==================================================================

DEU NA VEJA ONLINE

Morreu nesta quinta-feira, aos 81 anos, a comediante e apresentadora americana Joan Rivers, do programa Fashion Police. Joan Rivers foi hospitalizada em estado crítico no final de agosto, depois de sofrer uma parada respiratória durante uma cirurgia das cordas vocais realizada em uma clínica do Upper East Side, Nova York, e passou a lutar pela vida, chegando a entrar em coma induzido.

“É com grande tristeza que anuncio a morte de minha mãe, Joan Rivers. Ela descansou em paz às 13h17 (14h17 de Brasília) cercada pela família e por amigos próximos”, declarou a filha Melissa Rivers em um comunicado. “A maior alegria da minha mãe em vida era fazer as pessoas rirem. Embora seja difícil fazer isso agora, eu sei que o seu desejo final seria que logo voltássemos a rir.”

Joan Rivers, cujo verdadeiro nome é Joan Alexandra Molinsky, é a mais ácida de uma geração de comediantes e apresentadores de TV da qual fazem parte Lucille Ball e Phyllis Diller, já falecidas, e Carol Burnett. Não perdoava ninguém. A cantora Adele sabe bem: foi chamada de “gorda” mais de uma vez pela apresentadora.

Crítica implacável, ela sempre tinha a última palavra sobre quem estava bem ou mal vestido nos tapetes vermelhos. Nos últimos anos da carreira, Joan Rivers ficou muito conhecida por suas inúmeras cirurgias plásticas.

Nascida no Brooklyn (sudeste de Nova York), filha de um bem sucedido médico, se criou em Larchmont, subúrbio da cidade. Graduada na Barnard College Phi Beta Kappa, começou a se apresentar em shows de stand-up com o nome de Joan Rivers e, depois de vários anos trabalhando de dia como secretária e atuando à noite, conseguiu espaço no programa Tonight Show, em 1965.

No dia anterior à parada respiratória, sofrida em 28 de agosto, Joan Rivers falou em morrer. “Já tenho 81 anos, posso morrer a qualquer momento”, disse em uma de suas apresentações no teatro Laurie Beechman de Manhattan.

(Com agência France-Presse)

==========================================================

Martelo batido pelo comando da campanha do PSB: Marina irá a Vitória da Conquista e Brumado neste sábado, 6.

A candidata do PSB à Presidência da República decidiu incluir Vitória da Conquista, a terra do cineasta Glauber Rocha, no roteiro da visita que fará à Bahia, no próximo sábado (6), A informação foi confirmada à candidata a governadora Lídice da Mata, ontem (3).

“A futura presidente do Brasil cancelou a ida a Fortaleza, inicialmente prevista para a tarde de sábado, especialmente para visitar Vitória da Conquista, município em que ela tem grande aprovação junto ao eleitorado”, explicou Lídice.

De acordo com a candidata a governadora, Marina irá inicialmente a Brumado, onde chegará na manhã do sábado e participará de caminhada pelas ruas centrais da cidade. “Além da importância estratégica da região, Brumado foi escolhida também porque é o município de Eduardo Vasconcelos, meu candidato a vice-governador”, disse Lídice.

“De acordo com a agenda preliminar, Marina chegará a Brumado em avião, e lá, faremos uma caminhada das 9h às 12h. Em seguida, partiremos para Vitória da Conquista, que é o terceiro maior município do estado e tem forte presença do nosso partido”, acrescentou Lídice.

BOA TARDE!!!

=============================================================

CRÔNICA
Mudanças do Tempo

Maria Aparecida Torneros

Se tudo fosse previsível, certinho, sem surpresas e o mundo pudesse ser desvendado numa bola de cristal, às vezes me pergunto, que graça teria a vida?

Estamos vivendo há meses a tal estiagem em São Paulo que ameaça o abastecimento de água, mas ontem choveu mais forte e já surgiu alguma esperança de alívio para a turma da garoa. No Rio, é tempo de ventanias, mudanças bruscas de temperatura, e muitas perguntas pairam nos ares em torno das eleições, tanto com vistas à sucessão estadual quanto à reviravolta que cerca o pleito federal.

Há um clube da Luluzinha indicando que um segundo turno, se acontecesse, teria só meninas, Dilma e Marina, sem a participação do mineiro Aécio, que anda engolido pela mudança de clima, essa febre que grassa o momento nacional.

Na era da multimídia e das redes sociais fervilhantes, o perfil dos candidatos é avaliado em seus programas e suas crenças, há uma sociedade mutante questionando casamento entre pessoas do mesmo sexo, entre outras propostas da chamada nova política.

Uma rajada de debates entre candidatos mais parece um confronto de marketing de marcas de moda, o roteiro de perguntas e respostas expõe uma corrida que se transforma em maratona e cada eleitor ou observador vai acompanhando, com opinião oscilante, a saraivada de pés a correr em direção à linha de chegada.

Depois, só Deus sabe. Serão acordos e mais acordos a cumprir, o poder terá ou não trocado de mãos, mas, no fundo, os ventos terão balançado as cabeças sem entretanto atingirem as cúpulas do modelo que certamente seguirá atendendo interesses vários. Megainvestidores nacionais e internacionais fazem suas apostas e investem na tal corrida , aliando-se à midia tradicional que encomendam as pesquisas de opinião tentando avaliar as sutilezas desta temporada de vendavais.

Que venham chuvas e ventos, que Rio e Sao Paulo se decidam em suas escolhas e turnos eleitorais, que Minas ressurja com suas montanhas e tradições de política no cenário nacional e que o Norte , Nordeste e Centro-oeste estabeleçam seus desempenhos em torno do agro negócio e do turismo, do combate à seca e da erradicação do analfabetismo. Quanto ao Sul, meio calado, também parece alvejado por ventanias extemporaneas, afinal, os tempos mudaram e o Brasil se remexe em céu, terra e ar.

Haja paciência para estabelecer pontos que diferenciem candidatos que possam representar opções de mudanças que realmente renovem nossa postura de sustentável futuro.

Só decidi um voto pessoal, meu Senador carioca é o Romário, e não tem a ver com futebol, mas tem tudo a ver com uma sensação de que ele me passa sinceridade, espero que ele vença e não me decepcione.

O resto, sigo arrastada pelos furacões que os debates, pesquisas, noticiários, etc, me carregam , ainda sem saber para que lado. Eita mudanças climáticas arrazadoras essas pelas quais estamos passando. Haja sorte e haja fôlego, paciência, e que jamais percamos a esperança.

Terça-feira, 2., completei 65, hoje, 3, é meu day after, recomeço a repensar sobre o teatro de marionetes e já me descobri desejando que o voto não seja mais obrigatório.


Cida Torneros, jornalista e escritora, mora no Rio de Janero, onde edita o Blog da Mulher Necessária

os

set
04
Posted on 04-09-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 04-09-2014

/>
Jarbas, hoje, no Diário de Pernambuco


Lula no comício petista na Praça da Revolução em Periperi
==================================================


DEU NO UOL/FOLHA

JOÃO PEDRO PITOMBO
DE SALVADOR

Em comício na periferia de Salvador na noite desta quarta-feira (3), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugeriu que poderá voltar a disputar as eleições presidenciais em 2018 para impedir que “aqueles que não fizeram nada em 500 anos voltem para tentar governar”.

“Eles vão ter que se preparar porque eu vou estar vivo e vou estar com muita vontade”, disse o ex-presidente, logo após defender a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) nas eleições de outubro.

Em discurso de 30 minutos, Lula atacou “os tucanos”, “as elites”, “os coronéis”, mas poupou a presidenciável Marina Silva (PSB) – que está em empate técnico com Dilma segundo a última pesquisa Datafolha.

Citou Marina apenas uma vez, ao dizer que ela foi ministra do seu governo e que vários candidatos nesta eleição presidencial passaram pelo PT.

“Até a Luciana Genro era do PT. O Zé Maria era do PT. Só para presidente tem quatro disputando do PT”, afirmou, em referência aos candidatos do PSOL, PSTU e PSB.

Sem promover comparações diretas com Marina, Lula defendeu o voto em Dilma afirmando que a presidente seria “a mais preparada para tomar conta deste país e enfrentar a crise econômica internacional”.

Mas mirou nos tucanos, que vem criticando a deterioração do cenário econômico sob Dilma, ao afirmar que o partido não entende que inflação alta era em 1986, “quando chegava a 80% ao mês”.

“É muito fácil controlar a inflação diminuindo o salário e aumentando o desemprego. O que é duro é você manter a inflação controlada, aumentando salário e gerando emprego como nós estamos fazendo. Por isso indiquei a Dilma em 2010”, disse Lula, repetindo argumentos de campanha de Dilma.

“ESCOLA LULA”

Mais direto em seu discurso, o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), reforçou a estratégia de polarização entre Dilma e Marina e afirmou que as duas “são alunas do Lula”, dando como certo um segundo turno entre as candidatas.

“As duas candidatas do segundo turno são da escola Luiz Inácio Lula da Silva”, disse Wagner, para quem a candidatura de Aécio Neves (PSDB) “já era”.

Por fim, defendeu o voto em Dilma reforçando o discurso de que ela é “mais preparada, tem mais equipe e mais conhecimento” para governar o país.

Também participaram do comício o candidato a governador da Bahia, Rui Costa (PT), e o candidato ao Senado da coligação, Otto Alencar (PSD).

Ambos estão em segundo lugar na corrida eleitoral majoritária na Bahia, segundo pesquisa Ibope divulgada no dia 26 de agosto. Lideram Paulo Souto (DEM) ao governo e Geddel Vieira Lima (PMDB) para o Senado.


BOM DIA!!
!

set
04
Posted on 04-09-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 04-09-2014


Duas pessoas inspecionam plantas de maconha em Montevidéu. / REUTERS

========================================================

DEU NO JORNAL ESPANHOL EL PAIS (EDIÇÃO DO BRASIL)

Magdalena Martínez

De Montevidéu

Os cultivadores de maconha do Uruguai comparecem há dias em um lento gotejo às agências dos Correios para legalizar sua situação. Até sexta-feira passada, eram 54 os inscritos no arquivo eletrônico previsto pelo Governo. Ao mesmo tempo, as empresas que pretendem cultivar a erva em grande escala apresentam suas propostas. Até a data, 22 empresas se apresentaram ao concurso público – oito uruguaias, dez estrangeiras e quatro de capital misto –. Serão selecionadas até cinco, que terão licença por cinco anos (renovável) e terão de produzir mais de uma tonelada de maconha por ano.
mais informações

O autocultivo é um dos pilares da lei, que prevê também a autorização à criação de clubes de maconha, e tem como ponto mais inovador a venda controlada da substância nas farmácias, que poderia começar a valer em princípios de 2015. Nessa data, espera-se uma forte afluência ao cadastramento, já que o autocultivo é limitado aos consumidores com certa dedicação e espaço para as plantas.

Os cultivadores cadastrados poderão ter até seis plantas de cannabis em casa e deverão renovar a licença a cada três anos. A empregada de uma agência dos Correios do bairro de Pocitos, em Montevidéu, calcula que seis pessoas fazem o trâmite por dia. Os requisitos são apresentar um documento de identidade e uma conta que indique o lugar de residência do solicitante. Essa trabalhadora se diz surpresa pelo “fácil e natural que está sendo” o processo. “O mais curioso é que a maioria dos que vêm tem mais de 60 anos”, acrescenta.

Não há estatísticas sobre a idade dos autocultivadores, um mundo clandestino que inclui várias gerações. Mas a Federação Nacional dos Cannabicultores do Uruguai confirma que os primeiros a aproveitar a mudança legislativa estão sendo os consumidores de sempre, aqueles que têm plantas há anos, estiveram sempre à mercê de uma denúncia de sua atividade ilícita e inclusive conheceram a prisão.

O modelo de negócio das empresas que pretendem produzir cannabis é inovador em escala mundial. O Governo avalia o investimento inicial em mais de um milhão de dólares (cerca de 2,2 milhões de reais). O retorno dependerá do preço de venda que as autoridades determinarem. “Nosso grupo é composto por empresários uruguaios vinculados ao agronegócio, que têm conhecimentos de cultivos protegidos (em estufa), com 40 anos de experiência como floricultores”, afirma Rafael Rünnitz, que trabalha em uma das empresas que se apresentaram à licitação, e que pede não mencionar o nome da companhia.

A empresa trabalha com vários cenários de rentabilidade. Se o Governo fixar o grama de maconha a 0,6 centavos de dólar, seria possível recuperar o investimento em um prazo de 10 a 14 meses, afirma Rünnitz. O objetivo das autoridades é manter os preços abaixo do que é cobrado no mercado negro.

Uma das preocupações do setor é a segurança. Existe temor de ataques por parte do narcotráfico, de modo que algumas propostas incluem o transporte da maconha em caminhões blindados como os que levam o dinheiro dos bancos.

O investimento de outra das empresas uruguaias que pretendem cultivar a cannabis supera amplamente o milhão de dólares, e não prevê lucros antes dos cinco anos, indica seu coordenador, Gastón Rodríguez. Enquanto algumas empresas projetam várias colheitas anuais, o seu “é um modelo de negócio de produção contínua”, que consiste em “um ciclo permanente de trabalho e colheita, acumulando maconha para poder entregar a cada 15 dias, como exigem as autoridades”, afirma. “Está em jogo toda a indústria que pode estar por trás da planta em nível mundial. Se isso fracassar no Uruguai, dificilmente se repetirá em outros países”, opina Rodríguez.

A implementação da lei avança passo a passo e sem contratempos, em um país onde 65% da população é contra a legalização da maconha, segundo uma pesquisa de opinião realizada em julho. Em plena campanha eleitoral, o presidente José Mujica advertiu que a medida “de forma alguma é um ‘não tô nem aí’”, e que “melhor que esconder a realidade é tratar de conduzi-la e capturar a tempo os efeitos mais nocivos que ela tem. Espero que algum dia o país possa compreender isso”.

DEU NO UOL/FOLHA

Pesquisas Datafolha e Ibope divulgadas na noite desta quarta-feira (3) mostram que as candidatas Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB) estão tecnicamente empatadas em primeiro lugar na corrida presidencial.

Datafolha / Folha de S.Paulo

No Datafolha, a presidente Dilma oscilou de 34% na sexta-feira passada (29) para 35%, e a ex-senadora Marina se manteve com 34%, enquanto o senador Aécio Neves (MG), candidato do PSDB, variou de 15% para 14%.

No Ibope, Dilma subiu de 34% no dia 26 de agosto para 37%, Marina cresceu de 29% para 33%, enquanto Aécio caiu de 19% para 15%.

Apesar de a presidente estar numericamente à frente nas duas pesquisas, o empate técnico com a ex-senadora configura-se porque a margem de erro dos dois levantamentos é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

No Datafolha, os outros candidatos somam 4%. O eleitores inclinados a votar em branco ou nulo representam 6%, e os indecisos são 7%.

Ibope / Globo e O Estado de S.Paulo

No Ibope, o Pastor Everaldo Pereira (PSC) possui 1%. Somados, os outros sete candidatos têm 2% das intenções de voto. A proporção de eleitores dispostos a votar em branco ou anular é de 7%. Os indecisos representam 5%.

Como nenhuma candidata possui mais do que a soma das intenções de voto dos demais concorrentes, a tendência no momento é que a disputa vá para o segundo turno.

O Datafolha testou três cenários de segundo turno. Em uma eventual disputa contra a presidente, Marina lidera com 48%, contra 41%. Dilma venceria Aécio por 49% a 38%. E Marina ganharia de Aécio por 56% a 28%.

O Ibope, por sua vez, testou dois cenários de segundo turno. Em um eventual confronto entre Dilma e Marina, a candidata do PSB aparece à frente, com 46%, contra 39% da petista. São 6% de indecisos e 8% de propensos a votar em branco ou nulo.

No outro cenário, Dilma lidera com 47%, contra 34% de Aécio, com 8% de indecisos e 11% de inclinados a votar em branco ou nulo.

O Datafolha entrevistou 10.054 eleitores entre segunda-feira e esta quarta. A pesquisa contratada pelo jornal “Folha de S.Paulo” foi registrada no TSE com o número BR-00517/2014.
Simulação 2º turno

  • Arquivos

  • setembro 2014
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    2930