Um samba grandioso usado como tema musical de um governo cada vez menor.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

mar
26


DEU NO EL PAÍS

Rodolfo Borges

De São Paulo

Um dia depois de o Palácio do Planalto anunciar a demissão de Cid Gomes do Ministério da Educação, após bate-boca do então ministro com deputados na Câmara, a presidenta Dilma Rousseff negou a intenção de promover uma reforma ministerial. “Vocês [imprensa] estão criando uma reforma que não existe (…) Eu não tenho perspectiva de alterar nada, nem ninguém, mas as circunstâncias às vezes obrigam você a alterar”, disse a presidenta na semana passada. Pois as circunstâncias levaram o Planalto a anunciar nesta quarta-feira em nota que “a presidenta Dilma Rousseff aceitou hoje, 25, o pedido de demissão do ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Thomas Traumann”.

A demissão de Traumann foi anunciada em meio à polêmica que se seguiu ao vazamento de uma análise interna em que o então ministro falava sobre o “caos político” no país e criticava a “comunicação errática” do Governo. O documento, publicado pelo jornal O Estado de S.Paulo, ainda mencionava a utilização de robôs durante a campanha presidencial de 2014. A revelação das informações levou o senador oposicionista Aloysio Nunes (PSDB) e pedir a convocação de Traumann para prestar esclarecimentos no Congresso Nacional.

Minutos depois do anúncio de sua demissão, Traumann publicou em seu perfil no Twitter a letra de uma música de Paulinho da Viola chamada “Novos Rumos”, que diz “vou imprimir novos rumos ao barco agitado que foi minha vida”. A letra segue em um segundo tuíte: “Fiz minhas velas ao mar/ Disse adeus sem chorar/ E estou de partida”; e em um terceiro “Todos os anos vividos/ São portos perdidos que eu deixo para trás/ Quero viver diferente/ Que a sorte da gente/ É a gente que faz”.

A exemplo do que ocorreu no anúncio da demissão de Cid Gomes — cujo cargo de ministro ainda está vago —, o Governo não anunciou quem deve substituir Traumann. Nomes como os dos jornalistas Kennedy Alencar e Eduardo Oinegue já vinham sendo cotados para o cargo antes mesmo do anúncio da demissão. Quando ocorrer, a substituição na Secretaria de Comunicação Social será a terceira do segundo mandato de Dilma na Esplanada dos Ministérios. No início de fevereiro, o professor Mangabeira Unger retornou ao comando da Secretaria de Assuntos Estratégicos no lugar de Marcelo Néri. Unger havia ocupado o posto durante o Governo Lula (2003-2010), de 2007 a 2009.

Apesar de a presidenta negar intenção de promover uma reforma na Esplanada, outras mudanças são esperadas para os próximos dias. As especulações dão conta de que o ex-presidente da Câmara Henrique Alves pode assumir o Ministério do Turismo, enquanto o criticado ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, pode perder força na articulação política para o ministro da Defesa, Jaques Wagner.

O posto de ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social — responsável pelo contato do Planalto com a imprensa, por elaborar estratégias de comunicação e por gerir as redes sociais da Presidência — não tem o mesmo peso que o do ministro da Educação em um Governo que pretende se notabilizar como promotor da “pátria educadora”, no slogan lançado pela presidenta em seu discurso de posse para o segundo mandato. A própria Dilma, contudo, já vinha cobrando de seus subordinados uma melhora na comunicação de Brasília, e a queda de mais um ministro não ajuda em nada a melhorar o clima de um Governo que amarga baixa popularidade por denúncias de corrupção na Petrobras e por conta de ajustes econômicos que a presidenta havia prometido evitar durante a campanha do ano passado

mar
26
Posted on 26-03-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 26-03-2015


Aroeira, no jornal Brasil Econômico

mar
26
Posted on 26-03-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 26-03-2015

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA ( DOS JORNALISTAS MARIO BONFIM E DIOGO MAINARDI)

Avisado por leitores, O Antagonista deu uma espiada no twitter de Thomas Trautmann. Ele afoga as mágoas no sambinha.

Veja o que ele escreveu:

“Vou imprimir novos rumos

Ao barco agitado que foi minha vida

Fiz minhas velas ao mar

Disse adeus sem chorar

E estou de partida

Todos os anos vividos

São portos vividos que eu deixo para trás

Quero viver diferente

Que a sorte da gente

É a gente que faz”

É letra de Novos Rumos, de Paulinho da Viola.

Em resumo, o ex-ministro quer dizer que naufragou no mar de lama e teve de enfiar a viola no saco. Eu, Mario, sempre tive de editar Thomas Traumann.

DEU NO ESTADÃO

PARIS – Gravações de voz do Airbus A320 da companhia alemã Germanwings, que caiu na terça-feira matando 150 pessoas, indicam que um dos pilotos estava trancado do lado de fora, incapaz de entrar na cabine de comando. As informações foram divulgadas pelo jornal New York Times, que ouviu um oficial militar que participa das investigações.

O militar descreve um diálogo “normal” entre os pilotos nas primeiras horas de voo. Então, o áudio revela que um deles deixou a cabine e não conseguiu voltar. “Primeiro, ele bate suavemente na porta, mas não tem resposta. Depois, ele passa a tentar arrombar a porta, mas nunca obteve resposta”, disse o militar ouvido pelo Times.

Investigadores disseram ontem que o Airbus não explodiu antes de colidir com uma montanha nos Alpes do sul da França. A conclusão é uma das poucas certezas que peritos do Escritório de Investigações e Análises para a Segurança da Aviação Civil (BEA, na sigla em francês) têm sobre a tragédia.

Apesar de os especialistas não descartarem nenhuma hipótese, o Ministério do Interior da França disse que a possibilidade de terrorismo “não é a mais provável”. O mistério em torno da queda do voo da Germanwings, que ia de Barcelona, Espanha, a Dusseldorf, Alemanha, permanecia ontem, apesar de peritos franceses e alemães terem conseguido extrair de uma das caixas-pretas as gravações das conversas entre os pilotos. A caixa-preta (CVR) foi localizada na terça-feira e está sob análise na sede do BEA, em Le Bourget, nas imediações de Paris. A direção da entidade pediu paciência. “É preciso aguardar alguns dias para efetuar uma primeira transcrição das conversas dos pilotos e várias semanas para que ela seja muito precisa”, disse o diretor do BEA, Rémi Jouty.

Por isso, segundo o chefe da perícia, ainda não há “a mínima explicação” sobre as causas do acidente. “Não estamos em condições de ter a menor explicação ou interpretação sobre as razões que levaram o avião a descer e as razões pelas quais ele continuou a descer, infelizmente, até o relevo, da mesma forma que as razões pelas quais ele parece não ter respondido às tentativas de contato do controle aéreo”, afirmou Jouty.

O BEA informou ainda que é cedo para afirmar que os dois motores tenham se desligado, contribuindo para a descida do avião, de 11,4 mil metros de altitude para cerca de 1,5 mil em apenas oito minutos. “O avião voou até o fim. Os destroços não são nada característicos de um avião que explodiu em voo”, informou Jouty. Mais cedo, Bernard Cazeneuve, ministro do Interior, foi enfático em dizer que a “hipótese de terrorismo não é a mais provável, mas também não está descartada”.

Ainda ontem, o presidente da França, François Hollande, visitou o local do acidente com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o premiê da Espanha, Mariano Rajoy.


Thomas Traumann de saída: “novos rumos”

Thomas Traumann, ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, entregou nesta quarta-feira sua carta de demissão à presidente Dilma Rousseff (PT), que aceitou o pedido. A informação é da Secretaria de Imprensa da Presidência da República, que publicou nota oficial nesta tarde. Ele é o segundo ministro do governo Dilma a pedir demissão no intervalo de uma semana – Cid Gomes, da Educação, entregara o cargo no último dia 18 após um bate-boca com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

“A presidenta Dilma Rousseff aceitou hoje, 25, pedido de demissão do ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Thomas Traumann. A presidenta agradeceu a competência, dedicação e lealdade de Traumann no período como ministro e porta-voz”, diz o comunicado. O documento não informou quais os motivos da demissão, nem indicou quem será o substituto.

Traumann esteve em evidência na mídia, nos últimos dias, após um documento interno supostamente elaborado pela Secom e publicado pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, na semana passada, admitir que o governo federal adotou uma “comunicação errática” no Estado de São Paulo e que o País vivia um momento de “caos político”. Após a reportagem, o ministro saiu de férias.

Nesta semana, comissões do Senado e da Câmara aprovaram convites para que Traumann desse explicações sobre o documento. Atrubuído à Secom, o texto sugeria aumentar investimentos em comunicação em São Paulo, em parceria com o prefeito Fernando Haddad (PT).

Uma das últimas participações de Traumann em agendas públicas de Dilma aconteceu na cidade de São Paulo, no último dia 10, quando a presidente foi vaiada em uma feira da construção civil no Anhembi (zona norte).

Trajetória

Jornalista de formação, Thomas Timothy Traumann é natural de Rolândia, interior do Paraná. Ele teve passagens por grandes agências de comunicação, além dos veículos Folha de S.Paulo, Veja, UOL, Época, e ficou conhecido por coberturas de ecologia, do MST e no caso do Mensalão.

Ele chegou ao Palácio do Planalto no início do governo Dilma, em 2008, como assessor especial de Antônio Palocci, quando este era responsável pela Casa Civil, durante o primeiro mandato de Dilma. Com a saída de Palocci, passou a atuar em conjunto com a então chefe da secretária, Helena Chagas, também como assessor. Helena saiu em fevereiro de 2014, e Traumann assumiu a secretaria em seu lugar.

mar
25
Posted on 25-03-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-03-2015

Flávio Dino, governador do Maranhão pelo PC do B. Sobre a marcha dos 9 governadores do Nordeste, convocada para a tarde desta quarta-feira, 25, em Brasília.

A cantora portuguesa Teresa Salgueiro apresenta seu primeiro álbum autoral, “O Mistério”, com um show único nesta sexta-feira , 27 de março ( antevéspera dos 466 anos de Salvador), às 21h, na Sala Principal do Teatro Castro Alves (TCA). Os ingressos podem ser comprados online ou nas bilheterias. Em “O Mistério”, Salgueiro se apresenta na voz e no piano junto a um quarteto de músicos, que são: Marlon Valente (acordeon), Óscar Torres (contrabaixo), Graciano Caldeira (guitarras) e Rui Lobato (bateria, percussão e guitarra). A última vez que a artista cantou na capital baiana foi em outubro de 2013, como convidada da Série TCA, com teatro lotado. A soprano se tornou conhecida no Brasil como vocalista do grupo “Madredeus”, um dos mais internacionais de Portugal, com o qual atuou por 21 anos.

BOA TARDE!!!

mar
25
Posted on 25-03-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-03-2015

OPINIÃO

A EXCLUSÃO DOS APOSENTADOS

“Aposentado que se respeita não abastece nos postos da BR Distribuidora”, este é mote da campanha que os aposentados pretendem difundir em todo o Pais, através das redes sociais e imprensa, em resposta à atitude da presidente Dilma Rousseff que excluiu o resjuste das aposentadorias da Medida Provisória que prevê correção do salário mínimo até 2019.

O objetivo é chamar a atenção contra o tratamento discriminatório que o governo tem dado aos aposentados nos últimos anos, sempre com correções abaixo dos índices concedidos aos assalariados. O mesmo grupo pretende influenciar os aposentados a utilizar a prerrogativa legal que lhes permite escolher a agência bancária onde quer receber os seus proventos e retirar a conta do Banco do Brasil e Caixa Econômica.

É preciso, também que todos os empregados em atividade que recolhem INSS deixem de abastecer seus veículos nos postos da BR Distribuidora porque o tratamento de hoje será o mesmo a ser oferecido aos futuros aposentados. Se a presidente Dilma não respeita os aposentados e os tratan com discriminação não há porque manter seus proventos nos bancos oficiais, que eles busquem outras fontes para aumentar seu saldo médio.

O jornalista Renato Ferreira, um dos idealizadores da campanha, lembra à presidente da República que os aposentados que se aproveitaram de auto-mutilação para conseguir aposentadoria pelo caminho da ilegalidade representam um mínimo irrisório, a maioria absoluta ralou nos empregos durante mais de 35 anos e dessa forma merecem e precisam de recursos para sobreviver com dignidade os seus últimos dias.

mar
25

DEU NO BLOG GAMA LIVRE (DE TACIANO CARVALHO)

Do STF

Na sessão desta terça-feira (24), por unanimidade de votos, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) negou Mandado de Segurança (MS 33092) impetrado contra acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU) que decretou a indisponibilidade dos bens do ex-presidente da Petrobras Sérgio Gabrieli e de outros executivos da estatal. Para os ministros, o ato impugnado está Inserido no campo das atribuições de controle externo conferido ao TCU pela Constituição Federal de 1988.

De acordo com os autos, o acórdão que decretou a indisponibilidade patrimonial dos autores do MS se insere em processo no qual o TCU apura supostas irregularidades na compra da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), pela Petrobras, em 2007. O MS sustenta que a determinação do TCU de tornar indisponíveis os bens dos executivos teria desrespeitado o devido processo legal e o direito ao contraditório, além de não trazer a individualização das condutas.

Jurisprudência

Em seu voto, o relator do caso, ministro Gilmar Mendes, reforçou os fundamentos que o levaram a negar o pedido de liminar, em agosto de 2014. De acordo com o relator, a jurisprudência do STF entende que é possível, ainda que de forma excepcional, a concessão, sem audiência da parte contrária, de medidas cautelares, por deliberação fundamentada do tribunal de contas.

O ministro salientou que o relatório que integra o acórdão do TCU aponta detalhadamente quais seriam as supostas irregularidades e as responsabilidades dos agentes investigados. O relatório, apontou o ministro, traz um histórico minucioso dos fatos mais relevantes, com descrição ampla do processo de aquisição da refinaria, mensurando prejuízos e supostos danos, com as devidas propostas de encaminhamento, de forma individualizada. De acordo com o relator, o documento diz, ainda, que a Refinaria, avaliada por consultorias especializadas em R$ 126 milhões, acabou sendo adquirida pela Petrobras por pouco mais de R$ 1,2 bilhões. Não se está diante de um caso corriqueiro, mas de situação excepcional, asseverou o relator.

O TCU parece ter procedido com a diligência e cautela que o caso exige, estando presentes os requisitos legais para a decretação cautelar da indisponibilidade de bens para evitar danos a erário ou impossibilidade de ressarcimento, concluiu o relator ao votar pela denegação da ordem.

Ao acompanhar o relator, o decano da Corte, ministro Celso de Mello, frisou que o TCU, valendo-se de sua prerrogativa constitucional, exerceu mais do que um poder, mas o dever-poder de neutralizar possíveis gravames ao erário. Ao decretar o provimento cautelar pela indisponibilidade dos bens sem prévia audiência das partes, o TCU não ofendeu a garantia ao devido processo legal, procedendo em absoluta harmonia com orientação do STF, concluiu o decano, lembrando que no próprio acórdão o TCU determinou a imediata citação dos envolvidos, para que possam exercer sua defesa técnica

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 ... 23 24

  • Arquivos