jul
20


===============================================================

DEU NO DIÁRIO DE NOTÍCIAS, DE LISBOA

James Garner, ator norte-americano famoso desde os anos 50 e 60 graças à série televisiva Maverick, morreu em Los Angeles, aos 86 anos, anunciou a polícia daquela cidade dos Estados Unidos.

O ator morreu de “causas naturais” no sábado à noite (madrugada de domingo em Portugal), explicou à AFP o seu agente, Alonso Iniguez.

James Garner ganhou fama com a série televisiva Maverick na qual interpretava o papel de Bret Maverick, um jogador de poker inveterado num ambiente de western. A sériel, rodada entre 1957 e 1962, serviu também para lançar outros atores como Clint Eastwood e Roger Moore.

Nos anos 70, James Garner interpretou o papel de James Rockford na série The Rockford Files, que lhe valeu um Emmy em 1977.

No cinema, entrou em A Grande Fuga, com Steve McQueen ou em Victor/Victoria com Julie Andrews.

Nascido James Scott Bumgarner no Oklahoma, cedo deixou a escola para se alistar na marinha mercante, no final da II Guerra Mundial. Combateu ainda na Guerra da Coreia (1950-53), tendo sido ferido por duas vezes.

================================================================
“Consolação”,Herbie Mann e João Gilberto, com Antonio Carlos Jobim, no triste domingo com Itaparica, a Bahia e o Brasil sem João Ubaldo.

(Gilson Nogueira)

jul
20
Posted on 20-07-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 20-07-2014


========================================================
Samuca, hoje, no Diário de Pernambuco

=============================================================

CORREIO DA BAHIA

Da Redação

O fundador do grupo Odebrecht, Norberto Odebrecht, morreu neste sábado (19), aos 93 anos. O engenheiro estava internado no Hospital Cardiopulmonar, em Salvador, e faleceu na noite de hoje. Ele estava internado com problemas cardíacos. Nascido em Recife, em Pernambuco, Odebrecht era formado na Escola Politécnica da Bahia, da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Em 1944, ele fundou uma empresa de construção que veio a se tornar a Organização Odebrecht, cuja sede fica em Salvador, na avenida Paralela. A empresa se tornou um conglomerado com atuação em 23 países ao redor do mundo – entre eles os Emirados Árabes Unidos, a Alemanha, Moçambique e o Equador.

Norberto era o 8º homem mais rico do Brasil, segundo a revista Forbes. O enterro dela está previsto para acontecer às 11h deste domingo (20), no cemitério Campo Santo. Em 2014, a organização completa 70 anos. Entre as realizações da Odebrecht está a construção do Teatro Castro Alves, em Salvador.

O TCA foi entregue ao Estado da Bahia em julho de 1958, e reconstruído pela empresa depois que um incêndio destruiu o estabelecimento, que só foi reinaugurado em 1967.


Teatro Castro Alves, Salvador: uma construção
da Odebrecht

Biografia

Filho de Emílio Odebrecht e bisneto de um imigrante alemão, Norberto e a família se mudaram par a Ladeira dos Aflitos quando ele tinha apenas 15 anos. Foi lá que o engenheiro teve acesso ao mundo de trabalho do pai, com quem viria a compartilhar a mesma profissão. Na ocasião, ele foi incentivado a conviver com professores do dia-a-dia, os mestres-de-obras. Aprendeu inicialmente a ser pedreiro, depois foi serralheiro, armador, chefe de almoxarifado e responsável pelo transporte.

O tempo em que passou exercendo estes ofícios lhe ensinou a importância do trabalho. “Aprendi que o tempo é o único recurso irrecuperável, e que não temos o direito de desperdiçar o nosso e o dos demais”, diria ele anos depois. Entrou para a Escola Politécnica aos 18 anos, substituiu o pai nos negócios pouco depois, em 1941, e fundou sua própria empresa em 1944, aos 24 anos.

“Um líder tem a responsabilidade de motivar, estimular, desafiar e criar condições para partilhar com seus colaboradores os resultados que eles ajudaram a construir”, era a sua filosofia empresarial.

====================================================
BOM DOMINGO!!!


Amargosa: população em revolta
Foto-Donato Neto:Amargosa News
===========================================================

DEU NO UOL/FOLHA

A delegada titular de Amargosa (a 250 km de Salvador), Glória Isabel Ramos, foi exonerada do cargo neste sábado (19). O afastamento ocorreu três dias depois de moradores da cidade se revoltarem e incendiarem a delegacia.

A revolta aconteceu na última quarta-feira (16), quando um grupo de pessoas invadiu a delegacia em protesto contra a morte de uma menina de um ano e meio de idade, atingida por uma bala perdida, disparada durante uma perseguição policial.

No ataque à delegacia, armas foram furtadas, 14 presos foram soltos e o prédio da delegacia incendiado.

A exoneração foi publicada no “Diário Oficial” do governo do Estado neste sábado. De acordo com a publicação, o delegado Adilson Bezerra de Freitas, de Castro Alves (a 186 km de Salvador e a pouco menos de 40 km de Amargosa), vai assumir o cargo de Glória.

A decisão de exonerar a delegada foi do Depin (Departamento de Polícia do Interior da Bahia).

O coordenador do Depin, Moisés Damasceno, disse que a decisão sobre a saída de Glória do cargo na cidade foi tomada para preservar a relação entre a população e a polícia. “A cidade é muito pequena. Depois de um fato como esse, existe um certo clima de tensão, não cabe mais à delegada continuar no município”, afirmou Damasceno. Amargosa tem cerca de 40.000 habitantes.

“A relação da polícia com os habitantes do município ficou abalada”, completou. Segundo ele, o Depin ainda não definiu para qual cidade Glória vai ser transferida.

O caso da morte da menina está sendo apurado pela Corregedoria da Polícia Civil. Segundo Damasceno, o policial civil suspeito de ter dado o tiro que matou a menina também foi afastado do cargo até as investigações terminarem.

A Folha tentou, mas não conseguiu falar com Glória.


========================================================

DEU NO IG

O escritor Rubem Alves morreu às 11h50 deste sábado (19), aos 80 anos, vítima de falência de órgãos múltiplos. O autor estava internado desde 10 de julho no Hospital Centro Médico de Campinas, interior de São Paulo, para tratamento de uma pneumonia.

O velório está sendo realizado no plenário da Câmara Municipal de Campinas desde as 19h deste sábado.

Além de escritor, Alves era educador, teólogo, psicanalista e professor. Lançou mais de 120 livros, a maioria sobre religião e educação, além de uma série de obras infantis.

A editora Planeta emitiu comunicado sobre Alves: “A Editora Planeta do Brasil sente a perda de uma pessoa que nasceu para transmitir sabedoria e conhecimento. Rubem Alves era muito mais que escritor, ele era um sábio, um filósofo que compartilhou textos, experiências e caminhos para sermos felizes e entendermos um pouco mais da vida. Nossos profundos sentimentos à família, aos amigos e para todos os seus fãs e leitores”.

Nascido em 15 de setembro de 1933 em Boa Esperança, no sul de Minas Gerais, Alves estudou teologia no seminário evangélico Presbiteriano do Sul. Tornou-se pastor de uma comunidade presbiteriana no interior de Minas, mas afastou-se no fim da década de 1960, dedicando-se à carreira acadêmica.

De 1969 a 1974, foi professor da Faculdade de Filosofia de Rio Claro, no interior paulista. Em seguida, ingressou no Instituto de Filosofia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde permaneceu até a aposentadoria, nos anos 1990.

Recebeu o título de professor emérito da Unicamp e também o de cidadão honorário de Campinas, onde vivia. Na cidade, criou o Instituto Rubem Alves, associação sem fins econômicos voltada a programas educacionais.

Alves também estudou Psicanálise, concluindo a graduação na década de 1980 e mantendo sua própria clínica até 2004. Na literatura, tinha entre seus autores favoritos Friedrich Nietzsche, T.S. Eliot, Guimarães Rosa, José Saramago, Fernando Pessoa, Adélia Prado e Manoel de Barros.

Entre seus livros mais famosos estão “Protestantismo e Repressão”, “Filhos do Amanhã” e “Da Esperança”. Suas obras foram publicadas em idiomas como inglês, francês, italiano, espanhol, alemão e romeno.

Em texto publicado em seu site, ele escreveu: “Já tive medo de morrer. Não tenho mais. Tenho tristeza. A vida é muito boa. Mas a Morte é minha companheira. Sempre conversamos e aprendo com ela. Quem não se torna sábio ouvindo o que a Morte tem a dizer está condenado a ser tolo a vida inteira.”

  • Arquivos