=============================================================

DEU NO IG

Com 29% das intenções de voto, a candidata a Presidência Marina Silva (PSB) disparou na corrida eleitoral e agora está na cola da presidente Dilma Rousseff (PT), que teria 34% no primeiro turno se as eleições fossem hoje, segundo pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (26). Em um eventual segundo turno entre as duas candidatas, Marina ainda ganharia de Dilma, com nove pontos percentuais a frente – 45% contra 36%.

De acordo com o Ibope, o candidato tucano, Aécio Neves, aparece em em terceiro lugar com 19% das intenções de voto. Caso vá para o segundo turno com Dilma, o tucano teria 35% contra 41% da petista. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Na pesquisa anterior, divulgada pelo Ibope em 7 de agosto, a presidente Dilma tinha 38% das intenções de voto e Aécio aparecia em segundo lugar, com 23%. Já Eduardo Campos, na ocasião, candidato do PSB à presidência tinha 8%. Campos morreu em um acidente aéreo no cidade de Santos no último dia 13.

Entre os nanicos, o pastor Everaldo (PSC) aparece em quarto lugar com 1% dos votos, assim como Luciana Genro (PSOL). Os outros candidatos não chegaram a 1%.

Marina Silva tirou votos de todos os candidatos ao entrar na disputa. Dilma e Aécio perderam quatro pontos cada. Até os índices de brancos, nulos e indecisos caíram. Na pesquisa anterior, votos brancos e nulos somavam 13% e agora chegam a 7%. Eleitores indecisos atigiam 11% dos entrevistados e agora esse índice chega a 8%.

Rejeição

A ex-senadora é também a que tem menor índice de rejeição entre os três primeiros colocados, segundo o Ibope. Apenas 10% dizem que não votariam na candidata, contra 36% que rejeitam Dilma e 18%, Aécio. Pastor Everaldo tem 14% de rejeição e Zé Maria (PSTU) tem 11%.

A avaliação ao governo da atual presidente Dilma Rousseff teve pequena variação positiva. Para 34% dos eleitores, a gestão dela é boa ou ótima. Na avaliação anterior, esse índice era de 32%. Entre os que desaprovam, o índice de ruim ou péssimo passou de 31% para 29% neste levamento.

Encomendanda pela Rede Globo e pelo jornal Estado de São Paulo, o pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre os dias 23 e 25 de agosto.


==================================================================

DEU NO ESTADÃO

Fausto Macedo

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse que quase todo o efetivo de servidores da corte máxima da Justiça consome seu tempo de trabalho com causas “sem qualquer repercussão geral”.

“A maior parte dos recursos humanos e materiais de cada gabinete acaba sendo consumida para lidar com um imenso varejo de miudezas, sem qualquer repercussão geral. Processos que deveriam transitar em julgado após o pronunciamento da segunda instância.”

Barroso afirmou que o número de recursos extraordinários e de agravos em recurso extraordinário que ainda chegam anualmente a cada gabinete excede a “capacidade humana” dos ministros – mais de 3 mil para cada um. Além de todos os demais processos das outras classes, ações diretas, mandados de segurança, reclamações, habeas corpus, ações originárias e outros.

Barroso falou na noite desta segunda feira, 25, no auditório da Associação dos Advogados de São Paulo (AASP). O tema de sua manifestação foi “Reflexões sobre as competências e o funcionamento do Supremo Tribunal Federal”.

Ele apontou “três grandes gargalos” na corte. Segundo o ministro, o congestionamento do Plenário, o acúmulo de processos com repercussão geral reconhecida e o volume de hábeas corpus emperram os trabalhos dos ministros do Supremo.

“Ao assumir o meu gabinete, deparei com impetrações que aguardavam julgamento havia alguns anos”, declarou Barroso, que assumiu a cadeira de ministro do STF em junho de 2013. “Desnecessário enfatizar que habeas corpus que ficam pendentes de julgamento por prazos prolongados não preenchem quaisquer dos papéis a que se destinam.”

Para o ministro, “a verdade inexorável é que o dia tem um número fixo de horas, e juízes, mesmo no STF, têm uma capacidade máxima de trabalho”.

“Qualquer solução que não leve isso em conta será insatisfatória”, adverte Luís Roberto Barroso.

O ministro avalia que o congestionamento do Plenário “é um dos graves problemas que comprometem a funcionalidade e a celeridade na atuação do STF”.

Segundo informações da Secretaria do Supremo, com dados de dezembro de 2013, existia uma fila de 728 processos já liberados pelos ministros relatores, todos aguardando vez na pauta do Plenário. “Devo dizer, em favor de todos os ministros e de suas equipes, que o acúmulo não se deve à falta de trabalho”, afirmou Barroso.

Ele fez referência a um ex-presidente do Supremo. “Às vezes, ficamos todos tão enredados em processos que sobra pouco tempo para a reflexão. Lembro-me sempre da oração espirituosa que fazia o ministro Carlos Ayres Britto, quando clamava: ‘Senhor, não nos deixeis cair em tanta ação’.”

Barroso alerta que “o Supremo se aproxima da terceira década de sua existência democrática sob severa crise de funcionalidade”.

“Com a redemocratização, ocorreu no País um expressivo aumento na demanda por justiça, o que significou uma expansão exponencial de litigiosidade e, consequentemente, um grande congestionamento nos juízos e tribunais”, afirma o ministro. “De certa forma, esse processo era inevitável em uma sociedade que se tornou mais informada acerca de seus direitos e passou a ter uma maior consciência de cidadania. É chegada a hora, no entanto, de enfrentar com desassombro essa crise de crescimento.”

BOA TARDE!!!

===============================================================

Dicas da jornalista Maria Olívia Soares aos leitores do Bahia em Pauta, publicadas em sua página no Facebook.

“Oiee, veja o que vi no face”
.

Cinco informações úteis não divulgadas! Principalmente a QUARTA (4.)

1. Quem quiser tirar uma cópia da certidão de nascimento, ou de casamento, não precisa mais ir até um cartório, pegar senha e esperAr um tempão na fila.O cartório eletrônico, já está no ar!

Nele você resolve essas (e outras) burocracias, 24 horas por dia, on-line. Cópias de certidões de óbitos, imóveis, e protestos também podem ser solicitados pela internet.Para pagar é preciso imprimir um boleto bancário. Depois, o documento chega por Sedex.

Passe para todo mundo, que este é um serviço da maior importância.

2. DIVULGUE. É IMPORTANTE: AUXÍLIO À LISTA
Telefone 102… não!
Agora é: 08002800102
Vejam só como não somos avisados das coisas que realmente são importantes……
NA CONSULTA AO 102, PAGAMOS R$ 1,20 PELO SERVIÇO.
SÓ QUE A TELEFÔNICA NÃO AVISA QUE EXISTE UM SERVIÇO VERDADEIRAMENTE GRATUITO.

Não custa divulgar para mais gente ficar sabendo.

3. Importante: Documentos roubados – BO (boletim de occorrência) dá gratuidade – Lei 3.051/98 – VOCÊ SABIA???

Acho que grande parte da população não sabe, é que a Lei 3.051/98 que nos dá o direito de em caso de roubo ou furto (mediante a apresentação do Boletim de Ocorrência), gratuidade na emissão da 2ª via de tais documentos como:
Habilitação (R$ 42,97);
Identidade (R$ 32,65);
Licenciamento Anual de Veículo (R$ 34,11)..

Para conseguir a gratuidade, basta levar uma cópia (não precisa ser autenticada) do Boletim de Ocorrência e o original ao Detran p/ Habilitação e Licenciamento e outra cópia à um posto do IFP..

4. ARTISTA FAMOSOS FICAM EM FORMA COM EXERCÍCIO E DIETA?

Tudo mentira, os famosos tem uma receita secreta que deixa o corpo em forma sem esforço,
porisso conseguem perder peso muito rapido.
Tem um superblog que mostra como funciona – http://www.e-boaforma.com.br/revistaslimpro/

5. MULTA DE TRANSITO : essa você não sabia

No caso de multa por infração leve ou média, se você não foi multado pelo mesmo motivo nos últimos 12 meses, não precisa pagar multa. É só ir ao DETRAN e pedir o formulário para converter a infração em advertência com base no Art. 267 do CTB. Levar Xerox da carteira de motorista e a notificação da multa.. Em 30 dias você recebe pelo correio a advertência por escrito. Perde os pontos, mas não paga nada.
Código de Trânsito Brasileiro
Art. 267 – Poderá ser imposta a penalidade de advertência por escrito à infração de natureza leve ou média, passível de ser punida com multa, não sendo reincidente o infrator, na mesma infração, nos últimos doze meses, quando a autoridade, considerando o prontuário do infrator, entender esta providência como mais educativa.

DIVULGUEM PARA O MAIOR NÚMERO DE PESSOAS POSSÍVEL. VAMOS ACABAR COM A INDÚSTRIA DA MULTA!!!!

ago
26

================================================================

Deu no Terra Magazine

Dilma e Aécio não querem piscar primeiro… Marina avança

POR BOB FERNANDES

Há uma semana, conhecida a pesquisa Datafolha dizíamos que Marina Silva (PSB) iria subir ainda mais. E ela vai subir muito, como veremos nas pesquisas desta terça-feira,26, e da quarta 27.
Marina sinalizava também a estratégia de conversar diretamente com o eleitor, digamos “comum”. Está cada vez mais claro que ela assim faz e fará.

Já a conversa pública com eleitores poderosos, por hora quem faz são outros, em seu nome.

Assim ela se preserva, resguarda a aura do “novo” para a conversa com o eleitor “comum”.

Neca Setubal, uma das herdeiras do banco Itau e coordenadora do programa de governo da candidata, diz que Marina daria autonomia formal ao Banco Central. Isso é música para os ouvidos do “mercado” financeiro.

Marina tem históricas diferenças com o agronegócio? O vice, Beto Albuquerque, é escalado para procurar Roberto Rodrigues, ex-ministro da agricultura influente nesse setor.

É obscura a história do empréstimo ou compra do jatinho que caiu e matou Eduardo Campos e seis companheiros? Quem responde por isso é o “Beto”, o vice, é o PSB, nunca Marina.

Como e com quem uma coligação que hoje tem apenas 30 deputados e 4 senadores vai governar, mesmo aumentado a bancada? Marina vai propor desde já a indispensável reforma política?

Por ora, em nome dela, Eduardo Giannetti diz que Marina quer Lula e Fernando Henrique como “aliados no governo”.

Uma coisa seria fazer uma espécie de pacto, ao menos em torno de alguns itens, de preferência depois de uma profunda reforma. Outra é um entendimento para logo mais via cúpulas.

Óbvio que isso não acontece assim, e todos sabem. O gesto é, mais uma vez e antes de tudo, sinalização direta para o eleitorado.

Com isso Marina reafirma seu discurso de superação da dicotomia PT x PSDB.

Todas as candidaturas carregam interesses contraditórios, armadilhas e bombas de efeito retardado. Mas nessa relargarda Marina vem tendo uma vantagem.

Dilma e Aécio não querem piscar antes. Ninguém quer se ser o primeiro a apontar e enfrentar as contradições de Marina e do PSB.

Enquanto isso, Marina agradece…e avança.


===========================================================

ago
26
Posted on 26-08-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 26-08-2014


==================================================================
Aroeira, hoje, no jornal Brasil Econômico


Marina visita Bienal do Livro em São Paulo
==================================================================

DEU NO PORTAL DO JORNAL A TARDE (COM INFORMAÇÕES DO ESTADÃO)

O coordenador financeiro da campanha de Marina Silva, deputado Márcio França, disse na tarde desta segunda-feira, 25, que pesquisas internas mostram um resultado “avassalador” em favor da candidata do PSB. De acordo com ele, a pesquisa Ibope de que será divulgada nesta terça-feira, 26, mostrará que Marina é uma das favoritas na corrida presidencial.

“Para quem era uma zebra, eu acho que hoje a Marina é favorita”, disse o coordenador ao chegar para acompanhar o debate promovido pelo SBT com os candidatos ao governo de São Paulo. França é candidato a vice na chapa do tucano Geraldo Alckmin (PSDB).

França não respondeu qual é o patamar “avassalador” em que Marina deve aparecer amanhã, mas disse que os “números são muito fortes”. “Os números que a gente tem de pesquisas internas, que o Ibope vai revelar amanhã, são avassaladores. Vai ter que se acostumar a um outro patamar”, disse. “O Eduardo brigava para ficar famoso. Agora é como se as pessoas quisessem conhecê-lo. Ficaram com saudade de uma coisa que não conheciam. Tudo isso, de certa forma, deságua na Marina”, avaliou.

França comentou ainda as declarações de Aécio Neves (PSDB) de que o bom desempenho de Marina Silva é como uma “onda”, e que acredita voltar ao segundo lugar isolado nas pesquisas “dentro de 15 ou 20 dias”. “O problema é o tamanho da onda. Tem onda de 2 metros, de 5 metros, de 10 metros. Aí não tem depois o que fazer se for muito grande”, disse.

França afirmou ainda que na classe C “em especial” os números de Marina são impressionantes. “A classe C desloca sempre junto, as pessoas falam entre si. Ao se convencerem (em quem votar), as pessoas convencem outras”, disse.

Questionado sobre seu novo papel de tesoureiro de campanha, França afirmou que assumiu o cargo nesta segunda e que ainda “não entrou nada”. “Mas soube por amigos que vai entrar. Empresário entra muito pela chance (nas pesquisas). É da índole se deslocar pela chance”, afirmou.

França comentou ainda a situação de resistência de Marina em dividir o palanque com Alckmin em São Paulo. Segundo o pessebista, a situação é a mesma de antes da morte de Eduardo Campos e agora caberá ao vice de Marina abrir espaço para o tucano. “Caberá a Beto Albuquerque pedir votos a Alckmin no programa eleitoral”, afirmou.

BOM DIA!!!


Hollande e Valls: rumos desencontrados na França

==========================================================

DEU NO JORNAL ESPANHOL EL PAÍS (EDIÇÃO DO BRASIL)

A retomada política na França estava sendo anunciada como quente, mas explodiu antes do tempo com uma grave crise de Governo. O primeiro-ministro da França, Manuel Valls, apresentou nesta segunda-feira sua lista de demissões do Governo ao presidente do país, François Hollande, como parte da formação de um novo Executivo, depois que o presidente solicitou a ele uma remodelação governamental.

Valls se reuniu nesta manhã com Hollande para anunciar sua decisão. Segundo um comunicado da Presidência, “o chefe de Estado pediu ao primeiro-ministro que monte uma equipe de acordo com as orientações que ele mesmo definiu para o país. A composição do novo Governo será anunciada na terça-feira”.
mais informações

Em um movimento perfeitamente coordenado com a Presidência, Valls reforma sua equipe presumivelmente para livrá-la de uma minoria de ministros críticos à política de reformas econômicas que Hollande vem conduzindo desde janeiro, quando propôs um “pacto de responsabilidade” para impulsionar novamente a produtividade francesa à custa de profundos cortes e vantagens para as empresas avaliadas em mais de 40 bilhões de euros (120 bilhões de reais).

Espera-se que o novo gabinete seja uma demonstração de firmeza diante das críticas direcionadas a Valls nos últimos dias. Após semanas subindo o tom de suas indiretas contra o primeiro-ministro, Arnaud Montebourg, ministro da Economia, se colocou na porta de saída do Governo ao atacar duramente as diretrizes econômicas do Executivo em uma entrevista ao jornal Le Monde. Montebourg desafiou a receita de contenção de gastos da Alemanha: “É preciso dar prioridade à saída da crise e colocar em segundo plano a redução dogmática do déficit, que nos leva à austeridade e ao desemprego”.

Nesta manhã, antes do anúncio da crise de Governo, Montebourg deu uma entrevista à rede de TV Europe 1 na qual ratificou sua posição e afirmou não saber por quanto tempo ainda seria ministro já que não leva a sério a possibilidade de uma reforma do Executivo. Suas declarações soaram como uma provocação a Manuel Valls: “Me parece que alguns não se separam dos ministros que fazem propostas dentro de um debate legítimo”. Em sua opinião, “não houve nenhum questionamento da solidariedade governamental”.

Benoît Hamon, ministro da Educação e outra importante voz crítica às políticas de austeridade da dupla formada por Hollande e Valls, apoiou no domingo os comentários de Montebourg, no jornal Le Parisien e em uma festa do Partido Socialista (PS) em Frangy-en-Bresse, a chamada Festa da Rosa. E ainda se declarou próximo aos 41 deputados socialistas rebeldes que criticaram as reformas na Assembleia Nacional.

Com Montebourg e Hamon, outros ministros também se mostraram críticos com as reformas, embora de forma mais moderada. É o caso das ministras de Justiça, Christiane Taubira e da Cultura, Aurélie Filipetti. Esta última declarou hoje que não deseja continuar no próximo Gabinete de Valls.

A crise no Governo também tem seu impacto a nível europeu. A França, muito criticada em Bruxelas por não cumprir as metas de déficit, não tinha precisamente em Montebourg um apoio diplomático. Profundamente germanófobo e euro-hostil, além de tradicional inimigo da imprensa liberal anglo-saxã e alemã, Montebourg atacava com frequência as políticas de contenção de Bruxelas e de Berlim. Dispensando-o, Hollande abre caminho para negociações fundamentais, como as com os membros da nova Comissão Europeia de Jean-Claude Juncker. Hollade pretende que Juncker conceda uma importante pasta econômica a Pierre Moscovici, ministro da Economia até março passado.

  • Arquivos