jan
03
Postado em 03-01-2015
Arquivado em (Artigos) por vitor em 03-01-2015 00:17


Na rede de farmácias Farmatodo, as filas não param por causa da procura de produtos de higiene e de medicamentos
Carlos Garcia Rawlins-Reuters
===============================================


DEU NO DIÁRIO DE NOTÍCIAS, DE LISBOA

POR ELIANAH JORGE

DE CARACAS -HOJE

O ano começa de forma diferente na Venezuela. Em vez de esperança, o sentimento que prevalece é o de preocupação. Os prognósticos apontam que 2015 será marcado pelo agravamento da crise económica, refletida na recessão evidenciada pela queda do produto interno bruto e a alta inflação, que foi de 64% ao ano, de acordo com o presidente, Nicolás Maduro. A queda dos preços do petróleo é outro fator sombrio para o país, que ignorou durante anos a necessidades de criar novas frentes de produção, mas expropriou empresas e assustou investidores internacionais. O resultado é visto diariamente nas ruas de todo o país: a população fazendo filas ou numa via-crúcis pelos estabelecimentos comerciais para conseguir os produtos.

Hoje,3, o presidente deve anunciar medidas de ajuste cambial. Nicolás Maduro já antecipou que o Estado vai otimizar os gastos, inclusive com a redução dos salários dos altos cargos do governo e com a aplicação de oito ações para que “2015 seja o ano da recuperação econômica do país”.


Be Sociable, Share!

Comentários

Graça Azevedo on 3 Janeiro, 2015 at 13:47 #

E a corrupção, esta é imbatível! Com a escassez de dólares e produtos os boliburgueses estão cada dia mais ricos. Negam dólares, mas os bolivarianos os vendem a 170 bolivares fortes por dólar. Só para comparar o dólar oficial varia entre 6 e 50 bolivares
Os produtos não faltam para os “amigos” e para os que subornam os responsáveis pela distribuição dos mesmos.
Ninguém me contou. Eu vivi.


vitor on 3 Janeiro, 2015 at 14:44 #

Um depoimento que vale por mil, Graça. Grande abraço a o 2015 melhor possível.


Lilyane on 3 Janeiro, 2015 at 18:22 #

E a imprensa brasileira se omite no assunto. Quando muito emite algumas notas dizendo que há alguma escassez. Já nos anos 80, quando vivi em Caracas o abastecimento não era lá essas coisas, fora os mercadinhos administrados na maioria por portugueses. Como pode uma nação deitada em um dos maiores lenções petrolíferos do mundo estar nessa situação? Pura corrupção, que sempre existiu, reconheço, mas que hoje foi elevada à enésima potência pelos que se dizem amigos do povo. Lastimável.


vitor on 3 Janeiro, 2015 at 20:54 #

Lilyane
Valioso depoimento, de quem viveu, a exemplo de Graça


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos