DEU NO JORNAL DO BRASIL (ONLINE)

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, determinou, nesta sexta-feira (23/5), a soltura do deputado estadual de Mato Grosso José Riva (PSD), que teve sua prisão provisória decretada em decorrência da Operação Ararath da Polícia Federal, que investigou denúncias de lavagem de dinheiro, peculato e crimes contra o sistema financeiro nacional em Mato Grosso.

A operação – na qual foram também presos o ex-secretário da Casa Civil de Mato Grosso Éder Moraes e o prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB) – gerou inquérito (Inq 3.842) em tramitação no STF sob o carimbo de “sigiloso”. O processo tramita no Supremo porque um dos investigados é o senador licenciado Blairo Maggi, que tem prerrogativa de foro por função.

Os advogados de José Riva fundamentaram o pedido de sua libertação no fato de que deputado estadual está ainda no exercício do mandato – e não licenciado, como tinha informado o Ministério Público.

Pelo artigo 27, parágrafo 2º da Constituição, aplicam-se aos deputados estaduais as mesmas regras da Constituição sobre a inviolabilidade e a imunidade referentes aos deputados federais. Estes – e portanto aqueles – só podem ser presos em flagrante delito.

Tem Dó de Mim
Vinícius de Maraes

Não faz assim
Tem dó de mim
Não posso mais chorar
Não vê que o amor é mais
É muito mais do que sonhar
Não faz assim
Tem dó de mim
Que fui querer demais
Demais amei
E agora eu sei
Quando a saudade insiste
É que o amor existe
E o amor é muito triste
Quando se desfaz

BOA TARDE!!!

===========================================

DEU NO JORNAL A TARDE (Reproduzido no Bê Naviani Blog)

MARIA STELA DE AZEVEDO SANTOS

Mais uma polêmica para que possamos refletir e dar um passo rumo a umestágio evolutivo elevado
que ajude a construir uma sociedade harmônica e equilibrada. O noticiário televisivo deu a seguinte manchete: “Juiz não reconhece manifestações afro-brasileiras como religiões. A decisão gerou polêmica e surpreendeu líderes do candomblé e da umbanda e o Ministério Público Federal.” Sou uma líder do candomblé e confesso que eu não fiquei nem um pouco surpreendida.

Venho de um tempo em que a referida religião era perseguida pela polícia, em virtude de na época o Brasil ter uma religião oficial – o catolicismo. A atitude do juiz precisa ser compreendida, porém jamais pode ser aceita. Optei por não dizer seu nome, pois o nome de uma pessoa é tão sagrado que não deve ser pronunciado quando o dono dele comete atos impensados e infelizes.

Um belo e significativo ensinamento da Ordem Rosa Cruz diz: “Eu te compreendo, mas em nome do verdadeiro amor não posso aceitar.” Podemos compreender uma atitude que tem por base o preconceito, que é fruto da ignorância sobre o tema que o juiz ousou julgar. O ignorante é assim mesmo: é insolente, “grosseiro nos gestos, nas palavras ou nas ações.”

Não fiquei surpresa, fiquei indignada. Senti repulsa, não pelo cidadão em si, mas pelo seu ato vergonhoso. Quanto a meu irmão que praticou tal ato, verdadeiramente, senti pena e, consequentemente, desejo de ajudá-lo. Afinal, ele é meu irmão, somos filhos de uma única energia, que para o candomblé é chamada de Olorum – o Deus Supremo, que vive no céu (no orum), o qual se expandiu e Dele fez surgir todos os seres vivos que habitam a Terra.

Essa é uma explicação que dou para ajudar meu irmão a entender que as religiões de matriz africana têm, sim, um texto base no qual se baseiam para realizar seus rituais, mas principalmente para ajudar seus adeptos a se tornarem cidadãos “assentados” no bem e na verdade. Esse texto base nos ensina que não basta sentir pena. O Código de Ifá, conjunto de ensinamentos no qual se baseia o candomblé, ensina a seus adeptos que a ignorância precisa ser perdoada, compreendida, mas nunca aceita, e que cabe àquele que conhece os mistérios, instruir aqueles que não os conhecem. Obedecendo, portanto, às orientações dadas pelos seres superiores, esclareço a meu irmão alguns detalhes do candomblé sobre o qual ele demonstra não ter o conhecimento necessário para realizar um julgamento.

A religião trazida para o Brasil por um povo possuidor de dignidade e generosidade inigualáveis tem um texto base, o qual é inclusive codificado através de códigos matemáticos. Não podemos, nem devemos esquecer-nos que um texto, em seu sentido amplo, é um conjunto de palavras expressas de maneira oral ou escrita, que pode ser longo ou breve, antigo ou moderno. Preciso pacientemente repetir que o texto base do candomblé é o Código de Ifá, pois um educador é educad para ser paciente. E nós, sacerdotes de qualquer religião, somos educadores de almas. Explicando ainda mais um pouco, o Código de Ifá é um sistema longo e antigo, considerado axiomático por revelar verdades universalmente dignas e válidas, ditas de maneira simples para expressar a complexa realidade da vida.

Também pacientemente repito que o candomblé possui um Deus Supremo, sendo os orixás divindades que servem como intermediárias entre Olorum e os humanos. Quanto à hierarquia, este é um dos grandes e fortes pilares dessa religião milenar, tanto no que se refere ao mundo das divindades quanto à comunidade dos “terreiros”. No mundo sagrado se tem: Olorum, orixás funfun (descendente direto do hálito do Deus Supremo), orixás vinculados ao ar, água, fogo e terra, seres humanos, animais, vegetais e minerais. Nas comunidades do candomblé a hierarquia está em tudo: nos cargos (iyalorixá, iyakekere egbomi, yaô, abian); no respeito à idade de nascimento do corpo (os “nossos mais velhos”) e à idade de nascimento, na Terra, da essência divina de cada um. Encerrarei este texto com um provérbio contido no Código de ifá: “O tempo pode ser longo, mas uma mentira não cai em esquecimento.”

Maria Stella de Azevedo Santos é Iyalorixá do terreiro Ilê Axé Opô Afonjá e mem da Academia de Letras da Bahia- ABL.
opoafonja@gmail.com

maio
23
Posted on 23-05-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 23-05-2014

Sid, hoje, no portal de humor, A Charge Online

maio
23
Posted on 23-05-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 23-05-2014

DEU NA TRIBUNA DA BAHIA

Os rodoviários de Salvador decidiram entrar em greve a partir da 0 hora de terça-feira (27/5). Eles se reuniram em assembleia, nesta quinta-feira (22), na sede do Sindicato dos Eletricitários da Bahia (Sindenergia)

Os empresários “tem até segunda-feira (26) para apresentar uma proposta” e evitar a paralisação, segundo o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Hélio Ferreira.

“Os patrões não ofereceram nada à categoria”, disse o vice-presidente Fábio Primo.

O deputado estadual e dirigente do sindicato, J. Carlos disse que essa é a única forma de os donos de empresa discutirem as reivindicações. “Enquanto não tiver o processo de greve instalado, nada disso se resolve”, acredita ele, que também é motorista de ônibus.

Sobre a possibilidade de aumento de tarifa caso o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setps) aceitenegociar os outros itens solicitados pela categoria, o deputado foi taxativo. “A tarifa é uma questão entre prefeitura e o Setps, mas os donos têm gordura suficiente para dar aumento sem aumentar a tarifa”, declarou.

Os rodoviários querem aumento de 15% nos salários e de 63,5% no tíquete-refeição (R$ 12,23 para R$ 20), redução da jornada de trabalho de 8h para 6h e extinção da hora fracionada de descanso.

O diretor do Setps Jorge Castro voltou a afirmar que a entidade só discute o salário. “Como falei algumas vezes, é inviável atender todas as exigências que, somadas, chegam a um aumento de 60%”. Segundo Castro, o sindicato tem um plano de contingência para que a população não seja prejudicada, caso a greve aconteça de fato

BOM DIA!!!


DEU NO PORTAL EUROPEU TSF

Os sucessivos resultados negativos da empresa levaram a Hewlett-Packard a anunciar a intenção de dispensar mais 11 a 16 mil funcionários, além dos 34 mil já previstos para despedir.

O gigante da informática HP fez o comunicado de mais demissões esta quinta-feira,22.

Na base desta decisão, que pode significar o afastamento de 50 mil funcionários em todo o mundo, estão os 11 sucessivos resultados negativos da empresa.

  • Arquivos