======================================================

Serafim

Gilberto Gil

Quando o agogô soar
O som do ferro sobre o ferro
Será como o berro do bezerro
Sangrado em agrado ao grande Ogum

Quando a mão tocar no tambor
Será pele sobre pele
Vida e morte para que se zele
Pelo orixá e pelo egum

Kabieci lê – vai cantando o ijexá pro pai Xangô
Eparrei, ora iêiê – pra Iansã e mãe Oxum
“Oba bi Olorum koozi”: como deus, não há nenhum

Será sempre axé
Será paz, será guerra, serafim
Através das travessuras de Exu
Apesar da travessia ruim

Há de ser assim
Há de ser sempre pedra sobre pedra
Há de ser tijolo sobre tijolo
E o consolo é saber que não tem fim

Kabieci lê – vai cantando o ijexá pro pai Xangô
Eparrei, ora iêiê – pra Iansã e mãe Oxum
“Oba bi Olorum koozi”: como deus, não há nenhum

=========================================

Serafim: Gravado por Gil no disco Parabolicamará (1992).

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

Be Sociable, Share!

Comentários

vitor on 26 julho, 2014 at 11:29 #

“Kabieci lê”! Agradeço seu rico comentário com a saudação a Xangô da canção de Gilberto Gil.E levanto um brinde ao poeta de Marília.
TIM TIM!!!


Gilson Nogueira on 26 julho, 2014 at 21:16 #

Gilgante!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos