DEU NO UOL/FOLHA

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira (15) aponta os seguintes percentuais de votos válidos no segundo turno da corrida para a Presidência da República:
– Aécio Neves (PSDB): 51%
– Dilma Rousseff (PT): 49%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”.

De acordo com o Datafolha, “o segundo turno da disputa pela Presidência da República continua empatado após a retomada das propagandas no rádio e na TV”.

Votos totais
Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

– Aécio Neves (PSDB): 45%
– Dilma Rousseff (PT): 43%
– Em branco/nulo/nenhum: 6%
– Não sabe: 6%

Na margem de erro, os candidatos estão empatados tecnicamente.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 9, Aécio tinha 46% e Dilma, 44%.

O Datafolha ouviu 9.081 eleitores em 366 municípios nos dias 14 e 15 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01098/2014.
rno

==================================================================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

O jornalista e escritor cearense Xico Sá, 52 anos, estará em Salvador, hoje, para o lançamento do Livro das Mulheres Extraordinárias, às 18h, na Livraria Cultura do Salvador Shopping (Pituba). Além de sessão de autógrafos, o autor também participa de um bate-papo com os leitores e fãs. O evento é gratuito.

Mais de cem mulheres brasileiras – do teatro, da música, da literatura, da televisão, do cinema e da moda – encontram-se reunidas na publicação, que é uma espécie de declaração pública de amor. Entre as beldades homenageadas através de crônicas estão Luiza Brunet, Camila Pitanga, Gisele Bündchen, Sabrina Sato, Isis Valverde, Marisa Monte, Thais Araújo, Fernanda Lima e Juliana Paes.

O Livro das Mulheres Extraordinárias sai pela editora Três Estrelas. Xico Sá também publicou Big Jato, Chabadabadá, Modos de Macho & Modinhas de Fêmea, entre outros livros. Atualmente, ele está no ar no programa Amor & Sexo, da Globo/TV Bahia. Até segunda-feira, era colunista da Folha de São Paulo, de onde

BOA TARDE!!!

out
15


===========================================================

DEU NO IG (ÚLTIMO SEGUNDO)

O cantor Milton Nascimento, 71 anos, recebeu alta e deixou o Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, nesta quarta-feira (15), por volta das 11h.

O músico foi internado na segunda-feira (13) e passou por um cateterismo, procedimento invasivo para examinar vasos sanguíneos e o interior do coração.

A recomendação médica, segundo boletim do Incor, é que o músico siga tomando os remédios prescritos e volte à rotina, com periódicas avaliações de saúde.

De acordo com o hospital, o cateterismo fazia parte da sequência de exames que o cantor tem sido submetido no Incor desde agosto, quando abandonou um show em São Paulo após sentir um mal-estar.

Na ocasião, a assessoria de imprensa do cantor afirmou que ele tinha sido levado ao Incor e recebido alta horas depois, após exames de sangue não apresentarem nenhuma alteração.

O artista da MPB, que fará 72 anos em 26 de outubro, tem diabete e sofre de hipoglicemia. No começo dos anos 2000, perdeu muito peso e ficou internado por causa da doença.

======================================================

CRÔNICA

O tempo no pretérito perfeito

Maria Aparecida Torneros

Quando o tempo parece ser o pretérito perfeito. Assim , nos últimos tempos, ando me sentindo. Mamãe, com quem convivo muito, perde as memórias recentes, mas recorda detalhes do passado. Eu, por meu lado, vou apagando os maus momentos, busco reativar somente as delícias que vivi. Mas, sei que estou respirando e vivo aqui com meus planos minúsculos. Ir no supermercado agora faz parte da agenda. Consultas e exames médicos também. Fisioterapias. Cirurgias. Nenhuma festa. Onde anadam aqueles convites irrecusáveis de outros tempos? Ora, se me ligam e convidam, respondo não posso e obrigada. Razões várias. Dores, cansaços, falta de motivação, saudades dos velhos tempos.

Almoços e jantares, às vezes dou uma escapadela, geralmente, na solidão da minha própria companhia. Afinal, lá se vão 65 anos em que me aturo e tento compreender. Hoje, um lampejo de felicidade. Minha prima Carmen e seu namorado Vitorino, no cartório, casam, ambos da minha geração, corajosamente prometem festa e casório religioso para o próximo ano. Ela dependerá da presença dos filhos, ambos casados, que moram fora do Rio. O rapaz, casado e pai de duas meninas, vive em Portugal. A moça, também casada, está em Salvador, e acaba de ganhar sua segunda filhinha, há menos de um mês. No telefone, minha amada prima irmã me explica que viaja na proxima semana para conhecer sua quarta netinha.
Fico feliz por ver que está vivendo de presente e futuro.

Tento ver um horizonte pra mim, escrevo ao terapeuta pois desconfio de depressão embora não tenha tendência, mas, as dores crônicas da coluna me castigam demais e a solidão absurdanente me aquieta. Durmo, leio, vejo filmes. E, repentinamente, observo o debate da Dilma versus Aécio na tv. Por poucos minutos. Não aguento tanta colocação belicosa e me tonteia lembrar origens de partidos como PT e PSDB, que eu cheguei a pensar um dia que eram ambos guerreiros contra a ditadura militar.

Eta papo bocó esse meu de tentar compreender o incompreensível. Poder se conquista com voto? Ou será com acordos, desacordos, esquecimentos e planejamentos?

Amores também, se fazem reais nos filmes, nas novelas, nos livros. Fora disso, a mim, atualmente, me parecem mentiras ou jogos de interesse. Falos dos meus. Os que me rondam. Aqueles que brincam de gangorra com meus sentimentos e balançam meu coração de poeta antiga.

Reenconto Peppino di Capri. Este é mesmo um grande amor. De geração. Ele implora à Roberta que o escute.
A mim, se alguém me faz pedido semelhante, lamento informar que ando surda. Já nao ouço mais tantos sons mentirosos, não me chamo Roberta, estou muito cansada, penso em faltar com minha obrigação de votar no segundo turno, e, pra completar, o verão escaldante chegou cedo demais e minha cidade ferve.

Procuro um espelho, pergunto-lhe se existe uma Branca de Neve tão desiludida quanto eu. E o bruxo me responde que sim. Que há um número imenso de mulheres e homens vítimas da violência, da desigualdade e dos males fisicos e emocionais.
Consolo-me ouvindo Peppino, recordando Capri, desejando mil felicidades aos meus primos casadoiros, maduros, corajosos, merecedores do bem.

E, ansiosamente, aguardo no meu silêncio acuado que o tal Amor me (desencontre de vez. Quem sabe com auxílio de uma boa tecnologia eu consiga acreditar nele de novo? quer dizer , pode ser que ele tenha, comigo, algum arremedo de futuro. Vou morder a maçã envenenada e me entregar à sorte ou azar de acordar na floresta, cercada de duendes ou anjos, tendo à frente um príncipe que já foi sapo po muitas encarnações.

Bem, por precaução, reservarei um lugarzinho na casa de repouso de idosos, sei que pode parecer precipitado, mas já me informei, eles aceitam desde os 60, e abrigam poetas desiludidas, apesar dos seus pretéritos imperfeitos!

Cida Torneros é jornalista e escritora. Mora no Rio de Janeiro, edita o Blog da Mulher Necessária, onde o texto foi publicado originalmente.

out
15
Posted on 15-10-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 15-10-2014


————————————————————————-
Miguel, hoje, no Jornal do Comércio (PE)


Robson e André:relações não esclarecidas…
================================================================


…co o padre Francisco

============================================================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

Apesar de ainda não ter informações detalhadas sobre a relação que o padre Francisco Carlos de Souza, 50 anos, morto no último dia 5, tinha com seus assassinos, Robson Sousa Oliveira, 26 anos, e André Ferreira do Amaral, 28, a polícia já chegou à conclusão de que o crime foi premeditado.

“As ligações nos levam a acreditar que o local já tinha sido estudado. A forma de prática do crime, tudo isso já nos leva a crer e nos traz um grau de certeza de premeditação”, afirmou, na manhã de ontem, o delegado Marcelo Sansão, na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba, durante a apresentação dos acusados.

Padre foi morto no último domingo
(Foto: Almiro Lopes)

Outra situação já esclarecida seria o tipo de participação que cada um teve na execução: enquanto Robson teria atraído o religioso ao terreno em Stella Maris, e segurado a vítima, André seria o autor dos 18 golpes de chuço (arma artesanal) em padre Francisco. “Robson teria feito apenas o ato de puxá-lo para a parte interna do terreno. Os golpes foram efetuados pelo André”, afirmou Sansão.

A polícia ainda não sabe se parte da mesada que o padre dava a Robson era repassada a André. A participação de uma terceira pessoa foi descartada. Na apresentação, os suspeitos quase não falaram com a imprensa. Robson apenas disse que “não recebia nada” do padre e que não o conhecia. “Eu não fiz nada”, declarou. André preferiu se calar.

Segundo a polícia, Robson informou que conheceu o padre dois meses atrás, na mesma região onde ocorreu o crime. “Mas acreditamos que tenha mais tempo, por tudo que foi coletado nos autos”, ponderou o delegado. O local é perto do Centro de Formação de Líderes da Igreja Católica, onde Francisco fazia celebrações esporadicamente.

Indiciados
Robson é desempregado e conhecido na região por praticar surfe. Ele conheceu o comparsa André em um centro de tratamento para usuários de drogas. A dupla foi indiciada por homicídio qualificado, pela impossibilidade de defesa e pelo sofrimento causado à vítima. Eles já foram encaminhados ao sistema prisional. A polícia ainda não sabe se a aproximação do padre com Robson tem a ver com o fato de ele ser usuário de drogas.

“Estivemos no consultório onde o padre (que também era psicólogo) trabalhava, mas ainda não há indícios de que eles eram pacientes de lá”, disse. Ainda conforme o delegado, os acusados foram vistos usando drogas próximo ao lugar do crime. “Uma testemunha viu no local eles usarem droga. Talvez seja o fator gerenciador do crime”, sugeriu. André já tinha passagem na polícia por tráfico de drogas em Dias D’Ávila. Não foram encontrados registros de Robson no sistema da Polícia Civil.

Dinheiro
Os acusados disseram à polícia que a suspensão do pagamento da mesada teria sido o motivo do crime. “Eles negam a vinculação de um relacionamento como motivação, mas trazem a questão financeira como um fator motivador”, pontuou o delegado. O dinheiro que foi sacado pelo padre no dia de sua morte ainda não foi encontrado – o valor não foi divulgado.

O carro do padre Francisco, um Fox prata, que foi encontrado queimado no povoado de Orojó, em Igrapiúna, Sul do estado, também foi levado para que os suspeitos tivessem um retorno financeiro. O carro chegou a ser vendido por R$ 3 mil, mas a dupla desistiu do negócio e incendiou o veículo.

Por conta da ausência de detalhes sobre a relação entre a vítima e os comparsas, especialmente Robson, a polícia vai voltar a colher depoimentos. “Vou reinterrogá-lo. Ele (Robson) já foi questionado, mas não cita o quanto recebia do padre e a gente só não sabe o porquê desses valores serem repassados”, afirmou Sansão.A Arquidiocese de Salvador informou, por meio de sua assessoria, que só vai se pronunciar sobre o caso depois que o inquérito for encerrado.


Que venham mais debates para afastar as dúvidas que restam antes das urnas presidenciais definitiva do segundo turno.
Mais Brasil, mais diversidade, mais conteúdo, e menos pão com queijo nas questões.

Moraes, Capinam e Castro Alves na caixa, maestro.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

================================================================

DEU NO JORNAL ESPANHOL EL PAIS (EDIÇÃO DO BRASIL)

A presidenta Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, e o senador e ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência, ficaram cara a cara na noite desta terça-feira, no primeiro debate transmitido pela TV desde o primeiro turno da eleição, em 5 de outubro.

Ao abrir o debate, a presidente Dilma disse que dois projetos e duas visões de Brasil estarão se apresentando nos debates de segundo turno. A petista mencionou a inclusão social de 36 milhões de brasileiros que viviam na pobreza extrema e elevação de 42 milhões de pessoas à classe media, “uma Argentina inteira”.

Já Aécio prometeu um governo que olhe para o futuro e não divida o Brasil entre norte e sul. “A grande realidade é que o Brasil avançou muito, desde a estabilidade da moeda, conquistada pelo PSDB, mas, de lá para cá, com o presidente Lula, avanços sociais vieram. (…) A grande verdade é que nos últimos quatro anos o Brasil parou de melhorar”, disse Aécio.

Saúde

Em sua primeira pergunta no debate, Dilma falou sobre educação: “Vocês [oposição] votaram contra a CPMF e, com isso, a saúde brasileira perdeu 260 bilhões de reais. Quando o governo de Minas Gerais foi dirigido pelo senhor, vocês desviaram 7,6 bilhões de reais que iriam para a saúde. O que senhor acha da minha proposta do Programa Mais Especialidades?”, questionou a presidenta. Segundo ela, as únicas propostas sociais que Aécio apresenta “é a continuidade dos meus projetos”.

Aécio retrucou lamentando que Dilma “esteja tão desinformada”. Depois de dizer que “essa proposta do Mais Especialidades é a nossa proposta”, Aécio disse que as contas de Minas Gerais, “inclusive na área da saúde, foram aprovadas pelo Tribunal de Contas”. “Na verdade, quando o governo do PT assumiu, 56% do conjunto dos investimentos públicos na saúde vinham do governo federal. 12 anos se passaram e hoje são 45%”, acrescentou.

Campanha

Em sua primeira oportunidade de perguntar, Aécio destacou que desde o primeiro turno a sua campanha tem sido marcada pelos ataques, “pelas ofensas e pelas mentiras”. “Foi assim com Eduardo Campos, com Marina e tem sido comigo. (…) O que acha de ter feito uma campanha com ataques tão cruéis contra os seus adversários?”, questionou.

“Eu acho que quem faz ataques cruéis é o senhor. E o senhor distorce os fatos e a realidade”, retrucou Dilma, emendando mais críticas: “o seu candidato a ministro da Fazenda [ o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga] foi a público e diz que ‘temos que mudar os bancos públicos e, no final, eu não sei o que vai sobrar’. Vocês querem reduzir o papel da Caixa no financiamento habitacional. Sem a Caixa não haverá o Minha Casa Minha Vida”.

Inflação

Aécio retrucou dizendo que “a inflação está aí de volta”. “O seu secretário [de política econômica do Ministério da Fazenda] Márcio Holland mandou os brasileiros voltarem a comer ovo. Será que não está na hora de admitir os erros? Admitir que falhou. Por que não conseguiu controlar a inflação? O que a senhora fará para controlar a inflação?”, questionou.

Dilma respondeu: “Eu acredito que o senhor esqueceu o que ocorria no governo FHC. O ministro da Fazenda dele por duas vezes deixou a inflação superar o limite da meta”. “Eu proponho que a gente pare de discutir quem está mentindo. Proponho que as pessoas que estão assistindo ao debate agora entre nos arquivos dos jornais de Minas Gerais e veja quem está mentindo”, completou a presidenta.

Corrupção

Quando o tema foi corrupção, Aécio lembrou o escândalo envolvendo a Petrobras. “Nós estamos aí com essas denúncias de corrupção que assustam a todos os brasileiros”, disse. Dilma se defendeu dizendo que “a minha indignação em relação a tudo o que acontece, inclusive no caso da Petrobras, é a mesma de todos os brasileiros. É fundamental que nós saibamos tudo sobre esse processo da Operação Lava a Jato. É fundamental que o país pare de ter impunidade”.

Dilma emendou um ataque a Aécio: “Onde estão todos os envolvidos na compra de votos durante a reeleição [do ex-presidente Fernando Henrique]? Os envolvidos no mensalão tucano mineiro? Na compra de trens e metrôs de São Paulo? Estão todos soltos. Candidato, o que ocorreu em Claudio, quando o senhor construiu um aeroporto na fazenda de um familiar e entregou a chave a ele?”.

Confrontando com a denúncia de que teria beneficiado um parente, Aécio se exaltou. “Quero responder olhando nos seus olhos. A senhora está sendo leviana, candidata. Leviana. O Ministério Público atestou a legalidade dessa obra. Essa obra de Cláudio, que a senhora insiste em repetir, foi uma obra feita em uma área desapropriada em desfavor de um tio”, respondeu.

Após Aécio, Dilma seguiu no ataque. “O senhor está extremamente enganado sobre a decisão do Ministério Público. O Ministério Público não aceitou a ação criminal, mas mandou investigar a obra de Claudio por improbidade administrativa”. A petista seguiu atacando: “Hoje no Brasil é proibido o nepotismo. E o senhor tem uma irmã, um tio, três primas e três primos no seu governo”.

Aécio rebateu mais uma vez: “É mentira atrás de mentira. A senhora mente pra ficar no governo. Não pode ser esse vale-tudo. Eu terminei meu mandato [de governador] sem nenhuma denúncia, ao contrário do seu governo, que virou um mar de lama. As pessoas me pedem na rua: ‘nos liberte desse governo do PT'”.

Violência contra a mulher

Na abertura do terceiro bloco, Dilma questionou Aécio sobre a “questão da violência contra a mulher”, e o candidato do PSDB defendeu a manutenção da Lei Maria da Penha. “Tenho absoluta convicção de que temos muito o que avançar na questão da proteção a mulher”. Ele, porém, mudou o assunto e encerrou sua fala criticando a gestão petista na área de segurança pública.

Programas sociais

Na sequência, o candidato tucano abordou o tema “programas sociais”, para negar que vá acabar com projetos como o Bolsa Família, e questionar: “A senhora não acha que, além do Bolsa Família, a gente não deveria ter outras propostas que acabassem de vez com a pobreza?”. Dilma defendeu os programas sociais de seu governo e acusou os tucanos de não investirem na área.

“Eu não consigo entender a dificuldade que a senhora tem de reconhecer o mérito dos outros”, respondeu Aécio. “Se fizermos um DNA do Bolsa Família, o pai será o ex-presidente Fernando Henrique e, a mãe, a dona Ruth Cardoso”, completou, encerrando a fala questionando os investimentos do governo brasileiro no porto de Mariel, em Cuba.

Para Dilma, Aécio “passou de todos os limites”ao dizer que dizer que Fernando Henrique é o pai do Bolsa Família. “É impossível que alguém acredite que um programa do porte e da envergadura do Bolsa Família tenha origem em um programa distorcido”, completou.

Segurança

O tema programas sociais foi encerrado quando Dilma optou por tratar de segurança. “As taxas de homicídio cresceram 52% no seu governo [em Minas Gerais]. O senhor sabe que a Constituição estipula que é para os Estados a responsabilidade constitucional da segurança. O que o senhor acha disso?”, perguntou Dilma, gaguejando. Aécio não deixou passar: “Candidata, apesar de muita confusa a sua pergunta, eu vou tentar responder. Seu partido governou por 12 anos. A senhora está no governo há 4 anos. É sempre a terceirização de responsabilidades. No meu governo, eu vou assumir o controle da segurança pública. (…) Nós não temos uma política nacional de segurança”.

“Confuso é o senhor, candidato”, retrucou Dilma. “Os 52% do aumento dos homicídios está no Mapa da Violência de 2014, que é um documento oficial. O senhor gosta de ser ex-governador, mas o senhor tem que responder”.

Educação

Ao questionar a presidenta sobre o tema ‘educação’, Aécio acusou a adversária de, mais uma vez – segundo as palavras dele –, falhar na gestão do setor. Ele defendeu a “flexibilização dos currículos, o que lamentavelmente não foi feito”.

Dilma respondeu dizendo que acredita que Aécio “também não vai querer que eu diga que a responsabilidade do Ensino Médio é do Estado e que nesse quesito temos uma situação lamentável”. “A questão da flexibilização dos currículos é uma proposta que eu apresentei no inicio da campanha, e vamos cumpri-la. Eu acredito que o senhor não sabe que se faz creches dando apoio ao município”.

Serviços públicos

O candidato Aécio Neves abriu o quarto bloco dizendo que “os brasileiros percebem hoje a péssima qualidade dos serviços públicos”. “Eu introduzi em Minas Gerais a meritocracia. (…) Por que o Governo federal não buscou incorporar nada que melhorasse os serviços públicos de qualidade?”, questionou, mencionando que Dilma esteve mais em Minas nos últimos meses de campanha do que nos últimos 40 anos.

Dilma aproveitou a deixa para dizer que o adversário perdeu as eleições presidenciais em Minas Gerais. “É muito importante a gente esclarecer que de fato estamos discutindo muito Minas Gerais porque o senhor teve a sua vida política em Minas Gerais. Eu saí de lá, mas não foi a passeio. Saí porque fui perseguida pela ditadura militar”. Na sequência, Aécio negou que tenha perdido qualquer eleição de governador ou ao Senado em Minas. “A senhora está enganada. Toda as eleições que eu disputei em Minas Gerais eu venci. E eu elegi meu sucessor [o hoje ex-governador Antonio Anastasia]”.

Empregos

No final do quarto bloco, Dilma abordou o tema empregos. “O povo brasileiro tem de ter muito medo mesmo [de uma mudança de governo], porque está em questão se vai ou não continuar tendo emprego. O que o senhor fez e fará para criar empregos?”.

“A senhora volta a usar o discurso do medo”, respondeu Aécio. “Nós temos muita capacidade, pelos quadros que nós temos. E vamos fazer crescimento garantindo sim o avanço das políticas sociais. Não sei porque incomoda tanto que no DNA do Bolsa Família está no PSDB.”

Dilma reafirmou que “o Bolsa Família não tem nenhum parentesco com os programas sociais tucanos”. Segundo ela, “70% dos trabalhadores brasileiros ganham dois salários mínimos”. “Nós queremos avançar nisso. Só quem nunca esteve desempregado ou não tem sensibilidade pode achar que uma pessoa sem emprego possa estar melhor do quem uma pessoa com emprego”, completou.

Respondendo, Aécio disse que vai retomar a geração de empregos. “Lamentavelmente, o seu governo perdeu a capacidade de atrair confiança. Sem investimentos não há emprego”, afirmou.

Os presidenciáveis enfrentam uma disputa acirrada neste segundo turno da corrida eleitoral. No primeiro turno, Dilma obteve mais de 43 milhões de votos (o que correspondeu a 41,59% dos votos válidos), enquanto Aécio foi escolhido por mais de 34,8 milhões de eleitores (33,5%).

Entretanto, eles começaram a disputa no segundo turno empatados tecnicamente, de acordo com as principais pesquisas divulgadas até o momento. Portanto, os embates televisivos têm importância estratégica para conquistar sobretudo o eleitorado indeciso.

  • Arquivos