http://youtu.be/Nr94JCHs0uU

Acredite se quiser. Mas aconselho não perder (de todo) a fé.

BOA TARDE!!!

(Vitor Hugo Soares)


Isabel insiste na compra da PT

=====================================

DEU NO JORNAL DIÁRIO DE NOTÍCIAS, DE LISBOA

A multimilionária empresária empresária angolana, Isabel Santos, filha do ditador Eduardo dos Santos, abriu mão de algumas estratégias de negócios, mas continua a estudar alternativas para a compra da Portugal Telecom.Próximo passo pode ser o Brasil

Isabel dos Santos retirou a oferta pública de aquisição de 1,21 bilhão de euros sobre a Portugal Telecon PT SGPS, depois de a Comissão de Valores Mobiliários , CMVM, considerar que o preço não cumpria com os requisitos legais. Mas a empresária está determinada na criação de uma operadora de telecomunicações multinacional de língua portuguesa e continua a analisar alternativas. A estratégia pode passar pelo mercado brasileiro.

dez
24
Posted on 24-12-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 24-12-2014


Samuca, hoje, no Diário de Pernambuco

DEU NO JORNAL ZERO HORA

Opinião

por Rosane de Oliveira

Não há estrelas na lista dos 13 ministros anunciados pela presidente Dilma Rousseff. Nenhum Pelé, nenhum Adib Jatene, nenhum Gilberto Gil. Fragilizada pelas denúncias de corrupção na Petrobras, Dilma rendeu-se à lógica dos arranjos políticos montados para garantir a governabilidade e acomodar os grupos que medem forças no PT.

O PMDB do vice-presidente Michel Temer está levando seis ministérios e conseguiu emplacar na Aviação Civil o deputado gaúcho Eliseu Padilha, até pouco tempo um dos maiores críticos do PT e um dos políticos que os petistas mais abominavam. Mudou o PT ou mudou Padilha? Mudaram ambos. Como na música Quem te viu, quem te vê, de Chico Buarque, “quem não o conhece não pode mais ver pra crer”.

Leia todas as colunas de Rosane de Oliveira

Íntimo de Temer, Padilha fez por merecer o ministério. Não concorreu à reeleição e transformou seu escritório de advocacia em Porto Alegre num bunker da campanha de Dilma e Temer, contrariando a maioria do PMDB gaúcho, que largou com Eduardo Campos (PSB), abraçou a candidatura de Marina Silva (PSB) e apoiou Aécio Neves (PSDB) no segundo turno. Padilha fará companhia a outro peso-pesado do PMDB, o ex-governador do Amazonas Eduardo Braga (Minas e Energia) e à senadora Kátia Abreu, presidente da Confederação Nacional da Agricultura, uma escolha pessoal de Dilma.

Em nome de interesses políticos, Dilma rifou Henrique Paim, técnico de reconhecida competência no Ministério da Educação, e nomeou o ex-governador Cid Gomes (PROS), do Ceará. Gilberto Kassab (PSD), ex-prefeito de São Paulo, levou uma das joias da coroa, o Ministério das Cidades.


Caetano e Ademar:relações rompidas
=====================================

DEU NO JORNAL DA CIDADE

Uma bomba explodiu nesta terça-feira no campo político na cidade de Camaçari. O ex-prefeito e deputado federal eleito Luiz Caetano (PT), em conversa com O Jornal da Cidade anunciou o rompimento político com seu pupilo, o atual prefeito do município, o também petista, Ademar Delgado.

A aliança entre Caetano e Ademar não durou nem dois anos de governo, e não resistiu às diferenças claras de estilo político e de gestão de ambos.

A ruptura se deu após muitos meses de críticas de Caetano à atual gestão. Sempre que tinha oportunidade de conceder entrevistas, o ex-prefeito não perdia uma oportunidade de alfinetar o alcaide e sua forma de administrar a cidade. Até mesmo a deputada estadual Luiza Maia (PT), esposa de Luiz Caetano, vinha fazendo críticas públicas ao gestor de Camaçari.

Ao Jornal da Cidade, Luiz Caetano justificou o rompimento,”Ademar não ouve ninguém, não atende ninguém, não quer corrigir os erros da gestão, então tomei essa atitude”, disse ele.

Perguntado se vai dar orientação aos secretários e outros cargos de confiança indicados por ele, para que entreguem os cargos, Caetano foi objetivo:”Ainda não, ainda não há essa orientação. Por enquanto essa é uma decisão e uma posição pessoal minha, mas vamos avaliar os desdobramentos.”
Sobre o posicionamento dos vereadores petistas e aliados, nossa reportagem também quis saber se Luiz Caetano passara alguma orientação quanto ao posicionamento político nas votações no legislativo municipal. “Não passei nenhuma orientação, mas vamos discutir isso dentro do partido e tomar posição também na câmara de vereadores no momento certo. Ainda não é o momento”, disse ele.

Perguntado quais seriam os próximos passos, Caetano afirmou que vai começar a reunir pessoas e partidos, visando as eleições de 2016. “Quero conversar com algumas lideranças da oposição, que estejam dispostas a construir um caminho novo na política de Camaçari”, concluiu Caetano.

O prefeito Ademar Delgado foi eleito em 2012, com o apoio de caetano e o grupo político liderado por ele. Foi secretário de Administração, e alçado à candidato à prefeito por uma escolha pessoal do seu líder. Na época, lideranças e militantes petistas questionaram muito essa escolha.Muitos queriam que o deputado Estadual Bira Corôa fosse o candidato. Bira é professor de carreira, e um dos fundadores do PT no município. Mas Caetano bancou sua escolha, e numa eleição disputada, Ademar venceu com pouco mais de 7 mil votos de frente.

Agora é esperar os próximos acontecimentos. De qualquer forma, esse posicionamento do récem eleito deputado federal, “joga lenha na fogueira”, nas articulações durante o ano de 2015 para o pleito de 2016. Com o “racha”, parte dos que hoje seguem Ademar, deixará o prefeito e se unirá á Caetano. Por outro lado, muitos vão optar por permanecer no governo e apoiar Ademar, numa quase certa tentativa de reeleição.

A oposição assiste de camarote, apostando todas as fichas para que o tumulto gerado por essa posição de Luiz Caetano, possa dividir as fileiras petistas e aliadas, e com isso, enfraquecer o grupo político que comanda a prefeitura de uma das cidades mais ricas e importantes da Bahia há 10 anos.

Nossa reportagem entrou em contato com o prefeito Ademar Delgado através da sua assessoria para comentar as declarações de Luiz Caetano, mas não obtivemos resposta.


Cid Gomes:um pavio curto na Educação

===================================

DEU NO PORTAL G1

O Ensino Médio deve ser prioridade de Cid Gomes como ministro da Educação, segundo afirmou o governador do Ceará em entrevista nesta terça-feira (23), na Assembleia Legislativa do Ceará. “O Ensino Médio está evoluindo mais devagar, portanto vai demandar mais ações. Mais de 40% dos jovens não concluíram o Ensino Médio até os 19 anos, então há um problema de acesso e um problema de qualidade. Deve ser uma prioridade, nos centros urbanos, evitar a evasão e interiorizar a educação”, disse.

Ele afirmou também que o Brasil deve receber mais escolas profissionalizantes, experiência bem sucedida no Ceará durante seu governo, segundo sua avaliação. “Os países desenvolvidos têm, para cada profissional superior, cinco com nível técnico. O Brasil ainda tem poucas pessoas com nível superior, e a relação com ensino técnico é de um para meio, então a gente tem um grande desafio no ensino técnico”, afirmou.

Cid Gomes reafirmou ainda que, como governador do Ceará, defendeu a federalização das universidades estaduais do Brasil, mas não afirmou se iria defender a proposta como ministro da Educação. Ele defendeu também o Enem como método de acesso ao Ensino Superior “mais democrático”.

“O Enem é uma estratégia extraordinária que teve de início muita oposição mas que hoje já tem trilhado um grande caminho. Você avalia universalmente, o jovem tem a nota de um currículo oficial e pode se inscrever em que lugar quiser, com muito mais opções. Eu fiz vestibular, se eu não tivesse passado para o curso de engenharia, teria perdido um ano de estudo. O Enem é muito mais racional.”

Convite para Ministério
Cid foi nomeado nesta terça junto com outros 12 ministros. Cid Gomes afirmou que não poderia “negar um convite de Dilma Rousseff”. “A presidente pediu que eu fosse ontem lá e falei com ela pela manhã, ela formalizou o convite. Em outra oportunidade já havia dito que jamais negaria um convite partido dela. Tenho um grande respeito pela presidente Dilma, ela é uma pessoa super bem intencionada e ratifica que o desafio mais importante do nosso país está na área da educação e eu me senti no dever de assumir essa função.” Ele afirmou que foi convidado “por qualidade que Dilma viu em mim”, e não por indicação do partido, o Pros.

O governador do Ceará ficou sabendo do anúncio oficial da sua nomeação como ministro da Educação pelo presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Zezinho Albuquerque, e foi aplaudido pelos deputados presentes. O anúncio foi feito em Brasília.

Pacto Nacional de Alfabetização
O Programa de Alfabetização na Idade Certa, desenvolvida no interior do Ceará quando Cid era prefeito de Sobral, foi a base para a criação do Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa, do Governo Federal.

“É importante que lá em Sobral, um prefeito e hoje um governador tenham mostrado que encarar a alfabetização na idade certa, não só é possível, como foi realizado. Faz parte da realidade do Ceará”, afirmou Dilma Rousseff, quando anunciou o lançamento do pacto nacional, em 2012.

A cidade de Sobral alcançou a meta estabelecida para 2021 do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Segundo o Ministério da Educação, o PNAIC envolverá 108 mil escolas, 400 mil turmas e 360 mil professores.

Polêmicas com professores
Cid Gomes também se envolveu em polêmicas que geraram protestos e greves de professores da rede pública estadual. Durante greve de professores das universidades públicas estaduais em 2011, Cid falou que a categoria deveria “trabalhar por amor”. “Isso é uma opinião minha que governador, prefeito, presidente, deputado, senador, vereador, médico, professor e policial devem entrar, ter como motivação para entrar na vida pública, amor e espírito público”, afirmou.

Ainda em decorrência da greve, os professores ocuparam a Assembleia Legislativa em protesto contra a aprovação do reajuste salarial da categoria, abaixo do que os profissionais reivindicavam. Professores e simpatizantes da greve acamparam na Assembleia e deixaram o local apenas com uma ação da Polícia Militar, que usou spray de pimenta, gás e cacetetes contra professores. Pelo menos duas pessoas ficaram feridas.

  • Arquivos