicou o diretor, mostrando a bunda aos repórteres no final.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos