Dilma no Bonfim:para agradecer e pedir mais votos

==================================================================

DEU NO UOL/FOLHA

JOÃO PEDRO PITOMBO

DE SALVADOR

Em campanha nesta quinta-feira em Salvador, na Bahia, a presidente Dilma Rousseff (PT) se declarou “pardinha” e pediu uma vaga no Olodum, um dos mais tradicionais blocos afros da capital baiana.

“Eu inclusive já falei que, quando deixar de ser presidente, eu vou ver se eu consigo ali um espaçozinho pra mim [sic] tocar lá no Olodum”, disse a presidente. “Eu sou meio pardinha, então eu acho que eu passo lá.”

A declaração ocorreu pela manhã em entrevista a rádios baianas. Na mesma entrevista, de 36 minutos, a candidata petista à reeleição acusou os adversários do PSDB de criarem uma “oposição ridícula” entre o Sudeste e o Nordeste.

A presidente se referia à declaração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). Em entrevista a blogueiros do UOL, empresa do Grupo Folha, que edita a Folha, FHC disse: “O PT está fincado nos menos informados, que coincide de ser os mais pobres. Não é porque são pobres que apoiam o PT, é porque são menos informados.”

Dilma respondeu a rádios baianas: “É uma visão preconceituosa e elitista. [Estão] dizendo que meus votos são os dos ignorantes e dos letrados são os deles. Eles não andam no meio do povo, não dão importância ao povo. Querem desqualificar, destilar um ódio mal resolvido”, afirmou.

Campanha Dilma Rousseff

Mais tarde, procurado pela reportagem, o presidente do Olodum, João Jorge, disse, em tom de brincadeira, que vai montar uma banda só de mulheres para a presidente aprender a tocar percussão.

“As mulheres do Olodum vão se decidir se a presidente ganhará uma vaga”, disse Jorge, aos risos.

Ele ainda explicou que o Olodum é um bloco “plurirracial” e aberto a pessoas de todas as cores.

Neste quesito, explica, a presidente seria aceita: “Quase todos os brasileiros são ‘meio pardinhos’. O importante é afirmar-se como descendente de africano”.

CORO NO RÁDIO

A entrevista às rádios de manhã, que alcançou todo o interior do Estado, foi conduzida pelo radialista e ex-prefeito de Salvador, Mário Kértesz, que fez coro com Dilma quando ela atacou a visão dos tucanos sobre programas sociais.

Ele também concordou com a resposta de Dilma a FHC. “Ave Maria”, “Pelo amor de Deus”, “Isso é um absurdo” e “É verdade”, disse, durante a declaração da presidente.

Kértesz entrou na política pelas mãos do senador Antônio Carlos Magalhães (1927-2007), sendo nomeado secretário de planejamento da Bahia na primeiro gestão de ACM no governo da Bahia.

Foi prefeito de Salvador por duas vezes (1979-1980 e 1986-1988), sendo uma vez nomeado e outra pelo voto popular.

Em 1992, tentou volta à prefeitura, mas perdeu as eleições para Lídice da Mata (PSDB, hoje no PSB). Desde 2001, é radialista da rádio Metrópole.

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 9 outubro, 2014 at 17:18 #

Sobre esta infeliz tentativa de ser engraçadinha já comentei em charge do dia.

Apenas acrescento a tirada de José Simão:

– “Bahia! “Dilma diz q é pardinha e quer vaga no Olodum”. Só se for de tambor!”

Perfeito, nada a acrescentar!


luiz alfredo motta fontana on 9 outubro, 2014 at 18:00 #

Fosse um país sério e a campanha petista teria só um caminho.o lixo da história


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos