maio
06

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA ( DOS JORNALISTAS DIOGO MAINARDI E MARIO SABINO)

A Petrobras despencou 386 posições no ranking das maiores empresas do mundo, divulgado pela revista americana Forbes. Saiu da 30ª colocação para a 416ª posição em um ano…

O valor de mercado praticamente caiu à metade: de 86,8 bilhões de dólares para 44,4 bilhões de dólares.

Em 2011, a Petrobras ocupava a 8ª posição no ranking da Forbes.

O vexame da Petrobras tem nome, sobrenome e lado: Dilma — Pam! — Rousseff — Pam! — do PT — Pam!

A gravaçãõ ao vivo foi feita durante espetáculo de gala da televisão da Alemanha. Fantástica pela vibração geral do artista, da orquestra e do auditório.
Vai para Regina, em Santa Rosa, vales de Napa e Sonoma, em tempo de seca, enquanto chove torrencialmente no Recôncavo da Bahia.

BOA TARDE A TODOS!!!

(Vitor Hugo Soares)


O aqueduto que abastece Los Angeles, na segunda-feira.
/ REUTERS

DO EL PAIS

Pablo Ximénez de Sa

De Los Angeles

As autoridades hídricas da Califórnia aprovaram nesta terça-feira, após uma longa reunião, um inédito racionamento de água em áreas urbanas. O Conselho de Recursos Hídricos acatou a proposta do governador Jerry Brown, obrigando o conjunto das cidades a reduzir em 25% o seu consumo de água com relação a 2013. Trata-se do primeiro racionamento compulsório na história da Califórnia. Mas não será um corte uniforme. As agências hídricas locais serão obrigadas a reduzir o consumo entre 8% e 36%, de acordo com o volume usado no último verão. As prefeituras serão obrigadas a tomar medidas como substituir gramados por outros tipos de jardins, impedir a rega desnecessária e incentivar a substituição de encanamentos antigos por tubulações que gastem menos.

Na mesma reunião, as autoridades hídricas informaram que a redução do consumo no Estado em março foi em média de 3,6% em relação aos níveis de 2013. Ao todo, a queda no último ano foi de 9%, bem aquém das metas determinadas pelo Governo estadual.

A Califórnia entrou oficialmente em seu quarto ano de seca —há um mês, o democrata Brown comunicou que as reservas de neve acumuladas durante o inverno boreal (que representam 30% da água para o consumo humano no Estado) estavam em apenas 5% da média acumulada normalmente nesta época do ano. Brown então ordenou uma redução de 25% no consumo em relação aos níveis de 2013. No começo de 2014, Brown declarou estado de emergência por causa da seca e pediu uma redução “voluntária” de 20% no consumo de água. Foi ignorado. Só neste ano começou a ser observada uma verdadeira conscientização da população.

Não estão claras quais ferramentas a autoridade hídrica estadual dispõe para impor as restrições. O fornecimento de água depende de mais de 400 agências locais, algumas delas contrárias aos cortes. Não há recursos suficientes para vigiar quando se rega cada gramado. Brown disse na semana passada que cogita multar em até 10.000 dólares (cerca de 30.000 reais), mas uma medida dessas precisa ser previamente aprovada na Assembleia Legislativa. Outra estratégia seria escalonar a cobrança da água, tornando-a mais cara para quem consome mais. Mas esse sistema foi declarado ilegal por um juiz de San Juan Capistrano, ao sul de Los Angeles, o que abriu um precedente que pode inviabilizar uma das fórmulas mais efetivas para incentivar a economia de água.

O governador Jerry Brown cogita aplicar multas de até 10.000 dólares

As medidas de Brown estão sendo criticadas por se centrarem exclusivamente no âmbito urbano. As lavouras da Califórnia, que é a principal potência agrícola dos EUA, consomem 80% da água do Estado. Brown defendeu as medidas afirmando que os cortes de abastecimento nas áreas rurais acarretariam quebras de safras e perdas de empregos, ao passo que nas cidades há margem para uma redução no uso pessoal. Dentro do consumo urbano, os usos fora da casa representam 50% a 80% do total, um dado que os integrantes da autoridade hídrica usaram na terça-feira para justificar a cruzada contra os jardins verdes.

O racionamento atingirá diretamente um dos ícones do estilo de vida do sul da Califórnia: ter gramado e piscina em pleno deserto, o que só é possível graças a gigantescas obras de engenharia realizadas na primeira metade do século XX, permitindo desviar água das montanhas do norte para as zonas urbanas. O Estado agora parece ter se conscientizado de que o sistema não continuará funcionando. O Governo relaciona diretamente a atual seca à mudança climática e promete que as medidas adotadas não servirão apenas para paliar os efeitos da escassez atual, mas também para mudar de forma permanente a atitude dos californianos com relação à água.

As medidas foram criticadas por se centrarem exclusivamente no âmbito urbano. As lavouras da Califórnia respondem por 80% do consumo de água no Estado

Nesse sentido, Brown já havia assinado em 16 de abril uma medida provisória estadual que visa a reduzir em 40% até 2030 as emissões de gases de efeito estufa em relação aos níveis de 1990. É o objetivo mais ambicioso já adotado nos EUA na luta contra a mudança climática, duplicando a meta estabelecida pelo ex-governador republicano Arnold Schwarzenegger. A redução das emissões se tornou uma bandeira para políticos de ambos os partidos no Estado mais populoso dos EUA, e Brown fez da luta contra a mudança climática uma das prioridades de seu quarto e último mandato.

maio
06

DEU NO PORTAL EUROPEU TSF

No final de abril, uma mulher atirou uma manga a Nicolás Maduro, durante uma visita a Anzoategui. Na manga havia uma mensagem, um nome e um número de telefone: “Se puder ligue-me”.

Marleny Olivo queria uma casa e pediu-a ao presidente, de uma forma insólita. E Maduro, que foi quem revelou a história, anunciou pouco depois que Marleny ia ganhar uma casa.

Agora Nicolás Maduro transforma-se em personagem de videogame. Quem acertar com mais mangas em Maduro ganha uma casa virtual.

“Maduro Mango Attack”, que já está disponível para descarregar nas lojas virtuais, foi desenvolvido por dois jovens emigrantes venezuelanos na Argentina, Fernando Malave e Gabriel Díaz, que dizem ter-se inspirado na realidade do país.


Protesto na varanda contra o PT.

DO JORNAL ESPANHOL EL PAIS

Gil Alessi

De São Paulo

Quem assistiu ao programa institucional do PT na TV transmitido na noite desta terça-feira pode ter percebido uma ausência eloquente. Enquanto o ex-presidente Lula e o presidente nacional do partido, Rui Falcão ocuparam quase a metade da propaganda partidária, a presidenta Dilma Rousseff apareceu por dois ou três segundos – o telespectador que piscou pode ter perdido a cena. Desde os panelaços registrados durante as aparições da presidenta na TV, o partido tem mantido ela fora do foco para evitar mais desgaste à sua imagem. Prova disso é o tradicional discurso presidencial de 1o de maio, que este ano migrou para a Internet. Mas isso não foi o suficiente para evitar que o fenômeno se repetisse: os dez minutos de rede nacional do partido foram acompanhados pelo som de panelas batendo e buzinas soando em vários bairros de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília.
mais informações

O escândalo da Lava Jato – que não foi citado nominalmente no programa da TV – deu origem e uma nova diretriz partidária anunciada por Falcão: “Qualquer petista que cometer mal feitos ou ilegalidades não continuará nos quadros do partido”, afirma. Segundo ele, petistas que “ao final do processo” forem julgados culpados serão expulsos. A medida seria uma novidade na legenda, já que petistas históricos como José Dirceu e Delúbio Soares, condenados no mensalão, não foram expulsos. João Vaccari Neto, que era tesoureiro do partido até o dia 15 de abril, quando foi preso por suspeita de envolvimento no caso de corrupção da Petrobras, é um dos petistas que serão julgados no caso. “Mas precisamos ter consciência que há integrantes de vários partidos sendo investigados, inclusive da oposição”, seguiu Falcão, sobre o escândalo.

Em seguida, o locutor da propaganda diz que o PT foi responsável por “outra virada histórica do Brasil”, que é a “luta contra a corrupção”. Segundo ele, o partido foi responsável por iniciativas que “acenderam as luzes” sobre fatos que os governos anteriores “faziam questão de esconder”: “antes do PT não havia lei da ficha limpa, portal da transparência, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal não tinham autonomia para trabalhar”.

Enfrentando grave crise de imagem, o partido tentou reenergizar parte da sua militância em torno de temas como rechaço à ampliação da terceirização e à redução da maioridade penal, ambas em tramitação no Congresso, e com citações à aprovação de impostos sobre grandes fortunas, grandes heranças e ganhos especulativos _o partido não apresentou essas propostas no Congresso, tampouco o Governo fez referência a elas. Lula, um provável nome do PT em 2018, foi o escalado para criticar o projeto de lei 4330, da terceirização, que já foi aprovado na Câmara: “Esse projeto faz o Brasil voltar no tempo, voltar para o século passado, quando o trabalhador era um cidadão de terceira classe. Não vamos permitir isso”.

Antes do PT não havia lei da ficha limpa, portal da transparência, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal não tinham autonomia para trabalhar”

O partido também voltou a culpar a crise econômica mundial pelo fraco desempenho da economia, com o aumento da inflação no país e o baixo crescimento do PIB. Na voz de um personagem fictício, o programa afirma que “existe uma crise, mas não como antigamente”.

Os apresentadores da propaganda também abordam o tema. “A crise mundial mostrou que até a Europa e os Estados Unidos estão sujeitos a momentos de instabilidade”, afirma um deles. “Mas o importante é ter a condição necessária para superar estas dificuldades. E o Brasil atingiu esse patamar”. Mais adiante, o programa afirma que no ajuste fiscal defendido pelo Governo, que começou a ser votado nesta terça na Câmara, não serão cortados “direitos dos trabalhadores”.

O novo panelaço contra o PT foi convocado nas redes sociais, entre outros, pelo grupo anti-Dilma e pró-impeachment Vem Pra Rua e mostra as dificuldades do partido por causa especialmente dos escândalos de corrupção, ainda que aconteça no mesmo dia em que um dos pivôs da investigação da Lava Jato, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, repetiu que o esquema de desvios envolvia mais siglas, como citou Falcão. Em novo depoimento à CPI do caso, Costa, que fez acordo de delação premiada, disse que o esquema de corrupção envolvia o PT, mas também foi utilizado pelo PP, PMDB e até pelo falecido senador tucano Sergio Guerra. “Por que uma empresa vai doar R$ 20 milhões para uma campanha se ela não tiver algum motivo na frente pra cobrar isso?”, disse Costa, acrescentando que as doações legais das empresas a todos os partidos são “hipocrisia”.


BOM DIA !!!


Na hora do panelaço em Salvador

=========================================================

DEU NO PORTAL DE A TARDE

Da Redação

O panelaço voltou. Nesta terça-feira, 5, moradores de diversos bairros de Salvador se manifestaram durante o horário político do Partido dos Trabalhadores (PT), veiculado a partir das 20h30 na televisão.

Por meio das redes sociais, foi possível verificar que as manifestações aconteceram pelo menos nos bairros da Barra, Federação, Vitória, Graça, Ondina, Pituba, Costa Azul, Itaigara, Alphaville e Imbui.

O programa do partido teve duração de 10 minutos e mostrou realizações do PT durante os últimos 12 anos na presidência da República do país. O ex-presidente Lula e o atual presidente do partido Rui Falcão falaram no horário político.

maio
06
Posted on 06-05-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 06-05-2015


Jarbas, no Diário de Pernambuco


Capinan no Muncab em Salvador:interditado

DEU NA TRIBUNA DA BAHIA

As fortes chuvas que caíram sobre Salvador atingiram o Museu Nacional da Cultura Afro Brasileira/ Muncab, no Centro Histórico da cidade, causando danos nas áreas expositivas, com infiltrações e alagamentos, prejudicando suas estruturas.

As peças artísticas não chegaram a ser atingidas, contudo, e estão sendo removidas para a área técnica. Em função do ocorrido, o museu precisou ser interditado para visitação.

Em recente audiência com o ministro Juca Ferreira, da Cultura, o Muncab, através do seu guardião, o poeta e compositor Jose Carlo Capinan, apontou as principais ações para continuidade das obras e a finalização do projeto, prevista para julho de 2016, incluindo o processo de federalização do museu.

No momento, os recursos para custeio do projeto estão esgotados e existe a ameaça de demissão dos poucos funcionários contratados para segurança e manutenção do prédio, assim como a dispensa do já resumido corpo técnico.

O Muncab tem reunião prevista, em caráter emergencial, com o Instituto Brasileiro de Museus/ Ibram, em junho, visando agilizar as providências da pauta aprovada no encontro com seu presidente Carlos Brandão e o Minc

  • Arquivos