Ilustração:Correio da Bahia

=============================================================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

Thais Borges e Alexandro Mota

Tente lembrar onde você estava há 14 anos. Você pode achar que nem é tanto tempo, mas, imagine, as torres gêmeas do World Trade Center estavam de pé e a passagem de ônibus em Salvador custava R$ 0,80. O Brasil ainda era tetra, e o metrô de Salvador começava as obras.

Em 2001, a Apple lançava o iPod e a cédula de R$ 2 entrava em circulação. O presidente ainda era Fernando Henrique Cardoso, e a Polícia Militar baiana começava a primeira de três greves em 14 anos. E o metrô de Salvador estava em obras.

A previsão inicial era que a população pudesse usar os trens em 2004 – ano em que Mark Zuckenberg criava o Facebook. Na mesma época, o saudoso Orkut também era desenvolvido. E o metrô de Salvador estava em obras.

Em tantos anos, o metrô já viu Bahia e Vitória mudarem dez vezes de série no Brasileirão, viu a Fonte Nova cair, ser demolida e se reerguer; viu o Brasil penta em 2002, a Itália tetra em 2006 e a Espanha campeã em 2010. Ou seja, vai agora para sua quarta Copa do Mundo… E continua em obras.

Mas, dessa vez, ele não só vai assistir à Copa, como vai até participar do esquema de transporte. Depois de 14 anos, finalmente, o negócio, mesmo inacabado, entra nos trilhos. Nesta quarta-feira (11), às 10h, a presidente Dilma Rousseff participa da viagem inaugural, que vai da Lapa até o Retiro.

Já às 12h, começa a operação assistida. É sua vez: basta aparecer, até as 16h. Não vai custar nada e continuará assim até 15 de setembro, quando terá início a operação comercial.

Transporte

As obras vão até 2017, quando, pelo cronograma atual, deve ser concluída a Linha 2. Só para dar uma ideia, em 2000, Salvador tinha uma frota de 412.852 veículos. Hoje, esse número mais do que duplicou: são 873.774 automóveis, segundo o Detran.

“Nesse período, houve um incentivo grande do governo federal para a venda de carros. Sem transporte público de qualidade, não há alternativa”, analisa o arquiteto e historiador Francisco Senna.

O problema é que a paisagem da cidade, de acordo com ele, não mudou muito – pelo menos, no que diz respeito à estrutura viária. “Foram construídos alguns viadutos, mas foi pouco. Como o sistema de transporte não evoluiu, tudo congestiona”, explica.

Segundo a assessoria da Secretaria Municipal de Urbanismo e Transportes (Semut), de 2000 para cá, foram feitos três grandes viadutos ou complexos viários em Salvador: o Dois de Julho, em São Cristóvão, a Via Expressa e a duplicação da Cia-Aeroporto. Além disso, o Complexo do Imbuí está sendo construído desde maio de 2013.

Além dos viadutos, a estrutura de concreto do metrô elevado mudou a paisagem e hoje marca a Avenida Bonocô. Ironicamente, em 14 anos, a via por onde passa o metrô só teve o trânsito aliviado com uma obra para carros. “Sempre foi carregado, porque era o principal acesso da BR-324. Hoje, com a Via Expressa, o fluxo é menor”, analisa a arquiteta e especialista em trânsito Cristina Aragón.

Uma vida

Já deu para perceber que 14 anos é uma vida! A estudante soteropolitana Jana Beltrão, por exemplo, tinha meses de nascida quando o metrô começou a ser construído. Hoje no 9º ano, já perdeu as contas de quantos livros já leu, já acompanhou sete séries de TV e já participou de um filme.

Jana dedicou seis anos da vida ao balé e quatro ao teatro. Extrovertida, não gosta de ficar em casa. Inquieta, já teve o cabelo loiro com pontas azuis, loiro com vermelho até chegar ao ruivo atual.

Be Sociable, Share!

Comentários

Rosane Santana on 11 junho, 2014 at 17:00 #

Não são 14 anos. Esse metro de superfície, bonde sobre trilhos seja lá o que for vem de Mario Ketesz, que construiu parte da infra-estrutura inicial. São quase 30 anos, portanto. E o metro mais caro do mundo e o que mais levou tempo pra ser construído. Verdadeiro monumento ‘a corrupção!


Moisés Bahia on 11 junho, 2014 at 20:53 #

Só não viu o Vicetória campeão Brasileiro!!!


Carlos Volney on 11 junho, 2014 at 23:51 #

Realmente, monumento à corrupção, também sob minha ótica.
Creio até que, em nenhum outro lugar do Mundo, em nenhuma época da história, houve um caso tão emblemático a simbolizar a corrupção.
Fosse na China, certamente algumas centenas, quiçá milhares de corruptos teriam sido sumariamente fuzilados. Merecidamente, sob meu ponto de vista.
E o mais revoltante, verdadeiro escárnio é o governo estar agora gastando uma fábula em propaganda para anunciar o início de operação desse “ferrorama”.
Eta Pindorama!!!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos