abr
06

Por Flávia Foreque, da Folha


Questionado sobre críticas recentes que fez ao Executivo, o novo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmou que não considera ter aderido ao governo da presidente Dilma Rousseff, mas “convidado (…) para desempenhar determinado papel e para contribuir [com a área]”.

“Se você faz críticas e é convidado a tentar resolver problemas que criticou, que direito tem de recusar?”, questionou nesta segunda-feira (6) em sua primeira coletiva de imprensa. O filósofo apontou ainda “sinal de grandeza” da presidente Dilma em ter em sua equipe alguém que apontou falhas em sua gestão.

Em entrevista à revista “Brasileiros” publicada em março, o professor da USP afirmou que o governo federal tem atualmente uma concepção de que “não precisa prestar contas à sociedade. É isso que a Dilma está mostrando. Uma concepção de governo muito inquietante, porque é, no limite, autoritária.”

Ele disse que não recebeu “nenhuma orientação” do Planalto sobre sua postura a partir de agora, à frente da pasta que carrega o lema do segundo mandato da presidente Dilma, Pátria Educadora. “Evidentemente que a partir do momento que estou no governo, tenho que pautar minha ação em acordo com o governo e se tiver críticas, serão dirigidas internamente”.

LEIA MAIS NA FOLHA.

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 7 Abril, 2015 at 8:31 #

O ego é estufado

A bazófia trepidante.

É apenas mais um nomeado pela tal Dona
Dilma, o que, por certo, não qualifica ninguém.

Cheira a Jatene este ministro, aquele cuja passagem pela esplanda só resultou em novo imposto.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos