maio
27


Dr Jayme Gold

ONDE ESTÁ A NOVIDADE?

Maria Aparecida Torneros

Por aqui há tanta beleza sim, mas o clima de guerra, corrupção e os indices baixos em educação e saúde nos obrigam a pensar muito e agora muito mais em produção do tal pais do futuro.

Não se pode simplesmente seguir fazendo de conta que está tudo bem quando o volume de problemas de ordem social e econômica ultrapassa a marcha lenta com que nós, Governo e Sociedade, temos enfrentando nossos dramas cotidianos e repetitivos.

Facadas e mortes na cidade maravilhosa sao noticias que estarrecem mas onde está a novidade? Talvez no fato de que agora os meliantes sem escolaridade e sem valores de respeito a vida, alcancem em plena Lagoa Rodrigo de Freitas, cartão postal do Rio que será sede em 2016 das Olimpiadas, para roubarem uma bicicleta e ferir mortalmente um médico que praticava seu exercicio físico diário.

Este mesmo médico era homem que atendia no hospital da UFRJ e segundo sua família era emocionalmente tocado pela pobreza dos seus pacientes e vivia pagando do seu próprio bolso, os remédios quando estes faltavam e os doentes não tinham condições para adquiri-los. Ele foi abatido com facadas e morreu aos Cinquenta e poucos anos, levando consigo o idealismo de muitas gerações. O roubo da sua bicicleta representa o assalto aos sonhos de futuro para um país inteiro.

Emblemático observar o noticiario que mostra e desmascara a corrupção persistente e o descaso também persistente para as tragédias que ocorrem nas areas de atendimento basico de saúde e o acesso justo a uma educação de qualidade que ofereca oportunidades de ingresso no mercado de trabalho aos jovens das periferias.

Mas os exemplos que vem de cima e são veiculados pelas televisões mostram os golpes nas Comunidades como Paraisopolis ou Rocinha, e mais golpes de alto padrão na Petrobras ou Congresso Nacional ou até no Poder Judiciário que também tem seu quinhão de venda de pareceres ou engavetamento de ações.

O médico idealista morreu vítima de um sistema viciado, doente , falho, injusto, e o jornal televisivo anuncia que foi preso um dos menores responsaveis por sua morte. Segundo as informações este menor ja teria mais de 15 passagens pela Polícia.

Ao mesmo tempo, as chamadas apontam que a décima terceira fase da Operação Lava Jato foi desfechada . Mais empresários presos e valores milionarios pagou como propinas a Executivos que provavelmente não são e nunca foram tão idealistas quanto ao médico martir que viveu do seu trabalho e pagou muitas vezes medicamentos, que na verdade nunca teriam faltado nos estoques do hospital público se alguém tivesse gerido bem a área de saúde.

Mas, fazer o que? Nossos politicos em sua maioria, se distanciam dos ideais de vida decente e sao garfados pela prática da negociação corrompida que se converte em valores de bilhões de bicicletas , trilhões de livros, toneladas de medicamentos, investimentos na qualificação e salarios de professores e médicos, e ainda na astronômica publicidade que sustenta as redes de comunicação que por sua vez nos entopem com o tema de suas novelas uma ode ao crime, ao ódio e ao roubo de ideais.

Dr. Jaime Gold leva com ele o ideal da Pátria igualitária que ainda está distante no tal pais do futuro. Sua morte simboliza a falencia clara do Brasil que idealizamos.

Sonhando apenas não chegaremos a lugar algum. Ha muito a fazer e muito a pensar para mudar o rumo de um Brasil que não pode ser conhecido como Pátria de chuteiras ou pais das facadas. Pátria dos golpes?

Os homens maduros e letrados dão facadas no Mensalão e no Petrolão . Os menores analfabetos ou alfabetos funcionais esfaqueiam idealistas enquanto todos nos sangramos nossas decepcões com o rumo dos três poderes que nos representam nos enganando com seus golpes, roubos e falas decoradas.

Sobre o cadáver do médico idealista derramemos lágrimas desperdiçadas por enquanto. Porque há de surgir uma luz na escuridão poíitico – social em que estamos mergulhados. O Brasil sonhado segue sendo mesmo um sonho distante. Com ideais esfaqueados. Que a alma do dr. Jaime descanse em paz.
E que o Brasil do futuro ainda possa algum dia honrar sua Memória.

Cida Torneros é jornalista e escritora. Mora no Rio de Janeiro. Editora do Blog da Mulher Necessária, onde este artigo foi publicado originalmente.

Be Sociable, Share!

Comentários

Cida Torneros on 27 Maio, 2015 at 11:02 #

Bom dia, Caro Vitor e toda turma do BP. Tempos difíceis aqui, ali e acola . Mas, sigamos em frente porque a fe não nos pode faltar, como canta Gil. Abraços


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos