DEU NO UOL/FOLHA

A presidente Dilma Rousseff foi vaiada nas ruas de ao menos cinco capitais durante pronunciamento de rádio e TV neste domingo (8), por ocasião do Dia Internacional da Mulher.

Durante a fala, motoristas fizeram buzinaços em São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Curitiba.

Em São Paulo, nas janelas dos prédios, moradores batiam panelas, xingavam a presidente, enquanto piscavam as luzes dos apartamentos. No bairro de Pinheiros, zona oeste, as buzinas e gritos da “Fora, Dilma!” e “Fora, PT!” começaram assim que foi ao ar o pronunciamento, e duraram até três minutos depois do final da transmissão. As pessoas gritavam das janelas dos prédios, principalmente, mas também de dentro dos carros.

Em sua fala, Dilma chamou o ajuste fiscal em curso de “travessia”. Negou que irá “trair” a classe média e os trabalhadores, mas anunciou que todos pagarão pelas medidas. “Absorvemos a carga negativa até onde podíamos e agora temos de dividir parte deste esforço com todos os setores da sociedade.”
==========================================

BAHIA EM PAUTA INFORMA:

Em Salvador também houve registros de vaias, panelaços e apitaços em inúmeros bairros, ruas, praças e pontos de maior movimentação na capital baiana na hora do pronunciamento da presidente Dilma Rousseff em cadeia nacional de TV e Rádio. Motoristas de táxis e de automóveis tocaram buzinas, principalmente nos bairros de classe média (Pituba, Barra, Rio Vermelho e Itaigara.

Na Rua do Timbó, próxima ao Shopping da Bahia, dezenas de pessoas saíram nas sacadas, janelas e varandas dos prédios para bater panelas.

(Vitor Hugo Soares)

DEU NO PORTAL DE NOTÍCIAS TERRA BRASIL

Em um pronunciamento oficial à nação em cadeia nacional de rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff falou, neste domingo (08), sobre a crise econômica internacional, defendendo que “o Brasil tem todas as condições de vencer estes problemas temporários”. Falou também sobre a crise climática que atinge o território brasileiro e sobre seu reflexo no custo da energia elétrica, mas ressaltou – mais uma vez – que “tudo é passageiro”.

“Você tem todo direito de se irritar e de se preocupar. Mas lhe peço paciência e compreensão porque esta situação é passageira”, afirmou Dilma. A presidente defendeu também a implantação de ajustes fiscais no País.

Além disso, Dilma chegou a comentar sobre o escândalo de corrupção na Petrobras e defendeu as investigações contra os envolvidos. “O Brasil tem aprendido a praticar a justiça social em favor dos mais pobres, como também aplicar duramente a mão da justiça contra os corruptos”, declarou. “É isso, por exemplo, que vem acontecendo na apuração ampla, livre e rigorosa nos episódios lamentáveis contra a Petrobras”, afirmou.


BOA TARDE E BOA NOITE!!!

DEU NO PORTAL METRO1

Presente em uma programação especial em homenagem ao Dia da Mulher, neste domingo (8) no Dique do Tororó, o governador Rui Costa (PT), falou à imprensa sobre a inclusão do vice-governador e secretário de Planejamento, João Leão (PP), na lista de investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na Operação Lava Jato.

Ele afirmou que o “cagando e andando” de Leão foi de uma pessoa que está indignada. “É uma reação melhor do que uma reação de passividade. É uma demonstração clara da sua inocência e ele vai provar isso. Li uma declaração dele hoje nos jornais e espero que seja rápido”, defendeu.


Atacado e retirado do ar por piratas da Internet
blog político baiano dá volta por cima

BAHIA EM PAUTA INFORMA E COMENTA

Com uma aula de texto, inteligência , humor e generosidade, o jornalista Luis Augusto Gomes informa sobre a volta ao ar do blog Por Escrtito, que ele edita em Salvador..

Sem favor , um dos melhores , mais corajosos e plurais espaços de informação política do País (da Bahia nem se fala) , violentamente atacado e insidiosamente retirado do ar por um hacker do mal ou um bando deles, cuja origem está sendo investigada, para a devida cobrança de responsabilidade civil e criminal e punição.

Os piratas da internet chegaram a hastear, em comemoração, uma “bandeira” de ocupação do Por Escrito.

A Associação Baiana de Imprensa (ABI) , o Sindicato de Jornalistas da Bahia (Sinjorba) e a Polícia também já foram informados da violência, que agride a liberdade de pensamento e fere a liberdade de expressão. Esperamos que estejam agindo com o devido empenho e agilidade para identificar autores e punir o crime.

Bahia em Pauta, atento e solidário, saúda com alegria , a volta do Por Escrito, e o reencontro com os textos primorosos (sempre ricos de informação, memória e bom humor) do jornalista Luis Augusto Gomes.

De brinde, nesta data, o BP reproduz em seu espaço principal de opinião, o brilhante texto postado pelo editor do Por Escrito na área de comentários deste site blog, neste domingo, 8 de março, internacionalmente dedicado às mulheres.

SALVE O POR ESCRITO. BRAVO, LUIS!!!

( Vitor Hugo Soares)

=============================================
O COMENTÁRIO DE LUIS AUGUSTO GOMES, EDITOR DO POR ESCRITO

Caros amigos, vou aproveitar o ibope destes comentários para informar que o “Por Escrito” voltou à rede ontem, após ataque de hacker, ainda sem a configuração original, mas farto de textos.

Quanto ao mérito, conheço Ro-Ró da juventude, Vitor Hugo e Margarida também.

Conheço Graça, virtualmente, de quando interferi em assunto por ela levantado, a apropriação por João Leão da obra da Ferrovia Oeste-Leste.

Cláudio Leal, ao ler pela primeira vez um texto seu, creio que ele tinha uns 23 anos, vi que era um intelectual denso, cujo sapato lustro.

Com Bob Fernandes, nos velhos tempos, cheguei a formar dupla de área no campo da UFBA, em Ondina.

Em meio a tão fervorosa polêmica, evoco um “pensamento do dia” que publiquei certa vez: “Eu amo toda a humanidade, com exceção de alguns irrecuperáveis”.

Graças a Deus, não é o caso de nenhum de nós.”(LAG)

http://youtu.be/A9hLsfHCsbE

A Ma Femme

Charles Aznavour – de son album “Idiote je t’aime”

Quand le soc de roc de saisons
Sur nos visages et sur nos fronts
Aura creusé de lourds sillons
De rides
Quand nos enfants ayant grandi
Auront abandonné le nid
Laissant nos cœurs affaiblis
De vide
Quand nos gestes seront plus lents
Que nous verrons passer le temps
Avec un air étrangement
Lucide
Quand nous n’aurons plus d’avenir
Nous remuerons des souvenirs
Terre qui ne peut devenir
Aride

Quand à pas lents et incertains
Nous visiterons des jardins
Qui comme nos fronts seront peints
De givre
Quand au prix de milliers d’efforts
Nous chercherons sans doute encore
A tuer le temps déjà mort
De vivre
Quand nous ne serons désormais
Que deux cœurs liées sans projet
Nous ouvrirons avec regret
Le livre
Que nous aurons au fil des ans
Écrit sur les pages du temps
Ou deux mots manqueront pourtant :
A suivre

Quand enfin ma vie parcourue
Prêt a entrer dans l’inconnu
Je te regarderai perdue
Et blême
Quand dans ton regard je verrai
Que sans notre amour désormais
Tes jours ne seront plus jamais
Les mêmes
Quand mes yeux ne verront plus rien
Que ma main cherchera ta main
A l’heure où parler sera un
Problème
Après avoir accepté Dieu
Juste avant de fermer les yeux
Encore une fois si je peux
Je te dirai comme un adieu
“Je t’aime”
===============

BOM DIA

NESTE DOMINGO ESPECIAL , 8 DE MARÇO, DEDICADO A TODAS AS MULHERES DO MUNDO.
SIGAMOS A CANÇÃO DE AZNAVOUR.

(Vitor Hugo Soares)

mar
08


O senador Ciro Nogueira, presidente do PP.
/ Moreira Mariz (AG. SENADO)

================================================

DEU NO JORNAL ESPANHOL EL PAIS (EDIÇÃO DO BRASIL)

Afonso Benites

De São Paulo

De filho da ditadura militar (1964-1985) a para-raios de escândalos, esse é o Partido Progressista, a sigla que teve mais políticos citados na Operação Lava Jato até o momento, 31 dos 49. Oriundo da Arena, a agremiação de direita que deu suporte ao regime militar brasileiro, o PP sempre apoiou os governos, independentemente de quem fosse. Sua principal diferença do PMDB, que também costuma ser um fiel aliado do Palácio do Planalto desde a redemocratização, é o tamanho: os progressistas são menores.

A relação dos membros do PP investigados por desvios de recursos da Petrobras é eclética. Vai de um padre baiano, o ex-deputado José Linhares da Ponte (Padre Zé), a um evangélico paulista que está na cúpula da Igreja Mundial, o missionário José Olímpio. Há ainda mensaleiros, como Pedro Henry e Pedro Corrêa, um ruralista gaúcho anti-índios, Luiz Carlos Heinze, e o vice-governador baiano que diz estar “cagando e andando” para a investigação, João Leão.

Ter a maioria dos políticos implicados no escândalo não significa que o PP foi o principal articulador do esquema

Ter a maioria dos políticos implicados no escândalo da Petrobras até agora não significa necessariamente que o PP foi o principal articulador do esquema. Conforme o Ministério Público Federal, os nomes dos progressistas apareceram mais porque os dois delatores-chave das fraudes, o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, eram vinculados a esse partido por indicação do então deputado federal José Janene (morto em 2010). As figuras ligadas ao PT, o ex-diretor da petroleira Renato Duque e o tesoureiro do partido, João Vaccari Neto, assim como os relacionados ao PMDB, o ex-diretor Nestor Cerveró e o lobista Fernando Soares, não assinaram termos de colaboração com a Justiça. Ou seja, não entregaram quem eram os petistas e peemedebistas envolvidos nos desvios de até 20 bilhões de reais da maior empresa estatal do país.

“Evidentemente que essa lista tende a aumentar assim que as investigações se aprofundarem”, avalia o cientista político Paulo César Nascimento, professor da Universidade de Brasília.
Raio-X

Com 1,4 milhão de filiados o PP é o quarto maior partido brasileiro (está atrás de PMDB, PT e PSDB). Nos Governos de Dilma Rousseff e de Luiz Inácio Lula da Silva ganhou relevância ao comandar ministérios importantes, como o das Cidades, entre 2005 e 2014, e desde janeiro passado o da Integração Nacional. Duas pastas com orçamentos gigantescos e programas considerados chaves para o Planalto, como o Minha Casa, Minha Vida e a obra de transposição do rio São Francisco. Atualmente, além de cargos na gestão Rousseff, os progressistas contam com a governadora de Roraima, Suely Campos, e seis vice-governadores, entre eles o do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles, e o da Bahia, João Leão.

Com 40 deputados federais e cinco senadores, o PP tem uma bancada de baixo clero que já foi pega em vários escândalos. No mensalão petista, em 2006, lá estavam os deputados José Janene, Pedro Henry e Pedro Corrêa. No superfaturamento de obras em São Paulo, em 2004, aparecia o deputado federal Paulo Maluf e o filho dele, o empresário Flávio – ambos estão na lista de procurados pela Interpol e não podem deixar o país. Na máfia dos Fiscais paulistanos, em 1998, surgiu um afilhado de Maluf, o prefeito Celso Pitta (já morto).

Mais recentemente, o PP viu seus quadros envolvidos em um escândalo nacional e dois regionais. O primeiro foi em 2011, quando o então ministro das Cidades, Mario Negromonte, do PP da Bahia, foi acusado de oferecer uma mesada de 30.000 reais a seus correligionários para apoiar sua permanência no cargo. A propina não foi comprovada, mas o ministro caiu. O segundo caso foi em Campo Grande (MS), no ano passado, quando o prefeito Alcides Bernal foi cassado acusado de nove crimes, inclusive lavagem de dinheiro. O mais atual é no Governo de Roraima, comandado por Suely Campos. Eleita após a Justiça impedir a candidatura de seu marido, Neudo Campos, Suely terá de suspender a nomeação de 19 funcionários do primeiro e segundo escalão por causa de nepotismo. Eram todos seus familiares.

O PP tem uma bancada de baixo clero que já foi pega em vários escândalos

Na avaliação do cientista político Nascimento, os membros do PP costumam aparecer em escândalos porque geralmente são políticos com a velha prática clientelista, que foi mesclada com técnicas de corrupção do PT. “Há no PP políticos corruptos contumazes e isso se espalha pelo próprio partido. Mas essa prática não é exclusiva dele. O PMDB também vai no mesmo sentido. Só não surgiram tantos nomes ainda”, diz o estudioso da política brasileira.
“Cagando e andando”

Ao contrário de outras legendas que viram seus quadros citados no escândalo da Petrobras, o PP ainda não se manifestou oficialmente. Alguns de seus membros citados fizeram declarações de defesas isoladas, sempre negando qualquer irregularidade em suas prestações de contas eleitorais ou em relação à atividade parlamentar. Um deles foi o senador Ciro Nogueira, o presidente nacional da legenda. Em sua conta do Twitter, Nogueira diz que as acusações contra ele são “absurdas e sem fundamento” e criticou a imprensa brasileira.

Outro que falou sobre o assunto foi o vice-governador baiano, João Leão. Em nota oficial, ele disse que não estava nada preocupado com as acusações. “Estou cagando e andando, no bom português, na cabeça desses cornos todos. Sou um cara sério, bato no meu peito e não tenho culpa”, afirmou.

mar
08
Posted on 08-03-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-03-2015


Fausto, no jornal Olho Vivo

==========================================


OPINIÃO:

“Estou fora!”

Rosane Santana

A divulgação da lista dos políticos envolvidos na “Operação Lava Jato”, deixa claro que os empreiteiros depoentes jogaram para salvar a pele, em primeiro lugar, e salvar a pele, em segundo lugar. Primeiro, para evitar uma prisão mais longa. Segundo, para garantir os negócios com o governo, que desde Pedro Álvares Cabral é fonte de fortunas neste país colonial.

Assim, tentaram confundir as torcidas, e conseguiram, entregando os que nada tinham a ver com o caso, para livrar os chefões, e denunciando outros tantos de menor importância, enquanto preservaram alguns, por enquanto, com função de ponte.

Daí a reação intempestiva do vice-governador João Leão, velha raposa política, que provavelmente será inocentado, a julgar pela contundente resposta, a mais contundente até agora, de um político acusado de envolvimento no escândalo.

Como o jornalismo de hoje não pode dar conta da profusão de notícias, num quadro de quebra do monopólio da informação pela imprensa, a confusão entre culpados e inocentes se estabelece. Nesta conjuntura, infeliz e temerariamente, torcidas organizadas tomam partido, gerando um clima de Fla x Flu, que congestiona a mídia tradicional e as “social medias” (Facebook, principalmente), desde a campanha eleitoral.

Estou fora!

Rosane Santana é jornalista e mestre em História pela Universidade Federal da Bahia-UFBA

  • Arquivos