DEU NO POR ESCRITO (BLOG DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Na tentativa de confundir a opinião pública, dois sofismas gosta de usar o governismo quando trata do escândalo da Petrobras e das manifestações populares contra a presidente Dilma, que têm forte vínculo, justamente, com as revelações da Operação Lava-Jato.

O primeiro é dizer que “a Petrobras não pode ser atingida por atos de seus dirigentes”, como se alguém estivesse querendo levar a estatal ao banco dos réus, julgá-la e puni-la, provavelmente com a privatização a preço de banana.

O que a nação realmente deseja – e assim está sendo verbalizado pelo Ministério Público e pela Justiça Federal – é que sejam apuradas as ilegalidades e responsabilizados seus autores. Nada mais meridiano em países democráticos e civilizados.

Por outro lado, refutar a mobilização nas ruas e nas redes sociais com o argumento de que “a ninguém interessa a ditadura” ultrapassa a fronteira do primarismo, porque não há no Brasil a menor possibilidade de solução política fora da Constituição.

Transformar meras opiniões de lunáticos, saudosistas e analfabetos políticos na perspectiva real de tomada do poder por um golpe militar é fingir não compreender a conjuntura, que não comporta tal “saída” para um país continental, aberto e com 200 milhões de habitantes.

Be Sociable, Share!

Comentários

jader on 6 Abril, 2015 at 12:31 #

luis augusto on 6 Abril, 2015 at 13:54 #

Graças a Deus, um, jamais votei em Imbassahy, e, dois, não citei a CPI da Petrobras. O resto reitero.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos