DEU NO IG/ÚLTIMO SEGUNDO

Para o presidente do STF, ex-ministro não pode trabalhar fora do Presídio da Papuda porque não cumpriu um sexto da pena

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, negou nesta sexta-feira (9) o pedido do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu de sair do Presídio da Papuda, no Distrito Federal, para trabalhar durante o dia em um escritório de advocacia em Brasília. Ontem, Barbosa havia revogado o benefício de outros dois condenados: o ex-deputado federal Romeu Queiroz, condenado a 6 anos e 6 meses de prisão, e ao advogado Rogério Tolentino, condenado a 6 anos e 2 meses de prisão.

Para Barbosa, Dirceu não pode trabalhar fora da prisão porque não cumpriu um sexto da pena. O ex-ministro foi condenado a 7 anos e 11 meses em regime semiaberto, no processo do mensalão. Em sua decisão, o presidente do STF afirma que, para fins de reeducação do preso, Dirceu já executa trabalho interno na prisão, trabalhando na biblioteca da Papuda.

“Note-se que, ao eliminar a exigência legal de cumprimento de uma pequena fração da pena total aplicada ao condenado a regime semiaberto, as VEP’s [Varas de Execução Penal] e o Superior Tribunal de Justiça tornaram o trabalho externo a regra do regime semiaberto, equiparando-o, no ponto, ao regime aberto, sem que o Código Penal ou a Lei de Execução Penal assim o tenham estabelecido. Noutras palavras, ignora-se às claras o comando legal, sem qualquer justificativa minimamente aceitável”, explica Barbosa em sua decisão.

“Não tente a vida entender/ somente quem viver, verá”.

BOA TARDE!!!


=============================================================

DEU NO UOL/FOLHA

FERNANDO RODRIGUES

Diminuiu a chance de a presidente Dilma Rousseff vencer no primeiro turno a eleição de 5 de outubro. Uma das principais razões foi o crescimento das intenções de voto do pré-candidato do PSDB, o senador Aécio Neves (MG).

Segundo o Datafolha, no cenário mais provável a petista teria hoje 37% das intenções de voto e os outros candidatos estariam com 38%, somados. É uma situação de empate técnico, pois a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

O levantamento do Datafolha foi feito ontem e anteontem com 2.844 entrevistas, em 174 municípios do país.

Apesar de ter variado na margem de erro, a curva de Dilma não é estável. Ela tem recuado gradualmente nos levantamentos do Datafolha –enquanto seus dois principais rivais estão em ascensão.

No cenário hoje mais provável para a disputa de outubro, liderado por Dilma com 37%, o segundo colocado é Aécio, com 20%. Ele tinha 16% no início de abril. O tucano ganhou quatro pontos e apresentou a maior variação entre todos os candidatos.

O terceiro colocado é Eduardo Campos (PSB), que registrou 11% agora e também apresenta curva ascendente, sempre dentro da margem de erro –tinha 10% em abril e 9% em fevereiro. O pessebista é conhecido muito bem ou um pouco por 25% dos eleitores. Essa taxa é de 86% para Dilma e de 42% para Aécio.

Segundo o Datafolha, 16% dos entrevistados dizem que votariam hoje em branco, nulo ou em nenhum dos candidatos. Outros 8% declaram que ainda estão indecisos.

Dilma e o PT fizeram um esforço nos últimos dias para estancar sua perda de popularidade e frear o movimento pela volta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato a presidente.

Segundo o Datafolha, 58% dos eleitores acham que Lula deveria ser o candidato do PT. Entre os que declaram preferência pelo partido, 75% dizem preferir Lula como candidato nas eleições deste ano.

Embora a variação de suas intenções de voto tenha sido negativa, Dilma ficou dentro da margem de erro da pesquisa. A aprovação ao governo (soma de quem acha o governo “ótimo” ou “bom”) hoje é de 35%. Há um mês, era 36%.

Um aspecto positivo para a presidente é que as expectativas econômicas dos eleitores pararam de deteriorar.

Mas continuou a crescer o anseio do eleitorado por mudanças. Hoje, 74% dos eleitores dizem querer mudanças na forma como o país é governado. Para 38%, Lula é o mais preparado para fazer essas mudanças. Dilma foi citada por 15%. Ela tinha 16% há um mês e 19% em fevereiro.

Aécio e Campos melhoraram seu desempenho de fevereiro para cá. Há cerca de dois meses, o tucano era apontado como o mais preparado para fazer mudanças por 10% dos eleitores. Agora, 19% pensam assim. Campos era apontado por 5% e agora tem a simpatia de 10%.

O bloco dos nanicos é liderado por um ex-apoiador do PT e de Dilma, o candidato Pastor Everaldo (PSC), que tem 3% das intenções de voto e está empatado tecnicamente com os outros nanicos.

Eduardo Jorge (PV), José Maria (PSTU), Denise Abreu (PEN) e Randolfe Rodrigues (PSOL) registraram 1% cada um. Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB) e Mauro Iasi (PCB) tiveram menos de 1%.

=================================================================

DEU NO SITE 247

A Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal enviou ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, cópia do pedido de investigação pelo vazamento de um vídeo com imagens da visita à cela do ex-deputado José Dirceu. O pedido foi feito pelo deputado federal Assis do Couto (PT-PR), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDH), da Câmara dos Deputados.

Em 29 de abril, deputados da comissão visitaram o Complexo Penitenciário da Papuda para verificar se Dirceu, condenado a sete anos e 11 meses de prisão, na Ação Penal 470, processo do mensalão, tinha privilégios em relação a outros presos. A Justiça proibiu qualquer tipo de imagem da visita. No entanto, após a diligência, um vídeo foi publicado no site do jornal Folha de S.Paulo.

No dia seguinte, o presidente da comissão, Nilmário Miranda (PT-MG), disse à Agência Brasil que a VEP não permitiu a gravação de imagens durante a visita. “Eu comuniquei a todos os deputados que não eram permitidas imagens, inclusive que, se fosse solicitado, era para deixar o celular”, recordou.

Além de Miranda, a comitiva era formada pelos deputados Jean Willys (PSOL-RJ), Luiza Erundina (PSB-SP), integrantes da comissão; Arnaldo Jordy (PPS-PA), suplente da comissão, e Mara Gabrilli (PSDB-SP), que não faz parte da comissão, mas pediu para participar da visita. Também fizeram parte da diligência assessores da comissão, da Secretaria de Comunicação (Secom) da Câmara dos Deputados, da deputada Mara Gabrilli, do deputado Arnaldo Jordy e da liderança do PPS.

Segundo Miranda, foi acordado que somente os deputados entrariam na parte do presídio onde o ex-deputado José Dirceu cumpre pena. O pedido, no entanto, não foi respeitado, e duas pessoas entraram na cela além dos deputados. “Os assessores da Comissão de Direitos Humanos, que acompanharam a diligência, ficaram do lado de fora. Agora, um dos deputados levou um assessor e coincidentemente é o único assessor que não aparece no vídeo. Todos os demais aparecem no vídeo e logicamente não puderam filmar a si mesmos”, relatou Miranda.

maio
09
Posted on 09-05-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 09-05-2014


==========================================================
Jarbas, hoje, no Diário de Pernambuco

============================================================

DEU NO G1

O vereador e líder das últimas três greves da Polícia Militar na Bahia (PM-BA), Marco Prisco (PSDB), que passou mal na prisão e foi internado em Brasília, recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nesta quinta-feira (8). Um dia antes, o boletim de ocorrência do Hospital de Base de Brasília informou que ele fez procedimento cirúrgico e estava em estado grave, porém estável.

De acordo com a assessoria do hospital, Prisco tem saúde estável, continua sendo medicado, orientado e em observação. A previsão é que a junta médica da unidade decida se o edil permanece internado ou seja liberado para voltar ao presídio da Papuda até o meio-dia desta sexta.

Tratamento

Marco Prisco passou por um procedimento de cintilografia, um exame de imagem, cujo objetivo é avaliar se há fluxo de sangue no músculo do miocárdio, sem precisar utilizar um cateterismo.

Prisco foi encaminhado para o Hospital de Base no domingo (4), após queixar-se de fortes dores no peito. No sábado (3), o vereador relatou o mal-estar no Complexo Penitenciário da Papuda, em

Marco Prisco (Foto: Reprodução/TV Bahia)Marco Prisco (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Mal-estar
A princípio o verador foi atendido pela Unidade de Pronto Atendimento de São Sebastião. De acordo com informações da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, Prisco foi transferido para o Hospital de Base do Distrito Federal porque a unidade pode dar maior suporte no atendimento e realizar “exames mais detalhados”. Ainda de acordo com a SES/DF, a hipótese de infarto foi descartada

Prisão

Em 23 de abril, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou pedido de liberdade feito pelo vereador. Ele está preso a pedido do Ministério Público Federal (MPF), sob justificativa de “garantia da ordem pública”.

Segundo a decisão, Prisco foi detido por causa da ação penal à qual responde, pela greve da PM de 2012. O juiz entendeu que o Código de Processo Penal prevê a prisão de quem possa cometer novamente o crime pelo qual responde. A defesa argumentou que a prisão é ilegal porque a greve na Bahia já terminou e vai entrar com um novo recurso.

A greve durou dois dias e, nesse período, 59 homicídios foram registrados na capital e na região metropolitana, além de 156 roubos de carro e seis furtos. A Justiça Federal estipulou multa em R$ 1,4 milhão e bloqueou bens das associações grevistas. Tropas do Exército chegaram a reforçar a segurança nas ruas da Bahia e a operação foi encerrada na sexta-feira (25).

http://youtu.be/jhV5ItPGypQ“Franqueza”, gravado no lp “Vou Deixar Cair”, em 1966

BOM DIA!!!

DEU NO PORTAL A TARDE

A Câmara Municipal de Salvador decidiu, durante reunião na manhã desta quinta-feira, 8, acatar solicitação do vereador e líder da greve da Polícia Militar da Bahia que dá a ele licença de 60 dias do posto de parlamentar sem remuneração.

Segundo a assessoria da Câmara, o vereador abriu requerimento com a solicitação na última sexta-feira, 2.

Prisco está internado no Hospital de Base, em Brasília, desde o último sábado, 3, após um mal-estar sofrido no Complexo da Papuda, onde cumpre prisão por decisão da Justiça Federal.

  • Arquivos