Hoje, 26 de dezembro, é o dia de Margarida. Ela comemora mais um aniversário com a incrível garra e tenacidade de sempre. Para superar os desafios diários e, principalmente, atravessar caminhos e curvas de uma vida inteira soltando faiscas frequentemente (como uma locomotiva) mas sem perder o prumo, o inflexível senso ético e a enorme generosidade a toda prova.

Hoje também faz anos o cineasta Tuna Espinheiro, realizador de primeira da Bahia e figura humana inteligente e generosidade sem tamanho. Amigo especial do BP para o qual mandamos um abraço do tamanho de tela de Cinemascope.

Para os aniversariante do dia, uma música de cinema, como os dois merecem.

(Vitor Hugo Soares)


——————————————————————

DEU NO BLOG POR ESCRITO (DO JORNALISTA LUIS AUGUSTO GOMES)

Uma trindade não tão santíssima

Diálogos e manobras de bastidores, reveladas por fonte deste blog e que permaneceram ocultas por quatro anos emergem agora, que o ambiente é propício. Reportamo-nos ao período entre a primeira eleição e a posse de Dilma Rousseff, bem no finzinho de dezembro de 2010.

Reunido em certa informalidade na Bahia com o governador Jaques Wagner e diversos políticos aliados, o ainda presidente Lula sugeriu pelo menos três vezes a Wagner que indicasse a Dilma a permanência de Gabrielli na Petrobras. Quando se pensava que era assunto encerrado, ele repetia: “Não se esqueça de falar com ela sobre Gabrielli”.

Testemunha interessada no desenrolar da articulação apurou tempos depois que, diante da “sugestão” de Wagner, que acabara de ser reeleito, e ainda totalmente dependente, Dilma, já no cargo, pediu socorro ao próprio Lula.

O ex-presidente quis saber se o governador reivindicara algum ministério. Ante a resposta negativa, emendou: “E você vai deixar de atender o pedido de um homem que lhe deu 4 milhões e 800 mil votos?”

Reforçava-se ali um antigo vínculo, dando a Gabrielli mais três anos de presidência e o recorde absoluto na função. Mesmo depois que Dilma viu que não dava mais pra segurar e colocou Graça Foster na cadeira, a fidelidade permaneceu incólume: a de Lula, que quis Gabrielli candidato ao governo da Bahia, e a de Wagner, que até hoje o tem como secretário.
Imprimir Imprimir Enviar por e-mail Enviar por e-mail

dez
26
Posted on 26-12-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 26-12-2014


Cau Gomez, no jornal A Tarde (BA)


Dilma e família: vôo para Aratu
=====================================

DEU NO PORTAL G1

A presidente Dilma Rousseff desembarcou de helicóptero na tarde desta quinta-feira (25), ao lado de sete familiares, na Base Naval de Aratu, no litoral da Bahia, para um breve período de descanso antes de ser reempossada no cargo no dia 1º de janeiro. Ela e a família passaram a noite de Natal no Palácio da Alvorada. Segundo a assessoria da Presidência, a chefe do Executivo deve retornar para Brasília até a próxima segunda (29), quando deve concluir a reforma ministerial para seu segundo mandato.

Ainda de acordo com assessores, Dilma está hospedada na base naval baiana ao lado da filha, Paula, do neto, Gabriel, da mãe, Dilma Jane, do genro, de uma tia, de um sobrinho e da esposa do sobrinho.

Dilma deixou o Alvorada, residência oficial da Presidência, por volta das 14h, em um helicóptero que a conduziu até a Base Aérea de Brasília. Lá, ela e a família embarcaram no avião presidencial.

A comitiva de Dilma desembarcou na Base Aérea de Salvador em torno das 15h30 no horário local (16h30 no horário de Brasília). O governador da Bahia, Jaques Wagner – anunciado na terça-feira (23) para o comando do Ministério da Defesa no segundo mandato da petista – recepcionou a presidente na base aérea.

Na própria pista, Dilma embarcou em outro helicóptero, que a levou com os familiares para Aratu. Conforme a assessoria da Presidência, o deslocamento aéreo até a base naval durou cerca de 20 minutos.

Refúgio presidencial

Desde que assumiu o comando do país, em 2011, Dilma tem escolhido a base de Aratu para repousar nos períodos de folga. A última vez que ela esteve no local foi no final de outubro, poucos dias após ser reeleita.

A estrutura militar está localizada na península São Tomé de Paripe, na baía de Aratu, no subúrbio ferroviário de Salvador.

A expectativa é de na próxima segunda-feira, ao retornar da viagem da Bahia, a petista anuncie os últimos 22 nomes que faltam para completar seu novo primeiro escalão.

Até o momento, Dilma já anunciou os titulares de 17 pastas. Devido à pressão do mercado, a definição começou pela área econômica: Joaquim Levy para a Fazenda, Nelson Barbosa no Planejamento e Armando Monteiro Neto para o Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Também foi confirmada a permanência de Alexandre Tombini na presidência do Banco Central.

Nesta terça (23), Dilma divulgou os nomes de outros 13 ministros que farão parte do primeiro escalão de seu governo. Foram anunciados os nomes de Aldo Rebelo (que deixou os Esportes para chefiar a pasta de Ciência, Tecnologia e Inovação); George Hilton (Esportes); Cid Gomes (Educação); Edinho Araújo (Portos); Eduardo Braga (Minas e Energia); Eliseu Padilha (Aviação Civil); Helder Barbalho (Pesca); Kátia Abreu (Agricultura); Vinicius Lajes (Turismo); Jaques Wagner (Defesa); Gilberto Kassab (Cidades); Nilma Lino Gomes (Igualdade Racial); e Valdir Simão (Controladoria Geral da União).

Também no dia 29, há a expectativa do anúncio das primeiras medidas econômicas que serão adotadas para o ano que vem. Embora definidas pela futura equipe, as ações terão de ser apresentadas pela atual, devido ao princípio da anterioridade, que é a divulgação das medidas no exercício anterior ao qual vão começar a vigorar.

A posse presidencial será realizada no dia 1º de janeiro. A previsão é que, em seguida, Dilma tire três dias de folga em Aratu a partir do dia 2, com volta programada para Brasília no dia 5.

  • Arquivos