Jango fotografado por Maria Teresa:morte no exílio
==============================================

DEU NA TRIBUNA DA BAHIA

OPINIÃO

Morte de Jango:38 anos depois
Hari Alexandre Brust

Há 38 anos (06 de dezembro de 1976), morreu em Mercedes – Argentina, João Belchior Marques Goulart, o nosso saudoso Jango, único Presidente brasileiro a falecer no exílio, cuja causa mortis, até hoje não foi desvendada já que à época, a ditadura militar não permitiu a realização da autópsia.

Em razão disso, a família do ex-presidente jamais aceitou a hipótese de morte natural, em consequência da permanente vigília que mantinham os órgãos de repressão tanto nacional, como internacional.

Poderá ter sido mais uma vítima da “Operação Condor”, uma organização para militar das ditaduras militares do Cone Sul, na década de 1970, para combater os inimigos desses regimes.

Por anos a fio seus familiares tentaram a exumação do corpo, com um processo iniciado em 2007, através do Ministério Público Federal, mas somente com a criação da Comissão Nacional da Verdade, em 2012, encarregada de apurar as violações dos direitos humanos, foi decidida a investigação da causa que provocou a morte do ex-presidente e, em novembro de 2013, foi criado pelo Ministério dos Direitos Humanos, um grupo para proceder a exumação para as investigações requeridas.

Assim, em 14 de novembro de 2013, finalmente foi procedida a exumação dos restos mortais de Jango, que submetidos a exame toxicológico, somente no inicio deste mês, teve o resultado revelado. Segundo noticia da Agencia Globo de Brasília, dia 2 passado, o “LAUDO NÃO NEGA NEM CONFIRMA QUE JANGO TERIA SIDO ENVENENADO: Os peritos que trabalharam no caso explicaram que o material colhido foi submetido a cerca de 700 mil substancias, testadas como possível causa da morte. Não foi encontrada nenhuma delas no exame toxicológico, mas os peritos explicaram que há milhões de outras substancias que não foram comparadas. “Contudo, não é possível negar que não tenha ocorrido envenenamento, tendo em vista mudanças físicas e químicas dessas substancias ao longo do tempo. Algumas substancias permanecem mais tempo no corpo que outras. É inconclusivo”. A família de Jango estava presente na divulgação do laudo, com exceção da viúva Maria Thereza Goulart. João Vicente Goulart, filho do ex-presidente, afirmou que a família tinha noção que seria difícil, 37 anos depois da morte do ex-presidente, comprovar o envenenamento. “A família decidiu por um passo doloroso. Sabíamos que era remota a possibilidade de se encontrar alguma substancia”, afirmou”.

Para Vladimir Safatle, em artigo publicado na Revista Carta Capital, em 24.11.2013, “As duas Mortes de Jango”, foram duas as vezes que João Goulart morreu. Uma foi a morte física que, tudo indica, resulta de mais um assassinato perpetrado pela Operação Condor.

Talvez nunca consigamos as provas definitivas de tal assassinato”.

Infelizmente a dúvida de Vladimir, acaba de ser confirmada pelo laudo do exame toxicológico.

“A outra morte, descrita pelo jornalista, talvez pior, à qual João Goulart foi submetido: a morte simbólica, Jango não foi simplesmente deposto, ele foi assassinado simbolicamente. Era necessário não apenas matá-lo, mas apagá-lo de nossa história. Ela é a eliminação também da memória das ações que tal nome representou”.

O crescimento do movimento pelas Reformas de BASE, provocou a reação das oligarquias conservadoras, aliada aos golpistas de segmentos militares, dos banqueiros, das insaciáveis multinacionais com apoio da CIA, fomentaram toda sorte de sabotagem e subversão, culminando com o golpe e o afastamento do presidente reformista João Goulart, em 31 de março de 1964. Darcy Ribeiro, em sua clarividência, assim definiu a violência praticada pelos militares golpistas: “Jango não caiu por defeitos do seu governo. Foi derrubado em razão das suas altas qualidades”.

Somente 44 anos depois de ter sido “injustamente cassado, perseguido e derrubado por meios ilegais”, segundo o então Ministro Tarso Genro, em 15 de novembro de 2008, o Governo do Brasil concedeu anistia política ao seu ex-governante. Na ocasião leu uma carta do ex-presidente Lula na qual afirmou: “o ato de hoje não apenas homenageia sua memoria, mas também marca um pedido oficial de desculpa do Estado Brasileiro em nome do povo, reconhece os erros do passado”.

A interrupção de todo um processo de transformação da realidade brasileira, retardou o desenvolvimento sócio-econômico em meio século, razão da existência dos sem terra, dos sem teto, dos sem saúde, dos sem educação, dos sem transporte, além de atrasar a construção da independência econômica, da autonomia e a soberania política do Brasil.

Reeditar João Goulart, nesta data, é uma forma de alertar a classe trabalhadora para reencontrar as suas raízes e fortalecer a luta trabalhista no enfrentamento da crise que afeta toda estrutura nacional: a estrutura do Estado, da indústria, do comércio, da agricultura, da estrutura política e social. As novas gerações na sua luta por uma pátria socialmente justa e solidária, com certeza irão se deparar com João Goulart, “UM TRABALHISTA À FRENTE DO SEU TEMPO”.

Hari Alexandre é secretário geral do PDT

Eu também quero navegar nas águas mansas, as vezes, e as vezes tempestuosas do rio da minha aldeia nesta tarde de dezembro e trovoada em Salvador. Desligando o computador até o temporal passar.

BOA TARDE!!!

(Vitor Hugo Soares)


=============================================


Por Nuno Fernandes

Do DN (LISBOA)

Nunca uma garota tinha conquistado o prêmio de jovem desportista do ano e merecido a capa da revista Sports Illustrated.

Mo’ne Davis tem apenas 13 anos mas já é um caso sério nos Estados Unidos. A jogadora de basebol vai lançar uma biografia em março, tem uma camiseta no Hall of Fame do Basebol e há poucos dias foi considerada a melhor jovem desportista de 2014 para a revista Sports Illustrated. Jornais como o New York Times e o Washington Post e a revista Forbes têm-lhe dedicado espaço considerável e as cadeias de televisão CNN, ESPN e ABC já passaram entrevistas com a menina do momento nos EUA, país que adora fabricar novos ídolos a velocidades vertiginosas.

A jovem norte-americana está a impondo-se numa modalidade esportiva de homens e fez história em agosto, quando num jogo da Little League (divisão juvenil) conseguiu um shutout, termo usado no basebol para definir um jogo perfeito do lançador sem permitir nenhuma corrida do adversário. Algo que ninguém havia conseguido neste escalão e que valeu o título aos Taney Dragons, de Filadélfia, a equipa em que joga.

A proeza da jovem Mo’ne rapidamente ganhou dimensão global quando alguns dos principais grandes nomes do basebol profissional dos EUA começaram a dar destaque ao shutout nas redes sociais. A garota tornou-se um fenômeno de popularidade e até recebeu felicitações de Michelle Obama.

DEU NO DIÁRIO DE NOTÍCIAS, DE LISBOA

O preço do barril de petróleo da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) registrou a sétima queda consecutiva, para 58,65 dólares, abaixo dos 60 dólares pela primeira vez em mais de cinco anos, informou hoje.

Em relação ao dia anterior, o petróleo da OPEP desvalorizou-se 1,4%, acentuando assim para 46% a perda de valor registrada desde junho.

Um excesso de oferta mundial de petróleo é a causa principal da sustentada queda dos preços, acelerada pela decisão dos ministros da OPEP de não reduzir o nível da produção conjunta, adotada a 27 de novembro em Viena.

Assim, só nos últimos 18 dias, a cotação do barril da OPEP caiu 17%.

============================================

Nesta semana o ministro Jorge Hage, que já anunciou sua demissão da Controladoria-Geral da União, terminou um relatório que comprova: o Brasil teve prejuízo, sim, com a compra pela Petrobras da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

Na quinta-feira, o ministro recebeu em Brasília o repórter Eduardo Faustini, conhecido como repórter secreto, porque não pode mostrar o rosto.

Jorge Hage é ministro-chefe da Controladoria Geral da União, a CGU – um dos órgãos do governo responsável por combater a corrupção no país. Por mais de dez anos, ele investigou esquemas, cartéis, quadrilhas e escândalos e criou um verdadeiro mapa de casos de desvio de dinheiro público no Brasil. “A essa altura, após 12 anos, eu não me assusto mais com nada”, diz Hage.

O repórter Eduardo Faustini foi até Brasília para uma entrevista exclusiva com o ministro, que nesta semana pediu demissão.

Fantástico: O Brasil pode se livrar da corrupção ou pelo menos baixar bastante?
Jorge Hage: Baixar bastante o nível. Hoje os corruptos já passaram a pensar duas vezes antes de praticar o ato ilícito. Começou a acabar a impunidade. Já tem gente presa, já tem gente indo para a cadeia, na área administrativa nós já expulsamos da administração federal mais de cinco mil servidores, diretores, dirigentes. No site da CGU já tem mais de quatro mil empresas impedidas de contratar com o poder público ou suspensas temporariamente. E já tem mais de 2,5 mil ONGs impedidas de receber dinheiro de convênio, que era outro ralo por onde saía muito dinheiro.

Nesta semana a CPMI que investiga denúncias de corrupção na Petrobras apresentou o relatório final e não indiciou ninguém. Um dos casos investigados foi o da refinaria de Pasadena. Segundo o relator da CPMI, o deputado petista Marcos Maia, a compra da refinaria foi um negócio razoável para o Brasil, mas a conclusão da CGU é um pouco diferente.

“Também a partir de denúncias, passamos a investigar as condições da primeira e da segunda etapa da compra da refinaria de Pasadena. O relatório está concluído, foi concluído essa semana, a Petrobras já se manifestou sobre ele. Infelizmente não podemos aceitar a maioria das justificativas, estamos confirmando que houve prejuízo e estamos abrindo os processos contra os responsáveis”, afirma Hage.

O Fantástico teve acesso exclusivo a informações do relatório da CGU sobre o caso de Pasadena e confirmou que a CGU vai abrir processos contra uma dezena de funcionários de vários escalões da Petrobras.

O ministro também falou sobre o quadro “Cadê o dinheiro que estava aqui”, em que o repórter Eduardo Faustini, o repórter secreto que não pode mostrar o rosto, denuncia o desvio de dinheiro público em qualquer canto do Brasil.

“A corrupção causa males em todos os níveis e em todos os tamanhos. Não importa que ela seja de bilhões ou que ela seja alguns milhares lá na ponta, em uma prefeitura onde nós costumamos fiscalizar. E você tem mostrado, em excelentes programas, como a corrupção mata. Mata porque impede que funcione o serviço de saúde, porque impede que funcione o equipamento no hospital lá da pequena cidade, porque tira merenda da boca das crianças. Essa pequena corrupção, nós também atuamos nela. Atuamos em todas as pontas dentro das possibilidades que temos”, ressalta.

Prestes a deixar o cargo no próximo dia 31, o ministro Jorge Hage responde a uma última pergunta:

Fantástico: Que recado você pode deixar para aquele que está desviando dinheiro público, que está mexendo nesse dinheiro que é dos brasileirinhos, que é da merenda, da saúde, da educação?

Jorge Hage: Que esse bandido de colarinho branco, quem sabe amanhã ele pode acordar 6h com a PF na porta dele.

http://youtu.be/1vZpw6SlK5A

COISAS PEQUENAS

Coisas pequenas são
coisas pequenas
são tudo o que eu te quero dar
e estas palavras são
coisas pequenas
que dizem que eu te quero amar.
Amar, amar, amar
só vale a pena
se tu quiseres confirmar
que um grande amor não é
coisa pequena
que nada é maior que amar.
E a hora
que te espreita
é só tua.
decerto, nao será
só a que resta;
a hora
que esperei a vida toda,
é esta.
E a hora
que te espreita
é derradeira.
decerto já bateu
à tua porta.
a hora
que esperaste a vida inteira,
é agora.
————————————————————————-
BOM DIA!!!


=============================================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

REDAÇÃO

Em meio ao escândalo da Operação Lava Jato, Graça Foster, presidente da Petrobras, propôs a Dilma Rousseff durante um encontro na quarta-feira – que não constou da agenda oficial de Dilma – que ela e os demais diretores da empresa fossem substituídos, segundo informações da GloboNews.

Na sexta, o jornal Valor Econômico revelou que uma ex-gerente enviou e-mails a Graça Foster e alertou a diretoria sobre desvios de dinheiro na empresa.

Durante o encontro, Graça afirmou que, independentemente das suspeitas, o desgaste chegou a tal ponto que a gestão da empresa está comprometida, chegando à conclusão de que somente uma nova diretoria poderá superar a atual crise da empresa, opinião compartilhada por outros diretores da companhia.

A ideia é que um novo presidente e um novo diretor financeiro, vindos de fora dos quadros da empresa e com liberdade para compor a equipe, poderiam completar a diretoria das áreas técnicas com quadros da própria Petrobras. No Palácio do Planalto, porém, interlocutores de Dilma afirmam que ela não deu nenhum sinal de que pretende trocar o comando da Petrobras.

Segundo informações do site G1, amigos de Graça Foster avaliam que a presidente da Petrobras pode estar no limite de sua resistência pessoal. Relatórios internos da Petrobras apontam indícios de que ex-diretores da estatal interferiam e faziam ajustes nas listas de empresas a serem convidadas para licitações, segundo informações divulgadas ontem pelo Jornal Nacional, da Rede Globo.

O relatório estudou 30 licitações e ouviu 71 pessoas. De acordo com o documento, mais da metade das licitações ficou com as empresas investigadas na Operação Lava Jato.

O relatório afirma que os ex-diretores Paulo Roberto Costa e Renato Duque acompanhavam passo a passo as licitações e que teriam interferido na escolha das empresas que iriam participar da construção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e acabaram tomando decisões que tornaram mais elevados os custos da construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

Funcionária alertou Graça Foster
sobre desvios na Petrobras, diz jornal

Outra investigação interna da Petrobras, relacionada com as obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, cita o nome de Venina da Fonseca, ex-gerente da estatal, que trabalhava com Paulo Roberto Costa.

A matéria publicada sexta-feira pelo Valor Econômico relatava que Venina alertou Graça Foster, atual presidente da estatal, em mensagens eletrônicas, sobre várias irregularidades que estavam acontecendo.

Em nota divulgada na sexta-feira, a Petrobras afirmou que investigou todas as denúncias de Venina e a acusou de não ter revelado fatos que agora está trazendo ao conhecimento da imprensa. Ainda segundo a Petrobras, Venina “foi destituída depois que ameaçou seus superiores que iria divulgar supostas irregularidades, caso não fosse mantida na função gerencial”.

A Petrobras declarou que não comenta os relatórios da comissão interna de investigação sobre o Comperj e a refinaria Abreu e Lima. Venina deverá ser ouvida na próxima semana para prestar esclarecimentos sobre as denúncias feitas.

  • Arquivos