jan
25
Posted on 25-01-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-01-2015


Militantes do Syriza festejam em Atenas – Reuters

===============================================


DEU NO EL PAIS

As primeiras pesquisas de boca de urna divulgadas após o fechamento das seções eleitorais, às 19h hora local (15h pelo horário de Brasília), dão à esquerdista Syriza a vitória nas eleições gregas, com 35,5% a 39,5% dos votos (entre 146 e 158 cadeiras no Parlamento), ou seja, com provável maioria absoluta (151 cadeiras). A conservadora Nova Democracia ficaria em segundo lugar, com 23% a 27% dos votos. Segundo essas primeiras pesquisas, o partido de extrema direita Aurora Dourada e o centrista To Potami disputam o terceiro lugar (o primeiro obteria entre 6% e 8% dos votos e o segundo, entre 6,5% e 8,5%). Um porta-voz da Syriza, Panos Skourletis, declarou que é uma “vitória histórica” para seu partido e um “recado para a Europa”.

O ministério grego do Interior não forneceu, até agora, dados da participação nas eleições parlamentares, mas a afluência às seções eleitorais durante toda a manhã indica que será alta. Em um primeiro pronunciamento, no meio da amanhã, o ministro interino Michalis Theocharidis, afirmou que a jornada transcorria sem incidentes, exceto alguns relacionados ao mau tempo em localidades do norte do país, que tiveram problemas de acesso devido à neve caída nas últimas semanas.
mais informações

Dez milhões de gregos foram chamados às urnas neste domingo para decidir se referendarem o Governo liderado pelos conservadores da Nova Democracia ou optam por uma virada à esquerda simbolizada pela Coalizão da Esquerda Radical (Syriza) de Alexis Tsipras. As eleições foram antecipadas por causa de um movimento fracassado do até agora primeiro-ministro Antonis Samaras. Ele apostou seu futuro político na eleição do presidente, mas seu partido e os socialistas do Pasok (Movimento Socialista Pan-helênico, na sigla em grego), seu aliado menor de Governo, não obtiveram apoio suficiente para seu candidato, o ex-comissário europeu Stavros Dimas.

Depois de depositar seu voto na urna em um bairro popular de Atenas, Tsipras declarou que o povo grego “vai recuperar a dignidade”. Tsipras, apontado pelas pesquisas como claro favorito com 30% a 36% dos votos, advertiu a União Europeia que o futuro da Europa “não está na austeridade, mas na dignidade e na coesão”. As pesquisas situam a Syriza às portas da maioria absoluta, seguida pela governista Nova Democracia, com 26% a 30% dos votos. O terceiro lugar é disputado pelo centrista To Potami (O Rio) e pelo neonazista Aurora Dourada, com uma faixa de votos que oscila entre 5% e 7%. Em seguida vêm o Partido Comunista, o Pasok e o Gregos Independentes, com cerca de 3% dos votos e, portanto, entram no Parlamento.

Samaras votou fazendo um apelo aos indecisos, 11% dos eleitores conforme as pesquisa, para consolidar um futuro unido à Europa. “Estas eleições determinarão o futuro do país e de nossos filhos. Hoje decidiremos se seguimos adiante, fortes, com segurança, ou se nos veremos imersos em problemas”, disse ao sair da seção eleitoral de Messinia, no Peloponeso . “Há um número sem precedentes de indecisos, e acredito que são eles que acabarão determinando o resultado. Estou otimista, em todo caso, porque ninguém quer deter o rumo europeu do país”, acrescentou.

O sistema eleitoral grego é muito complexo e o dado mais marcante é o bônus de 50 cadeiras que a lei eleitoral outorga ao partido mais votado em uma tentativa de garantir uma governabilidade que não parece assegurada depois das eleições deste domingo. Para obter maioria absoluta, um partido ou coalizão precisa ter pelo menos 151 deputados. Caso nenhuma legenda o consiga sozinha ou em coalizão, a Grécia terá de ir novamente às urnas, como já ocorreu em 2012.

Entre os aliados destaca-se o To Potami, que surgiu antes das europeias de maio e cresceu como espuma. Sua ambiguidade programática deixa-o como “partido dobradiça”, tanto para a Syriza, como para a Nova Democracia. O trio é completado pela Aurora Dourada, de impossível pacto com a Syriza, uma aliança que tampouco seria possível com o partido Comunista. Há mais dúvida sobre o Pasok e o Gregos Independentes.

A crise econômica grega implodiu o panorama político e encheu-o de novos partidos em detrimento dos tradicionais como o Pasok. Liderado pelo vice-primeiro-ministro Evangelos Venizelos, tem de fazer frente a uma possível fuga de votos para o novo Movimento de Socialistas Demócraticos fundado pelo ex-primeiro-ministro Giorgos Papandreou. As pesquisas situam a nova formação abaixo dos 3%.

O que está em jogo neste domingo não é só o futuro político, mas também, e sobretudo, o econômico. Com uma taxa de desemprego superior a 25% e uma dívida pública que equivale a 175% do PIB, a Grécia vive esmagada pelos 240 bilhões de euros solicitados da comunidade internacional para evitar sua quebra. O fantasma da troika sobrevoou todos os discursos, assim como o termo grexit, com o que se sugere uma possível saída do euro que nenhum partido quer. A Syriza propões uma conferência sobre a dívida europeia e a introdução de uma “cláusula de crescimento” para a devolução do capital pendente, assim como uma moratória que permita à Grécia respirar.

http://youtu.be/VdKZytrqVcc

Grande Adoniran! Adorável e incrível Elis. Viva São Paulo, a cidade de todos os encontros. É isso aí, carioca Cida Torneros!!!

BOA TARDE!!!

(Vitor Hugo Soares)


—————————————————————-

===================================================


São Paulo de todos os encontros

Maria Aparecida Torneros

Pisei na cidade de São Paulo pela primeira vez aos 18 anos com a turma da faculdade. Fomos ver a Bienal de Arte no ônibus da Universidade Federal Fluminense. Ida inesquecivel. Era 1969. Nós além da arte passamos pela cidade. Havia a feira hippye na Praça da Republica. Andamos pela boca do lixo. Pelo Bexiga. Dormimos nos alojamentos de atletas do Pacaembu.

Precisei dar um telefonema e bati na porta de uma mansão. Jamais esquecerei a cena. Um mordomo me atendeu e foi perguntar ao dono se eu podia usar o telefone. Subi a escadaria e conheci o costureiro Denner que trocou algumas palavras comigo enquanto eu avisava meu pai a hora da chegada ao Rio.

Aprendi que SAMPA é assim mesmo. Ali todo mundo se encontra. Ao longo da vida profissional voltei lá muitas vezes como jornalista e como escritora em bienais do livro. Cheguei a morar por duas vezes na cidade. Em 89 e 98. Trabalhei muito e me acostumei com sua loucura. Fiz amigos.

Há uns 4 anos estava na casa de uma amiga no Paraíso e fomos ver Elza Soares no bar Brhama na famosa esquina da Ipiranga com São João da música do Caetano. Muitas ocasiões levei pessoas ao Terraço Itália. Morei em Moema e na Freguesia do Ò. Trago em mim uma ideia carinhosa da megalópole que aniversaria neste 25 de janeiro.

Adoniran era a cara de SAMPA. Isaurinha Garcia também. Rua Augusta e Paulista as vias mais charmosas da Paulicéia. Higienópolis tem seu charme burguês mas o Planalto Paulista tem casinhas de boneca. Trafegar na 23 de março é atravessar um mundo. As exposições do MASP são imperdíveis. A estação da luz um patrimônio.

E encarar SAMPA de frente é mesmo difícil. A gente se perde. Não se reconhece. Identidade diluída que responde por um Brasil corrido. Ali já me senti eterna aprendiz. E sonhei voltar sempre. Toda vez que volto lembro que narciso acha feio o que não é espelho. E saúdo o aglomerado de gente e prédios.

Palmas para a cidade de todos nós. Migrantes e amantes de uma expressiva representante do clamor nacional por um pais que merece ser melhor e mais organizado com oportunidades iguais ou com direitos respeitados. Parabéns SAMPA. Obrigada por me receber na sua correria com pizza da mama e balada das suas noites brilhantes em Vila Madalena. Nas manhãs agradeço as delicias das suas padarias e nas tardes da 25 de março seu sanduíche de pão com mortadela do Mercado Municipal tem o gosto exato da mistura humana mais saborosa do Brasil.

Cida Torneros é jornalista e escritora, cidadã do mundo, mora no Rio de Janeiro, onde edita o Blog da Mulher Necessária.

http://youtu.be/d4RhNvjk4YI

http://youtu.be/QotAYgs72LE

Parabéns magnífica São Paulo, na comemoração de seus 461 anos fundação, apesar e acima de tudo.

FELIZ DOMINGO, 25 DE JANEIRO DE 2015!!!

(Vitor Hugo Soares)

jan
25
Posted on 25-01-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-01-2015

DEU NO BLOG O ANTAGONISTA ( DOS JORNALISTAS DIOGO MAINARDI E MARIO SABINO)

A cidade de São Paulo faz amanhã (hoje, 25/11) 461 anos. Como paulistanos, os antagonistas resolveram comemorar com números espetaculares.

Décima cidade mais rica do mundo e a mais pujante do Brasil, com um PIB de 388 bilhões de dólares e 11,7 milhões de habitantes, São Paulo tem:

a) 25% do esgoto despejado, sem qualquer tratamento, nos rios que a cortam

b) 1.023 favelas, 1.885 cortiços e 1.155 loteamentos irregulares, onde vivem 2,9 milhões de pessoas

c) 13.700 moradores de rua

d) 5,5 milhões de carros

e) 300 quilômetros de congestionamentos por dia, em média (cada paulistano passa 2 horas e 23 minutos no trânsito).

e) o registro de 160.103 ocorrências policiais em 2014 (aumento de 27% em relação a 2013)

f) o registro de 1.250 assassinatos no ano passado

g) 2.295 estupros registrados no mesmo período

f) um prefeito petista

g) um prefeito petista preocupado em retalhar a cidade com ciclovias pintadas de vermelho

Parabéns, São Paulo.


Virgílio, tem ciclovia no Inferno?

jan
25


====================================================

DEU NO G1

Morreu às 16h30 deste sábado (24) a atriz Maria Della Costa, aos 89 anos. Ela estava internada no Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, e teve um edema pulmonar agudo. O velório da atriz será realizado neste domingo (25) no Teatro Municipal do Rio. O horário ainda não foi confirmado. Maria não tinha filhos.
Maria Dellacosta morreu aos 89 anos (Foto: Anderson Rocha)Maria Della Costa morreu aos 89 anos

A atriz foi uma das maiores do teatro brasileiro. Com a carreira iniciada aos 18 anos, em 1944, ela interpretou papeis em obras como Anjo Negro, de Nelson Rodrigues, Prostituta Respeitosa, de Sartre, Ralé, de Gorki, O Canto da Cotovia, de Anouilh, Com a Pulga Atrás da Orelha, de Feydeau, Mirandolina, de Goldoni, A Casa de Bernarda Alda, de Lorca, A Rosa Tatuada, de Tennessee Willians, Moral em Concordata, de Abilio Pereira de Almeida, A Alma Boa de Se-Tsuan, de Brecht, Gimba, de Guarnieri, O Marido vai à Caça, de Feydeau, Depois da Queda, de Arthur Miller, As Alegres Comadres de Windsor, de Shakespeare, entre outras participações memoráveis.

Ao lado de seu segundo marido, Sandro Polloni, um amor para toda a vida, ela fundou em 1948 o Teatro Popular de Arte, no Rio de Janeiro, origem da Companhia Maria Della Costa, sediada em São Paulo, que se tornou, com a inauguração da própria casa de espetáculos em 1954, uma referência preciosa do bom teatro no Brasil. Para estruturar a companhia, o casal trouxe da Itália um dos maiores encenadores do palco nacional, Gianni Ratto.

Maria também foi responsável por lançar grandes nomes do teatro, como Fernanda Montenegro, Sérgio Britto, Ney Latorraca, e os diretores Ruggero Jacobbi, Gianni Ratto, Graça Mello, Eugênio Kusnet, Flavio Rangel e Jairo Arco Flexa. Na televisão, interpretou papéis nas novelas Beto Rockfeller e Estúpido Cupido.

jan
25
Posted on 25-01-2015
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-01-2015


Sid, no portsl de humor gráfico A Charge Online

  • Arquivos