Hazal Naz Besleyici não quer que o governo
diga se ela pode sorrir em público ou não

=============================================================

DEU NO PORTAL BBC BRASIL

Centenas de milhares de mulheres turcas estão publicando em redes sociais fotos de si mesmas sorrindo. Mas por que elas começaram a fazer isso?

“Mulheres turcas não devem sorrir em público”. Pelo menos foi o que disse o vice-primeiro-ministro do país, Bulent Arinc, em um discurso na última segunda-feira em que falava sobre a “corrupção moral” na Turquia.

Os comentários de Arinc geraram uma grande reação entre as turcas na internet.

Elas passaram a publicar fotografias em redes como Instagram e Twitter em que aparecem fazendo justamente o que Arinc recomendou que não fizessem.

Já são mais de 300 mil tweets com o termo “kahkaha” – a palavra turca para “risada” – e com hashtags relacionadas ao tema.

Revolta

Junto com as fotografias, muitas turcas sugerem que o governo deve concentrar esforços em outros assuntos que consideram mais importantes, como estupros, violência doméstica ou o casamento forçado de meninas em vez de tratar do sorriso feminino em público.


A escritora Ece Temelkuran foi uma das primeiras
a protestar nas redes sociais

“Foi um comentário revoltante e conservador”, diz a escritora e analista política Ece Temelkuran, que tem mais de 1 milhão de seguidores no Twitter.

Ela foi uma das primeiras a publicar uma foto sorrindo – e incentivou outras mulheres a fazerem o mesmo. “Minha timeline ficou cheia de mulheres sorrindo, e isso foi extraordinário e muito bonito”, disse ela.

Muitos homens turcos também criticaram o vice-primeiro-ministro.

“Deus, por favor, que isso seja uma brincadeira”, disse Fatih Portakal, um famoso apresentador de TV. “Se mulheres não podem rir em público, um homem não deve chorar em público”.

Fatih fez referência à conhecida propensão do vice-primeiro-ministro de chorar quando ouve discursos do primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos