Neto, Ricardo e Souto:”Salvador com o pé no acelerador”

=======================================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

Da Redação

O ex-governador Paulo Souto, anunciado nesta quarta como substituto de Mauro Ricardo na Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz), vai encontrar a cidade com R$ 1 bilhão em caixa. O anúncio da mudança foi feita pelo prefeito ACM Neto. A transição na pasta começa hoje,4, e segue até 31 de dezembro – depois, Mauro Ricardo assume a Secretaria da Fazenda do Paraná.

O prefeito e o secretário destacaram as conquistas da gestão até agora. No fim de 2012 e início de 2013, a capital baiana tinha dívida de R$ 3,6 bilhões e um déficit de R$ 933 milhões. Hoje, além do R$ 1 bilhão em caixa, a dívida foi reduzida em 53,3%.”Estamos encerrando o ano com R$500 milhões em superávit. Ou seja, vamos poder entrar 2015 com o pé no acelerador, fazendo investimentos em obras e melhorando os serviços públicos de Salvador. Isso é algo espetacular”, afirmou Mauro Ricardo. “No período entre 2012 e 2014, houve um crescimento de 33,1% na receita, que vai chegar a 61,6% em 2015. Até 2015, teremos recursos adicionais da ordem de R$4,2 bilhões”, acrescenta.

O secretário também destacou a aprovação, pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), das contas da prefeitura, depois de três anos sendo rejeitadas. As contas foram aprovadas nesta quarta, com ressalvas. Mauro Ricardo ainda falou de como Salvador se tornou uma “cidade ficha limpa”, zerando pendências com o governo federal.

O prefeito deve anunciar na sexta (5) uma reforma administrativa da Prefeitura. Ele também disse confiar no sucesso de Paulo Souto à frente da Sefaz. “É um dos homens públicos mais experientes do Brasil. E mostra que tem espírito público ao aceitar o nosso convite”, afirmou.

Be Sociable, Share!

Comentários

rosane santana on 4 dezembro, 2014 at 6:29 #

Inteligentíssimo esse ACM NETO e o marketing político que o sustenta. Define uma reforma administrativa com nomes de peso, no momento em que o governador eleito anunciará um secretariado inexpressivo. Assim, permite a comparação com o governo dos adversários e vai construindo caminho para a reeleição em 2016. Ao mesmo tempo, enquanto mostra uma cidade financeiramente recuperada em apenas dois anos, o Estado, mesmo com a entrada maciça de recursos federais, todos esses anos, suspendeu os pagamentos a fornecedores e prestadores de serviços, com dificuldade de caixa e de se enquadrar nas exigências da lei de responsabilidade fiscal. Dizem que a Bahia estaria falida.


luiz alfredo motta fontana on 4 dezembro, 2014 at 8:46 #

Pingo nos is!

A PF, o MPF, a imprensa investigativa, a Receita Federal, só investiga um ente estatal, tipo Petrobrás, após denúncias ou evidências desastradas de ilícitos em suas entranhas.

Ao contrário, a CGU, tem, ou deveria ter, por ofício, a obrigação de estar atenta diuturnamente.

Pois é!

Teoricamente os escândalos havidos deveriam ter sido apontados, em primeira mão, pela doce e cândida CGU.

Talvez a PF, o MPF, etc, sejam abelhudos apressados. Quem quiser que acredite.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos