fev
24
Postado em 24-02-2015
Arquivado em (Artigos) por vitor em 24-02-2015 12:07

DEU NA COLUNA TUDO SOBRE CINEMA, DE MIGUEL BARBIERI JR. (VEJA SÃO PAULO)

Como crítico de cinema há mais de duas décadas, eu vejo muitos filmes ao longo do ano. Assisto a muitas bobagens, longas-metragens medianos e, raramente, algo que me tire o fôlego. Fazia muito tempo que não saía do cinema tão entusiasmado e isso ocorreu logo após a sessão para a imprensa de Birdman ou A Inesperada Virtude da Ignorância. Não à toa, a fita de Alejandro González Iñárritu foi a grande vencedora do Oscar 2015, levando os importantes prêmios de melhor filme, direção, roteiro original e fotografia. Quer dez motivos para ver Birdman?
Birdman, com Michael Keaton, foi escolhido o melhor filme pelo sindicado dos produtores

Birdman, com Michael Keaton, foi o grande vencedor do Oscar 2015

1- O mexicano Alejandro González Iñárritu tem uma filmografia composta pelos elogiados Amores Brutos, 21 Gramas e Babel. Em rumo totalmente distinto ao dos trabalhos anteriores, conseguiu a proeza de realizar seu melhor longa-metragem.

2- Uma das qualidades do roteiro está em alfinetar o cinemão americano sem ofensas grosseiras. O personagem de Michael Keaton, por exemplo, é um ator que, no passado, fez muito sucesso interpretando o super-herói de uma franquia. Só para lembrar: Keaton atuou duas vezes como Batman, sob a direção de Tim Burton.

3- Birdman é o filme mais premiado da temporada, ao menos nas associações dos profissionais dos Estados Unidos. Venceu no sindicato dos produtores, dos diretores e também dos atores (um merecido troféu para o elenco).

4- O filme é composto de vários planos-sequência – um recurso narrativo que dá a impressão de ter sido filmado num só take. É difícil perceber onde foram feitos os cortes de uma tomada para a outra. Fique ligado para tentar encontrar as “emendas”.

5- Atuações também são o forte. Como a ação se passa poucos dias antes da estreia de uma peça, os atores imprimem uma intensa carga de adrenalina aos papéis. Destaco as interpretações de Michael Keaton, Edward Norton e Emma Stone, todos candidatos ao Oscar.

6- Também mexicano, o diretor de fotografia Emmanuel Lubezki, conhecido como Chivo, ganhou seu segundo Oscar – e consecutivo. No ano passado, venceu por Gravidade, outro filme que me deixou boquiaberto.

7- Poucas vezes, vi um casamento entre cinema e teatro tão azeitado. Embora o assunto central seja a montagem de uma peça, Birdman consegue escapar facilmente do quadrado formato “teatro filmado” por causa da agilidade das câmeras e dos diálogos calorosos.

8- A história é um drama (de um astro decadente tentando voltar à cena como um ator de prestígio na Broadway), mas há vários momentos de humor, sobretudo ligados às celebridades e ao universo do cinema.

9 – Difícil citar apenas uma cena emblemática, mas gosto, particularmente, da sequência em que Michael Keaton anda de cueca pela Times Square, em Nova York. É um feito cinematográfico de arregalar os olhos.

10 – Os detratores acham que Iñárritu passou dos limites fazendo um trabalho pretensioso.
Discordo. O filme trata, justamente, do ego inflado dos artistas expondo os personagens a situações muitas vezes ridículas.


(Com agradecimento do BP à jornalista e escritora Cida Torneros pela sugestão).

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Fevereiro 2015
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    232425262728