=============================================================

DEU NA TRIBUNA DA BAHIA

Rui Costa (PT) é o novo governador da Bahia e Otto Alencar (PSD) o novo senador. Eles derrotaram os principais candidatos da oposição: Paulo Souto (DEM) e Geddel Vieira Lima (PMDB), com uma frente superior a 1 milhão de votos.

Rui Costa recebeu mais de 54% dos votos válidos e Otto Alencar quase 56%.

A boca de urna do Ibope dava possibilidade de segundo turno (Rui Costa com 49%) e previa 51% dos votos para Otto Alencar.

O candidato do PMDB divulgou nota manifestando “respeito à vontade soberana do povo” e parabenizando o candidato eleito ao Senado pela Bahia.

Geddel pediu que todos os seus eleitores ajudassem a “eleger Aécio Neves presidente do Brasil” e garantiu que entrará na luta “com todo o vigor de quem acredita que o Brasil precisa mudar”.

Lídice da Mata, por sua vez, afirmou que manterá posição política de independência dos dois grupos políticos hoje majoritários no Estado.

“Não tem porque eu ir para lugar nenhum. Eu tentei construir uma terceira via na Bahia. Não tem porque eu tomar uma decisão de apoiar o PT. Para que eu vou apoiar PT? Ele já elegeu seu governador”, disse,

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 6 outubro, 2014 at 11:54 #

Caro VHS

Este poeta mariliense pergunta:

Onde anda o samba?

De longe, este paulista, tem um certo desconforto com as urnas baianas.

Na Bahia de Todos os Santos, triunfa o PT, ainda cheirando a “mensalão” e já envolto num fétido e escabroso “petrolão”.

Youssef, o doleiro, mal começou a cantar e já se nota distúrbios de pânico entre políoticos e empreiteiros. Enquanto isto, os hits de Paulo Roberto Costa estão sendo imprimidos na gravadora do Ministério Público, logo estarão nas paradas de sucesso da mídia nacional.

Mesmo assim o PT triunfa na Bahia, ocupa os espaços com a mesma selvageria dos “blocos nada carnavalescos” que tomam as ruas de Salvador no dito carnaval oficial. Cordeiros pagos com tostões organizam a gritaria e espantam o soteropolitano.

Triste Bahia, mas semelhante, em sinal trocado, ao que ocorre em São Paulo, que renega o PT mas continua alimentando Tucanos.

Esquecem os paulistas, ou nunca prestaram a atenção, que tucanos tem sua origem num afanar de votos levados a efeito por Covas, FHC, Serra, que justificaram a manobra como se fosse resistência ao Quércia, iludiram Franco Montoro, este sim detentor de votos, apunhalando pelas costas Ulisses Guimarães.

São Paulo perde a memória, tropeça em sua alienação. Como consolo, inicia a derrocada de Lula e seus penduricalhos.

Já a Bahia, vem perdendo o samba, cedendo terreiros a cordeiros.

Chora-se na Praça da Sé, lamenta-se na Praça Castro Alves.


vitor on 6 outubro, 2014 at 12:32 #

É isso , poeta . E você precisa ver a choradeira na praça do Campo Grande, ao pé do Caboclo.


Carlos Volney on 6 outubro, 2014 at 19:03 #

Concordo ipsis literis com a brilhante análise do poeta Fontana.
Como bem definiu Luciana Genro, referência do PT ao PSDB, e vice-versa, é o sujo falando do mal lavado.
Quanto à nossa (?) Bahia, de um povo que elege João Henrique duas vezes há de se esperar o que?
Mas, enfim, aqui a troca era seis por meia dúzia.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos