Viva a Armênia e seu povo massacrado, mas imbatível e ressurgente. Viva Aznavour o grande artista resistente da Armênia , voz da França e do mundo.

BOA TARDE!!!

(Vitor Hugo Soares)

abr
20

DEU NO CORREIO24HORAS

Da Redação

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse neste final de semana que seria uma “precipitação” abrir processo de impeachment contra Dilma Rousseff neste momento. A fala do ex-presidente aconteceu no Fórum de Comandatuba, no sul baiano.

(Foto: Arquivo ABr)

“Como um partido pode pedir impeachment antes de ter um fato concreto? Não pode!”, criticou FHC, segundo a Folha. “Impeachment não pode ser tese. Ou houve razão objetiva ou não houve razão objetiva. Quem diz se é objetiva ou não é a Justiça, a polícia, o tribunal de contas. Os partidos não podem se antecipar a tudo isso, não faz sentido”, complementou, sem citar diretamente seu partido, o PSDB.

O PSDB encomendou pareceres de juristas sobre a viabilidade de se pedir o impeachment de Dilma Rousseff. Um dos motivos poderia ser possíveis irregularidades em manobras fiscais feitas pelo governo em 2014, para “fechar as contas” do ano.

FHC também rebateu afirmação do ministro Luís Inácio Adams, da advocacia-geral, de que essas manobras também foram feitas pelo governo tucano. “Eu não sei essa mecânica do dia a dia, mas duvido que tenha havido alguma coisa desta magnitude. Certamente não. E, se foi feito, foi errado. Um erro não justifica o outro”, disse FHC.

Manifestações

Para o ex-presidente, é preciso cautela do PSDB em relação aos movimentos de ruas que pedem a saída do governo Dilma.”É preciso respeitar a natureza desses movimentos. Se esses movimentos acharem que um partido qualquer vai querer capturá-los, eles vão embora. Não é um processo manipulável por partidos”, disse.

FHC também falou sobre a maioridade penal, dizendo ser arriscado uma redução no Brasil. “Eu acho a redução arriscada. Se você reduz para 16 anos, aí o bandido vai pegar uma criança de 15 anos para dizer que não é culpado”, afirmou.

Você já foi a Paris em Abril?

Não? Então vá.É incrível. Uma sensação impossível de repetir, como nos versos da canção.

Não perca tempo, porque já estamos no dia 20 do maravilhoso mês das castanheiras em flor da Cidade Luz

Se você perder esta oportunidade, outra só aparecerá no ano que vem.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

abr
20


DEU NO POR ESCRITO (BLOG DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

OPINIÃO

Condições para o “impeachment” de Dilma…

Com situação política apresentando uma nova face a cada dia e o cenário econômico não sendo dos mais promissores, o Brasil caminha para um impasse institucional que pode causar sérios abalos sociais.

Antes uma bandeira levantada em manifestações ou uma declaração de algum político oportunista, a perspectiva de impeachment da presidente Dilma Rousseff chega, por altas autoridades, à etapa da materialização do crime de responsabilidade que ela teria cometido.

A atual presidente mostrou incúria quando foi ministra das Minas e Energia e presidente do Conselho de Administração da Petrobras, tendo contribuído para o quadro atual da estatal, com responsabilidade direta na simbólica compra da refinaria de Pasadena.

Na presidência da República, o defeito foi a falta absoluta de aptidão para o cargo, que exigiria qualidades de gestão que não demonstrou e, sobretudo, pendores políticos igualmente não revelados.

Está, assim, descrito um quadro que pode, no meio político, ao qual cabe a decisão soberana nesse tipo de processo, exacerbar um movimento para o afastamento da presidente, cujo partido dá sinais de enfraquecimento e perda de respaldo.

…esbarram na hipótese de Temer no Planalto

Esse roteiro, entretanto, tem um obstáculo poderoso. Recordemo-nos de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que tem a prerrogativa de acolher ou rejeitar um pedido dessa natureza, disse, logo após assumir o cargo, há cerca de três meses, que não via motivos para um processo contra Dilma.

Com a postura pacificadora, aparentando magnanimidade, pois é sabido adversário da presidente, Cunha apenas comportou-se dentro do seu figurino. Derrubar um governo dá muito mais trabalho e é muito mais imprevisível do que controlá-lo e dele obter vantagens.

Nas ruas, a sociedade demonstra uma fobia de partidos políticos, embora, paradoxalmente, uns sejam o retrato da outra. Sai-se gradativamente do alheamento completo, e a esta altura é improvável que a população concorde em tirar Dilma da cadeira para nela colocar Michel Temer e o PMDB.

O impeachment não deverá passar porque a deteriorada cúpula política do país chegará à conclusão de que, se o levar adiante, será para a convocação de eleições presidenciais no prazo de 90 dias a partir da posse do presidente interino, o próprio Cunha, o que valer dizer: também Temer teria de ser cassado.

Na eventual impossibilidade de encontrar-se no palheiro das motivações jurídicas um fato para que toda a chapa fosse considerada ilegal, os atuais senhores da República prefeririam continuar com as rédeas até o fim de Dilma e ver o que Deus lhes reserva para depois.

abr
20
Posted on 20-04-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 20-04-2015


Fernandes, no Diário do ABC (SP)


Rodoviários no enterro do cobrador

——————————————————————-

Ônibus param em Salvador durante enterro

DEU NO CORREIO

Da Redação

O corpo do cobrador Everaldo de Oliveira Silva, morto depois de ter o corpo queimado em um ataque a ônibus na Ribeira, foi sepultado no final da tarde deste domingo (19) no Cemitério Campo Santo, na Federação. Em protesto depois da morte do colega, rodoviários pararam as atividades às 17h de hoje para participar do sepultamento. Uma fila de ônibus se formou na ladeira do Campo Santo – os coletivos que fazem linha do bairro da Ribeira foram até o local e ficaram ali até depois do sepultamento.

No enterro, amigos e colegas cobravam justiça e acusavam as empresas de ônibus de não oferecer segurança aos rodoviários, só se preocupando com o estado dos ônibus. A fila de ônibus na Federação chegou até a Politécnica, da Ufba. Por volta das 19h, uma fila de ônibus parados também eram vistos na avenida Vasco da Gama. Alguns rodoviários na Estação da Lapa também não tinham voltado a circular até por volta das 19h30. Em outros pontos da cidade, os coletivos voltaram a rodar.

Apesar de correntes em redes sociais afirmando que vai haver paralisação de ônibus nesta segunda, o Sindicato dos Rodoviários afirma que o movimento será normal. Segundo Fábio Primo, vice-presidente do sindicato, o que aconteceu hoje foi uma manifestação de luto pela perda do colega e nesta segunda não há previsão de paradas. “O sindicato descarta qualquer possibilidade de paralisação. Se tiver algo, não será da parte do sindicato”, afirma.

Roque Messias, diretor da Associação da Comissão da União dos Rodoviários da Bahia, também nega qualquer paralisação. “Não tem nada programado para amanhã. Na próxima quarta a gente tá programando um encontro na frente do Iguatemi, porque haverá uma reunião no Setps sobre o dissídio, mas é um encontro da categoria para mostrar que estamos aqui, não vai mexer com o movimento, com a atividade operacional”, garante.

No próprio enterro, em meio à comoção, alguns rodoviários falavam que a categoria deveria parar e exigir segurança. Durante o sepultamento, eles cantavam “ô, rodoviário parou, rodoviário parou”. O cemitério estava lotado e a filha de Everaldo passou mal durante o enterro.

Morte

Everaldo de Oliveira Silva, 62 anos, morreu por volta das 4h deste domingo,
após ter 75% do corpo queimado durante um protesto no bairro da Ribeira, no dia 3 de abril. Ele estava internado no Hospital Teresa de Liseux, onde já tinha passado por uma cirurgia para reconstrução da pele.

De acordo com testemunhas, os homens que atearam fogo ao veículo estavam vestidos com camisas com a foto do garçom e porteiro Fabiano Santos Souza, 28 anos, encontrado embaixo de um viaduto na Baixa do Fiscal no dia 2 de abril.

Ninguém foi preso pelo crime.

* Com informações da repórter Thais Borges

  • Arquivos