Dilma em Petrolina:encontro com a militância

==============================================================

DEU NO BLOG DE JAMILDO

A presidente Dilma Rousseff (PT) disparou contra os problemas de abastecimento de água no Estado de São Paulo, governado pelo PSDB, no discurso que proferiu em Petrolina, no Sertão do São Francisco, em Pernambuco, no início da tarde desta terça-feira (21).

“São Paulo, o estado mais rico do país, não se preparou para a seca. Já o governo federal se preparou e trouxe água para o Nordeste”, afirmou enérgica, próxima do Rio São Francisco. Os testes do sistema de bombeamento da Transposição começaram na semana passada. Os primeiros, falharam.

Em São Paulo, moradores de várias cidades e de alguns bairros da capital tem reclamado da falta de água em alguns períodos do dia, após a reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Oficialmente, apenas a cidade de Itu passa por racionamento. Os paulistas têm dificuldade de abastecimento devido a baixa no nível de água do Sistema Cantareira, que abastece 8,8 milhões de pessoas.

“Eu vim aqui pedir o voto de vocês. Mais do que o voto, eu vim pedir a fé de que nós não deixemos a bola cair, para que a gente vença junto”, pediu a presidente. Nesta quarta (22), os ministros Francisco Teixeira, da Integração Nacional, e Miriam Belchior, do Planejamento, irão visitar as obras da Transposição em Pernambuco.

O ato ocorreu paralelamente a um encontro da Articulação Semiárido (ASA) em Juazeiro, na Bahia, que é separada de Petrolina por uma ponte. O discurso de Dilma ocorre na Praça Dom Malan, no Centro da cidade pernambucana. “Diante da urna vamos fazer um manifesto pelo semiárido, pois assim conquistaremos o direito de governar por mais quatro anos”, disse a presidente.

Diante da militância petista, Dilma fez várias críticas ao PSDB, partido do adversário Aécio Neves. “Eles que têm uma visão afastada do Brasil não sabem que esse povo é trabalhador, que paga seus impostos”, disse a presidente, em referência aos nordestinos.

Dilma disse ainda que ao contrário dos tucanos, o PT governou para a população mais pobre e a incluiu no orçamento federal. “Nós não recuamos. Nós não temos medo deles. Nós derrotamos eles três vezes e vamos derrotar a quarta vez”, prometeu.

A candidata também afirmou que a diferença é enorme quando se compara o governo dela e o do ex-presidente Lula (PT) ao de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). “Você acha que o Brasil está melhor ou pior? Você acha que os governos tucanos fizeram mais ou menos por você?”, questionou a população.

Em seguida, Dilma disse que 22 milhões de pessoas superaram a miséria extrema apenas no seu governo e que tinha orgulho de ter construído um milhão de cisternas.

“Hoje aqui no Nordeste tem cisternas. Tem casa pra morar. Tem garantia da continuidade do Bolsa Família”, disse a presidente, sugerindo que uma vitória de Aécio pode ameaçar os programas sociais do governo federal.

============================================================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

Da Redação

O adolescente que foi baleado no estacionamento da faculdade Área 1, na avenida Paralela, morreu após dar entrada no Hospital Roberto Santos. O caso aconteceu na manhã desta terça-feira (21), por volta das 10h30.

Segundo a Polícia Militar, informações preliminares apontam que o rapaz tentou roubar um carro no local, e foi baleado por uma pessoa que reagiu à ação.

Houve pânico entre os estudantes após os disparos, e diversos jovens se esconderam em salas de aula e na biblioteca da instituição. O jovem que ficou ferido foi identificado como Railan da Silva Santana, de 17 anos. Ele já estava morto, com dois tiros pelo corpo, após dar entrada no posto de Polícia Civil do Hospital Roberto Santos.

Alunos da Faculdade Área 1 afirmam que pelo menos cinco disparos foram feitos dentro da instituição. Os universitários também disseram que a pessoa que reagiu ao assalto era um policial que estuda na faculdade.

Já um representante de Ruy Barbosa afirmou que os tiros aconteceram do lado de fora da faculdade, e que Railan teria se escondido dentro do estabelecimento.

Viaturas da 82ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/CAB/Paralela) foram enviadas à universidade, e socorreram o adolescente para o Hospital Roberto Santos. Não há informações de presos, nem a confirmação de que a pessoa que atirou no jovem era estudante do local.

*Com informações da repórter Amanda Palma
T

http://youtu.be/H5uaL9WQgBM


Un Homme et Une Femme

Voz:Mireille Mathieu
Composição: Francis Lai/Pierre Barouch/Keller
video sem finalidade lucrativa
imagens da internet
creditos: Léia Reis

BOA TARDE!!!

DEU NO CORREIO DA BAHIA

Da Redação

Um jovem foi baleado no estacionamento da faculdade Área 1, na avenida Paralela, na manhã desta terça-feira (21). De acordo com informações da Central de Polícia, o crime aconteceu por volta das 10h30. Informações preliminares apontam que os tiros atingiram um estudante da instituição.

Houve pânico entre os estudantes após os disparos. O jovem que foi ferido ainda não foi identificado pela polícia. Viaturas da 82ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/CAB/Paralela) foram enviadas à universidade. Não há informações de presos, ou se jovem ferido pelos disparos estudava no local.

=============================================

BAHIA EM PAUTA INFORMA: A publicitária Laura Tonhá, criadora e colaboradora deste site blog, é estudante de Direito e assistia aula na Área 1 quando o tiroteio intenso começou. Houve pânico e correria na instituição de ensino superior e vários estudantes se trancaram nos banheiros até cessar e tiroteio.

Há informações preliminares de que tudo começou quando bandidos atacaram e tentaram tomar o carro de um jovem policial civil, aluno da faculdade. Ele estava armado e reagiu e uma pessoa foi baleada. A situação agora está sob controle.

(Vitor Hugo Soares, editor)

out
21
Posted on 21-10-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 21-10-2014


=========================================================
Aroeira, hoje, no jornal O Dia (RJ)

==============================================================

DEU NO JORNAL ESPANHOL EL PAIS (EDIÇÃO DO BRASIL)

Juan Arias

Ao se dirigirem aos brasileiros nos debates públicos, os candidatos à presidência, Dilma Rousseff e Aécio Neves, falaram de dois projetos diferentes para o Brasil.

A impressão é que estavam se dirigindo a dois países diferentes. E é verdade que nestas eleições, mais que em todas as anteriores desde a democratização, os brasileiros se apresentam divididos em duas metades praticamente iguais entre os que se dispõem a votar no Brasil de Dilma e os que preferem o Brasil de Aécio.

Como são esses dois Brasis apresentados pelos candidatos com vocação para governar o país? Ou se trata de uma divisão artificial criada pelos assessores de imagem dos candidatos já que, na realidade, existe um único Brasil? Quem e como foi dividido o país entre os que temem perder o que têm e os que desejam conseguir mais do que já foi conquistado, que é o que exigia o clamor da rua em 2013?

A candidata Rousseff em suas palavras finais no debate deixou claro que existe um projeto em curso que fez o país avançar com novas conquistas, como maior inclusão social, que não existia antes, e outro que seria o espelho de um passado que criou desemprego e salários baixos.

O candidato Neves, ao contrário, fez alusão a outros dois projetos diferentes: o que continua comparando o Brasil de hoje com o Brasil do passado, que seria o do PT, e o que desejaria mudar o país em tudo aquilo que hoje significa retrocesso para oferecer novas possibilidades, que seria o seu, o da mudança. Seria um choque entre o passado e o futuro. As duas posições têm força eleitoral quase igual.

É, no entanto, interessante analisar melhor quais brasileiros, por idade, estudos e posição social apoiam cada um desses projetos.

Pelo que revelaram até agora as pesquisas do Datafolha, fica bastante claro que o Brasil que poderíamos chamar de “do medo”, o que teme perder o já conquistado, se concentra principalmente entre os eleitores de idade mais avançada, de menor escolaridade e de menor posição econômica, localizado nas regiões menos ricas do país e nas menores cidades do interior.

Ao contrário, o chamado Brasil “da mudança”, se divide entre os mais jovens, os mais escolarizados e os de maior renda, que vivem nos Estados mais prósperos e nas grandes cidades.

Isso significa alguma coisa? Talvez signifique. Poderia indicar, segundo os sociólogos, que a tendência do Brasil para o futuro, independente de quem ganhar a eleição, será a de colocar mais foco no presente e no futuro do que no passado. São os jovens, que não conheceram o passado, que continuarão apoiando mais a política de mudança que a do medo, já que está mais próxima a seus pais. São os que mais estudaram e estão mais bem preparados para fazer uma análise completa da situação do Brasil que apresentarão, daqui para a frente, menos medo de mudar.

São os que já conseguiram abrir caminho no mundo do trabalho qualificado, os pequenos empresários, muitos deles jovens, os que acham que retrovisor lembra o passado, preferem o iPhone, uma espécie de farol que a cada dia ilumina as novidades destinadas a mudar nossa vida.

Na verdade, acho que têm razão os que preferem pensar que existe um só Brasil, nascido dos protestos que muitos desejariam sepultados para sempre, mas que provavelmente continuarão vivos, dispostos a dar novos suspiros no momento menos pensado.

Existe o Brasil que está se modernizando, que viaja mais, que estuda e lê, sensível à nova política participativa, menos compreensivo com a hidra da corrupção, e que perdeu o medo de abrir novos caminhos em busca de uma sorte melhor.

Qualquer um dos dois candidatos que acabe vencendo, não deveria esquecer que não é mais possível continuar governando com os olhos voltados, por cálculo às vezes puramente políticos, para um dos dois Brasis que está se enfrentando. O Brasil, ou crescerá junto economicamente, dominará junto o monstro da inflação e abraçará a modernidade de uma democracia mais afinada com os países desenvolvidos do que com os caribenhos e bolivarianos, ou continuará eternamente submerso na falácia da divisão entre pobres e ricos, entre os arrepios do medo e a aposta pela esperança.

Há processos na história dos países que são irreversíveis. Minha aposta é que também o Brasil, todo ele, apesar de todas suas sombras, medos e perplexidades, já apostou pelo futuro. E apostaram nessa direção os que costumam ser sempre os donos do futuro, como são os jovens e os capazes de pensar e analisar o mundo. São eles, no final que acabam dando corpo e vida a essa nova realidade social.

Basta dar hoje uma volta pelo Brasil para perceber a sensação de que nem sequer os que ainda são pobres querem continuar nesta condição e nem querem ser considerados assim. Estão na fila para entrar no clube dos que não têm medo de triunfar. Querem deixar para trás a triste herança de um passado que os obrigou a resignar-se com sua sorte. Muitos sofreram na pele de seus pais e querem deixar isto para trás, para sempre.

Esse é o país que está se desenhando para o futuro e que talvez nem sequer coincida com o resultado das eleições porque acabará se impondo por si mesmo com ou sem a bênção dos políticos que continuam apostando por um Brasil dividido e desenhado com os pincéis do medo mais do que com os de um novo cometa que traga o milagre de uma esperança de superação.


Esta intensa e maravilhosa canção foi composta quando o portenho Litto Nebbia, de passagem pela cidade do México, escutava um bolero. A música e a poesia,sem fronteiras, agradecem. Confira!

(Vitor Hugo Soares)


=======================================================

DEU NO PORTAL TERRA

Morreu nesta segunda-feira aos 82 anos o estilista dominicano Oscar de la Renta, que lutava desde 2006 contra um câncer, confirmou sua família na madrugada desta terça-feira, 21.

Conhecido por desenhar peças para celebridades e estrelas de cinema, o estilista desenhou recentemente o vestido de noiva da advogada Amal Alamuddin, que se casou com George Clooney em outubro.

Nascido na República Dominicana, em 1932, de la Renta saiu de casa aos 18 anos para estudar pintura em Madri. Foi lá que ele desenvolveu um amor pelo design de moda e foi estagiar com Cristóbal Balenciaga, seu mentor, e depois conseguiu um emprego na maison Lanvin, em Paris.

Ele ficou mundialmente famoso no mundo da alta costura na década de 60, quando a primeira-dama Jaqueline Kennedy começou a ser vista vestindo de la Renta. Ele abriu sua primeira loja em 1965, em Nova York.

O estilista também era o favorito de nomes como Oprah Winfrey, Hillary Clinton e Sarah Jessica Parker.
(~informações da agência EFE)


“Duas irmãs, uma paixão”:um destaque da mostra

===========================================================

Pelo terceiro ano consecutivo, evento exibirá curtas e longas-metragens premiados e contará com a presença de vários diretores e atores alemães

O país vencedor da Copa do Mundo 2014 mostra que também bate um bolão no cinema. A partir de 24 de outubro o Brasil recebe, pelo terceiro ano consecutivo, o Panorama Alemão. O evento, produzido pela German Films, centro de promoção de filmes alemães em todo o mundo, contará com a presença de cineastas e atores cujas películas compõem a programação.

A mostra começa por Recife, onde os filmes serão exibidos de 24 de outubro a 2 de novembro, como parte da programação do festival Janela Internacional de Cinema. Em seguida, será a vez de Salvador receber o Panorama Alemão, de 29 de outubro a 5 de novembro, dentro do Panorama Internacional Coisa de Cinema. São Paulo será a próxima cidade contemplada, de 5 a 12 de novembro. Por fim, Rio de Janeiro encerrará a programação, com exibição dos filmes de 12 a 19 de novembro.

Ao todo, serão 22 longas-metragens, doze a mais do que no ano anterior, e sete curtas-metragens, muitos deles vencedores do German Short Film Price ou indicados ao prêmio. “O cinema alemão se encontra em uma fase de grande desenvolvimento. Não só o sucesso internacional dos filmes do Festival de Berlim de 2014, como também o sucesso de filmes alemães em outros festivais internacionais são prova deste fato”, afirma Mariette Rissenbeek, diretora executiva da German Films.

O evento, cuja primeira edição ocorreu em 2012, vem conquistando cada vez mais a atenção público. “É com muito prazer que apresentamos este ano aos brasileiros uma ampla seleção de produções alemãs atuais. Os diretores trabalham seus temas não só com muita força e paixão, como também com sensibilidade e imagens exuberantes. O cinema alemão tem algo a oferecer a qualquer espectador”, comemora Rissenbeek.

Um dos destaques do Panorama Alemão 2014 é o filme Duas Irmãs, Uma Paixão (The Beloved Sisters), escolha oficial alemã para a disputa por uma indicação ao prêmio de melhor filme de língua estrangeira do Oscar 2015. Na história, as irmãs aristocratas Charlotte e Caroline se apaixonam pelo controverso e esquentado jovem escritor Friedrich Schiller. Desafiando as convenções da época, as jovens decidem dividir seu amor por ele. O que começa quase como um jogo entre os três logo se torna algo sério, levando ao fim de seu pacto. A direção é de Dominik Graf. Duas Irmãs, Uma Paixão (The Beloved Sisters) venceu na categoria melhor cinematografia no Prêmio Bávaro de Cinema 2013 e do Festival internacional de Cinema de Berlim 2014, também conhecido como Berlinale, um dos mais importantes festivais de cinema da Europa e do mundo.

Também merece destaque o filme A Outra Pátria (Home From Home – Chronicle of a Vision), do aclamado autor e cineasta alemão Edgar Reitz, um dos idealizadores pioneiros do Novo Cinema Alemão, que causou e continua a causar um profundo impacto nas artes cênicas dentro e fora de seu país. O filme é um retrato do que ocorreu em meados do século XIX, quando centenas de europeus imigraram para a América do Sul em uma tentativa desesperada de escapar da fome, da pobreza e do despotismo regentes em seus países de origem. O lema vigente era: “Qualquer destino é melhor que a morte”. Nesse contexto, dois irmãos percebem que somente seus sonhos são capazes de salvá-los. A Outra Pátria faz parte da trilogia Heimat (“pátria” ou “terra natal”). A série televisiva de três temporadas, realizada entre 1984 e 2004, rendeu ao diretor e roteirista Reitz elogios da crítica e do público alemão. Em 2013, recebeu o Prêmio Bávaro de Cinema nas categorias produção e roteiro, e de melhor filme, direção e roteiro no German Film Award 2014.

Outro que chama a atenção é Ocidente (Westen), uma drama forte e emocional com grande força política e pessoal. Após conseguir emigrar da Alemanha Oriental, em 1978, Nelly começa a pensar se seu antigo namorado – pai de seu filho e que teria morrido em um acidente de carro – era um espião e se ele até poderia estar vivo. Mas ela também tem que decidir se ela deixará o trauma do passado destruir o futuro que ela tinha em mente para si e seu filho. Ocidente levou o prêmio FIPRESCI de melhor atriz em Montreal 2013, menção especial do júri em Arras 2013, Prêmio Alemão de Cinema 2014 (Melhor atriz: Jördis Triebel).

Completam a programação de longas-metragens do Panorama Alemão 2014 os seguintes filmes: Jack, de Edward Berger, A Camareira (The Chambermaid Lynn), de Ingo Haeb, Love Steaks, de Jakob Lass, Dane-se Goethe (Suck Me Shakespeer), de Bora Dagtekin, Não Me Esqueça (Lose My Self), de Jan Schomburg, Tango De Uma Noite De Verão (Midsummer Night’s Tango), de Viviane Blumenschein, Um Brinde à Vida! (To Life!), de Uwe Janson, Via-Crúcis (Stations Of The Cross), de Dietrich Brüggemann, Stereo, de Maxilian Erlenwein, The Green Prince, de Nadav Schirman, Beltracchi – A Arte da Falsificação (Beltracchi – The Art Of Forgery), de Arne Birkenstock, O Pacote Completo (The Whole Shebang), de Doris Dörrie e O Samurai (The Samurai), de Till Kleinert.

Os sete curtas participantes do Panorama Alemão 2014 são Domingo 3 (Sonntag 3), Sunny, Father, Rinoceronte a galope (Nashorn im Galopp), Reality 2.0, Floresta (Forst) e Curta-metragem (Short film).

Sessão especial – Como parte da programação do Panorama Alemão, no dia 4 de novembro, às 20h, o Goethe Institut realizará sessão especial em suas instalações, em Salvador, do filme Debaixo Da Neve (Under Snow), dentro do festival Panorama Internacional Coisa de Cinema. Na província japonesa de Echigo, o inverno é intenso. Por mais mágica que a paisagem invernal possa parecer, a vida na neve é árdua para os habitantes da região. O diretor Ulrike Ottinger observa o modo de vida nos dias atuais, e simultaneamente envia dois atores para uma viagem ao passado da região. Debaixo Da Neve é um documentário realista sobre uma região e igualmente uma exploração de seus mitos. Foi exibido também, no ano passado, durante o Festival do Rio, que realizou uma grande retrospectiva de Ulrike Ottinger.

Vale lembrar que as edições da mostra em São Paulo e Rio de Janeiro contarão ainda com exibição de cinco longas-metragens que fazem parte da retrospectiva “Migração”, também promovida pelo Goethe Institut. São eles: Bem-vindo à Alemanha (Almanya), de Yasemin Samdereli, A Cor do Oceano (The Colour of the Ocean), de Maggie Peren, Em Lugar Algum na África (Nowhere In Afrika), de Caroline Link, Quando Partimos (When We Live), de Feo Aladag e Luzes (Distant Lights), de Hans-Christian Schmid. Haverá ainda, no dia 20 novembro, às 21h, sessão especial no Cine Joia, no Rio de Janeiro, com exibição dos sete curtas-metragens promovida pela German Films em colaboração com a AG Kurzfilm.

Sobre a German Films – Centro nacional de informação e aconselhamento para promoção de filmes alemães pelo mundo, a German Films Service + Marketing GmbH foi criada em 1954 com o nome “Export-Union of German Cinema”. Por meio do trabalho de relações públicas e das ações de marketing desenvolvidas pelo escritório, a German Films busca difundir o cinema alemão e aumentar o interesse por filmes germânicos no exterior.

Os parceiros da German Films na Mostra Panorama Alemão 2014 são: Goethe Institut, Cinemas Espaço Itaú, Festival do Rio, Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Janela Internacional de Cinema do Recife, Panorama Internacional Coisa de Cinema – Salvador e AG Kurzfilm.

Serviço:

Recife (dentro da Janela Internacional de Cinema do Recife)

Data: 24 de outubro a 2 de novembro

Local: Cinema São Luiz (R. da Aurora, 175 – Boa Vista) e Cinema da Fundação (Rua Henrique Dias 609 – Derby)

Ingressos: São Luiz (R$ 4 e R$ 2) e FUNDAJ (R$ 8 e R$ 4)

Salvador (dentro do Panorama Internacional Coisa de Cinema)

Data: 29 e outubro a 5 de novembro – Salvador

Local: Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha (Praça Castro Alves – Centro)

Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

Sessão especial Debaixo da Neve

Data: 4 de novembro

Horário: 20h

Local: Goethe Institut (Av. Sete de Setembro, 1809 – Vitoria)

Entrada franca

São Paulo

Data: 5 a 12 de novembro – São Paulo

Local: Rua Augusta, 1.475 (Salas 1, 2 e 3) – Consolação e Rua Augusta, 1.470 (Anexo, salas 4 e 5) – Consolação

Ingressos: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia)

Rio de Janeiro

Data: 12 de novembro a 19 de novembro

Local: Praia de Botafogo, 316

Ingressos: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia)

  • Arquivos