abr
22
Postado em 22-04-2015
Arquivado em (Artigos) por vitor em 22-04-2015 11:23

DO JORNAL DO BRASIL (ONLINE)

A diretoria da Petrobras apresentará, nesta quarta-feira (22), as demonstrações contábeis do 3º trimestre de 2014 revisadas pelos auditores independentes e as demonstrações contábeis auditadas do exercício de 2014, a partir das 18 horas.

Após a apreciação da matéria pelo Conselho de Administração, haverá uma apresentação e uma entrevista coletiva à imprensa.

Petrobras esclarece silêncio a respeito de pagamentos da SBM

A empresa esclareceu que “continua a apurar a existência de indícios de atos impróprios por parte de empregados ou ex-empregados e a colaborar com o CGU, MPF, Polícia Federal e TCU”, segundo nota divulgada nesta segunda-feira (20). O comunicado se deu em resposta a especulações de que a empresa teria “blindado” desvios de dinheiro no grupo SBM Offshore.

A empresa declarou que colaborou com as investigações repassando as informações apuradas tanto por sua Comissão Interna de Apuração quanto as que surgiram posteriormente para as autoridades públicas competentes.

No dia 23 de maio de 2014, por meio de um telefonema do presidente (CEO) da SBM, a Petrobras recebeu as informações de que o Ministério Público holandês havia confirmado transferência de valores de uma conta de propriedade do representante comercial da SBM no Brasil para um de seus empregados ou ex-empregados, não identificado.

Mesmo sem ter uma confirmação por escrito do presidente da SBM, a empresa encaminhou essa informação na mesma data para a CGU e, no dia 26 de maio 2014, ao Ministério Público Federal do Rio de Janeiro. O processo foi declarado sigiloso pelo MPF, impedindo que a Petrobras se manifestasse publicamente sobre o assunto, “a fim de não atrapalhar as investigações”.

Posteriormente, em 27 de maio de 2014, a SBM encaminhou carta confirmando as informações de que o Ministério Público holandês havia identificado transferência de valores de uma conta de propriedade do representante comercial da SBM no Brasil, para um dos empregados ou ex-empregados da petroleira, não identificado. Segundo a nota, a carta também foi encaminhada imediatamente para as autoridades públicas competentes, e a empresa suspendeu a participação da SBM em seus processos licitatórios até o fim das investigações oficiais.

As informações vieram a público apenas no dia 12 de novembro de 2014, por iniciativa da própria SBM, informando a existência de pagamentos indevidos no Brasil. A SBM também assinou um memorando de entendimento com a CGU como primeira etapa possível para um eventual acordo de leniência, onde se obriga a informar os nomes para quem pagou propina.

A nota também pontua que “o ex-empregado Pedro Barusco já assumiu no termo de delação premiada que recebeu valores indevidos de Júlio Faerman, representante da SBM no Brasil”

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos