DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

A sinceridade coletiva na reorganização popular

“Não podemos fazer qualquer recuo neste momento em que somos perseguidos muito mais pelos acertos dos governos do PT, que mudaram a realidade social da Bahia e do Brasil”, disse o deputado Marcelino Galo no ato de lançamento do manifesto de setores do partido intitulado “Avante, camaradas”.

Homem de ideias respeitáveis, que os brasileiros sedentos de justiça social gostariam de ver aplicadas no país, o parlamentar, no entanto, não pode simplesmente relevar o grave erro de conduta das mais altas instâncias petistas, que macularam a imagem e a história do partido de modo, parece, irremediável.

Sem a autêntica raiz popular, que um dia teve, o PT tornou-se uma legenda absolutamente comum, incapaz de capitanear um processo de transformação que venha da alma ideológica e possa agregar, pela credibilidade, outros setores eventualmente focados em igual objetivo.

Sem essa sinceridade coletiva, é lamentável, mas projetos políticos de esquerda com verdadeiro cunho popular não vão a lugar nenhum. Será preciso muito tempo e debate para se pensar concretamente na reorganização de um sistema de forças desgraçadamente dispersas nos anos recentes.

Be Sociable, Share!

Comentários

Taciano Lemos de Carvalho on 25 Maio, 2015 at 8:31 #

A minha preocupação, e temor, é se ainda é possível salvar o partido, fazê-lo retornar ao seu ideário, ao seu programa, e principalmente à prática dos anos 80. Ou, como diz a sabedoria popular —e comprovada pela Ciência— não adianta querer salgar carne podre. Pode até enganar o freguês na hora da venda. Mas continuará podre.

Afinal, no caso tratado no artigo de Luís Augusto Gomes é a parte majoritária da carne que apodreceu.

Que tal o Galo ir cantar em outro terreiro?


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos