jul
31

Na coluna Tempo Presente, assinada por Levi Vasconcelos no jornal A Tarde, edição desta quinta-feira, 31, aspectos diferentes de uma disputa que merecem atenção especial. Primeiro, uma interessante e bem humorada nota de campanha que começa a esquentar nas redes sociais (com fontes identificadas e jogando aberto).Segundo, a revelação de uma guerra suja e clandestina de informações de fontes secretas (ou não identificadas), cujos torpedos ninguém sabe de onde partem ou as mãos (e bocas) que os acionam. Confiram.

(Vitor Hugo Soares)

=================================================

Otto, Wagner e Geddel duelam no Twitter

O governador Jaques Wagner e Otto Alencar, candidato ao Senado pela banda governista, de um lado, Geddel Vieira Lima, também candidato ao Senado pela oposição, de outro, duelaram ontem no Twitter.

Otto soltou o primeiro torpedo:

Geddel acha que lealdade é sinônimo de subserviência. Recebi o convite de Jaques Wagner, Lula, Dilma e nove partidos para disputar o Senado. A minha candidatura não foi imposta ou forçada.

Wagner entrou:

É verdade, Otto. Ao contrário do adversário, que não tem nada para mostrar e por isso o ataca, você tem história, tem a ficha limpa. Você é um dos mais leais parceiros que tive na vida pública. Seu trabalho foi determinante em projetos importantes para a Bahia.

Otto retrucou:

Nunca imaginei que Geddel fosse se apropriar da herança do senador ACM, o político que mais ele atacou, agrediu, caluniou e xingou.

Geddel rebateu:

Nem eu que o senhor fosse ficar bajulando o PT, de quem sempre falou mal.

E dirigindo-se a Wagner:

Quem mais sabe que tenho o que mostrar é você e o Lula, que deu depoimentos sobre isso. Quanto à cor da ficha, marque o local que quiser e debato a minha, a sua e a de quem quiser. O nível, você escolhe.

Estranho no ninho – Rui Bastos, também tuiteiro que nada tinha a ver com o peixe, entrou dirigindo-se a Otto e Geddel:

Que briga feia…

Geddel respondeu:

Também acho, mas aceitar provocação e agressão passivamente não é do meu estilo. Eles botam a música, eu danço.

Guerra suja

Aliás, as redes sociais, este ano com presença nos embates eleitorais como nunca visto, viraram palco também da guerra suja.

Postaram ontem no WhatsApp uma suposta pesquisa do Vox Populi dando números detalhados para o governo e o Senado.

Simplesmente uma mentira.

Foi no embalo desse jogo que postaram a informação atribuída a petistas dizendo que Lídice da Mata é ‘traidora’.

Não se sabe de onde partiu o petardo.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos