BOA NOITE

maio
03

===============================================
DEU NO PÚBLICO, DE LISBOA

É uma das obras mais célebres da arte ocidental, uma estrela do renascimento italiano, mas parece agora estar em risco. David, de Michelsngelo (1475-1564), apresenta várias fissuras nas pernas e nos pés, o que pode comprometer a estabilidade da escultura, escreve o La Repubblica.

Em causa está a própria inclinação da escultura que pode pôr em perigo a integridade da própria obra, alerta o estudo feito pelo Conselho Italiano de Investigação (CNR ) em parceria com a Universidade de Florença. Segundo os especialistas, a inclinação é de 5 graus mas o peso da escultura que é 5,5 toneladas faz com que a pressão na parte inferior da obra provoque a sua degradação ao longo do tempo, em especial na perna direita, que suporta grande parte da obra.

Este não é no entanto um problema de agora. A escultura de mármore foi criada entre 1501 e 1504 por Michelangelo e ao longo dos séculos foi alvo de algumas intervenções para se manter em bom estado de conservação. As fissuras que agora parecem comprometer a obra foram sendo cobertas com gesso mas têm tendência a reaparecer.

Segundo a BBC, estas fissuras são mais visíveis nos tornozelos da estátua de cinco metros de altura. Mas de acordo com os investigadores, muito se deve ao fato de a estátua ter estado exposta por mais de três séculos na praça principal de Florença. Em 1873 a obra foi transferida para a Galeria da Academia, onde tem estado até hoje em exposição ao público.

Giacomo Corti, um dos investigadores envolvidos neste estudo, explicou ao La Repubblica que a inclinação que agora ameaça a estátua terá sido causada pela “escassa uniformidade” do plinto onde assentava a estátua entre 1504 e 1873, período em que permaneceu ao ar livre em frente ao Palazzo Vecchio (Palácio Velho) na Praça da Senhoria. Nos últimos anos, a obra foi alvo de múltiplas limpezas e análises.

A última vez que David foi sujeito a uma grande intervenção de restauro foi em 2004.

maio
03
Posted on 03-05-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 03-05-2014

Bruno Aziz, no jornal A Tarde (BA)

=============================================================

DEU NO JORNAL O POPULAR

Morreu às 23h30 desta sexta-feira, 2, no Hospital Neurológico em Goiânia, o bispo emérito da cidade de Goiás, dom Tomás Balduíno, aos 91 anos de idade. O religioso estava internando há três semanas tratando de complicações cardíacas e de um câncer.
Em novembro do ano passado d. Tomas internou-se no hospital Pio XI, em Ceres, e depois foi transferido para Goiânia para tratar do coração e de um câncer de prótasta.Ficou vários dias na UTI, mas depois foi liberado. Essa nova internação foi mantida em segredo por familiares e religiosos dominicanos, ordem à qual d. Tomas era vinculado.

Desta vez d. Tomás teve uma tromboembolia pulmonar em consequência de uma incompatibilidade dos medicamentos para o câncer e o marcapasso. Ele passou 12 dias no Hospital Anis Rassi, teve um dia de alta e depois foi levado para o Neurológico onde morreu depois de uma semana.

Seu corpo está sendo velado na Igreja São Judas Tadeu, no Setor Coimbra e será sepultado na catedral da cidade de Goiás. O horário de sepultamento ainda não estava decidido até o início da madrugada.


Marina (com Eliana) em Salvador:”Lula é bala de prata”
=====================================================


=====================================================

ARTIGO DA SEMANA

O “Volta Lula” e a bala de prata de Marina

Vitor Hugo Soares

Bala de ouro é um elemento bastante conhecido e comum na história policial e na cultura baiana. Incrustada há décadas no noticiário local, das últimas páginas dos jornais, de vez em quando ela ressurge e ocupa o imaginário romântico, passional e criminal na terra de Todos os Santos e de quase todos os pecados, no dizer do saudoso cronista do cotidiano, Nelson Gallo.

Para ser mais exato, essa mística circula na Cidade da Bahia e arredores desde o crime passional que abalou Salvador no Século XIX e, na verdade, não constitui grande novidade para os locais.

O novo mesmo é a bala de prata. Aquela que a ex-senadora Marina Silva – vice na chapa do PSB, encabeçada por Eduardo Campos, – introduziu no debate e no noticiário político naciona,l sobre as eleições presidenciais deste ano, durante sua explosiva visita a Salvador, esta semana.

Coincidentemente (ou não?), no mesmo período em que a presidente Dilma Rousseff esteve em andanças no estado. Distribuindo “bondades administrativas” contra a seca, cantando loas ao seu atual ministro dos Transportes, Cesar Borges (ex-governador e ex- carlista de carteirinha), afagando egos de aliados descontentes. Além, é claro, de tentar dar um empurrãozinho no “pesado” candidato Rui Costa, que o governador impôs a petistas e aliados para sua sucessão.

Vamos por partes, retornando à bala de ouro, para não perder o fio da meada deste artigo que mistura suspense policial com tensão política e eleitoral, nestes dias estranhos e complicados de fim de abril e começo de maio.

Em 1947, o historiador baiano e imortal da Academia Brasileira de Letras, Pedro Calmon, transformou em romance de enorme apelo popular, o célebre crime passional que rendeu manchetes sem fim nos jornais locais, em novelas e nos noticiários radiofônicos de um tempo sem TV e Internet. Além de segredadas conversas nos quartos fechados “de muitas famílias da alta sociedade baiana”, como era comum dizer-se na época.

Título do livro? : “ A Bala de Ouro”.

Um resumo a seguir, para contextualizar jornalisticamente a informação histórica e literária: O romance de Pedro Calmon foi inspirado no final trágico do noivado de uma jovem soteropolitana chamada Júlia Fetal e o professor João Estanislau da Silva Lisboa.

Julia se apaixonou por outro rapaz e, às vésperas do casamento, terminou o noivado. Estanislau considerou o rompimento “uma traição, que cobrava vingança para lavar a honra ferida”, como se noticiava na época. Mandou cunhar uma bala de ouro “para ser usada em ocasião especial”.

Júlia foi surpreendida dentro de casa e assassinada com um único e certeiro tiro no peito. O professor foi preso e o seu julgamento “dividiu a imprensa e a sociedade baiana”. Entre os favoráveis à tese dos advogados do professor de “legítima defesa da honra” ao praticar o crime “em razão da traição e humilhação sofrida. Do outro lado, os que pugnavam pela condenação de Estanislau “pelo crime insano, brutal e covarde (sem possibilidade de defesa da vítima) que ele cometera”.

O julgamento terminou com a condenação e prisão do assassino. Mais não digo sobre esta tragédia passional baiana. Quem desejar saber mais, que leia o livro do imortal Pedro Calmon ou consulte os jornais da época. Vale a pena, nos dois casos.

A história de Marina Silva é desta semana, Está quentinha ainda, pegando fogo mesmo, principalmente nos bastidores partidários. Ainda fervilha, na Bahia e no País, nos debates políticos e discussões sobre a sucessão presidencial neste ano de 2014.

A presidente Dilma, ao lado do governador Jaques Wagner ( escolhido por ela para coordenar a sua campanha de reeleição no Nordeste), consultava meio atônita a arfante (como ainda parecia na “fala aos trabalhadores” em rede nacional da Radio e TV na véspera do 1º de Maio) o péssimo resultado para ela e seu governo da mais recente pesquisa de opinião.

Foi quando, de um auditório de homenagem da ONU à ex-ministra presidente do CNJ, Eliana Calmon (candidata ao senado pelo PSB na Bahia), por seu combate contra a corrupção no Judiciário, Marina lembrou o movimento “Volta Lula” que grassa nas hostes do PT e partidos aliados. Disparou:

“O ex-presidente Lula é uma bala de prata que o PT tem e isso é inquestionável. O problema é que bala de prata não pode falhar, porque quando ela falha, tudo desmorona”.

Marina disse mais, muito mais, na sua surpreendente metáfora da bala de prata cunhada em Salvador esta semana. E mais não digo, até porque mais não sei. Quem souber que revele, ou acrescente.

O resultado da bala de ouro do professor Estanislau, que matou Julia Fetal, já sabemos. A de prata, da metáfora de Marina, ainda é cedo para se prever o desfecho. Até porque não se sabe se “a bala de prata do PT”, será mesmo disparada.

O fato é que as visitas à Bahia da presidente Dilma Rousseff – em indisfarçável campanha pela reeleição apesar dos tropeços de seu governo e dos índices nada animadores de aprovação pessoal que tem colhido nas últimas pesquisas – e da ex-senadora e ex-ministra de Luls, Marina Silva, vice da chapa de Eduardo Campos (PSB), que promete azedar o chope governista (mesmo propósito do tucano Aécio Neves, em franca ascensão), deram um toque político ardido e todo especial a esta semana do centenário de nascimento de Dorival Caymmi , gênio musical da Bahia e do País. Cuja memória, depois da ventania, mar revolto e tempestade que sacudiram na data dos cem anos de Caymmi, esta semana, os soteropolitanos prometem celebrar em grande show na noite deste domingo (4) na beira do mar do Farol da Barra.

Um grande Viva a Dorival!

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail: vitor_soares1@terra.com.br

=============================================================

DEU NO IG

Em evento realizado nesta sexta-feira em São Paulo, o Partido dos Trabalhadores (PT) confirmou a pré-candidatura da presidente Dilma Rousseff à reeleição. O evento contou com a participação de 11 partidos da base aliada, três governadores e um terço do ministério da presidente.

Com a confirmação da pré-candidatura, o PT põe fim ao movimento “Volta Lula”, defendido por alguns membros do partido e da base aliada. Presente no evento, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu apoiar fortemente a candidatura de Dilma.

Ele afirmou que pretende viajar por todo o Brasil nos palanques de candidatos que apoiem a presidente. Lula disse ainda que “o medo estarrecedor dos adversários é a volta do Lula em 2018”.

Em sua fala, o ex-presidente também pediu que o PT reaja contra a tentativa dos adversários de destruir a Petrobras. Sem citar nomes, Lula ainda afirmou que há uma perseguição de cunho pessoal contra o PT, fazendo referência às condenações de José Genoino, José Dirceu e João Paulo Cunha no processo do Mensalão. O ex-presidente também afirmou que PT precisa renovar a sua imagem, principalmente junto ao público jovem.

Dilma diz que Lula é “verdadeira lenda”

A presidente Dilma Rousseff foi recebida pela plateia aos gritos de “Um, dois, três, Dilma outra vez”. Ela afirmou que a reeleição será um grande desafio, principalmente por estar sucedendo a Lula, que classificou como uma “verdadeira lenda”.

Segundo Dilma, as 36 milhões de pessoas que saíram da pobreza desde o início do governo Lula são prova de que o governo está no rumo certo. Sobre as denúncias de corrupção em seu governo, Dilma disse que quem a conhece sabe que ela nunca admitiria atos ilícitos. “Vergonha não é aparecer, vergonha é não combater”, disse a presidente.

Críticas aos adversários

Dilma também criticou os adversários políticos do PT que, segundo ela, querem adotar uma política de arrocho salarial, juros altos e retrocesso. A presidente afirmou ainda que seu governo investirá forte em um projeto de reforma política.

maio
03


DEU NO PORTAL EUROPEU TSF

O ministro de Relações Interiores da Venezuela denunciou hoje que os Estados Unidos têm um «plano de conspiração e insurreição» para acabar com a revolução bolivariana e controlar as reservas petrolíferas venezuelanas.

«Os EUA são um dos maiores consumidores energéticos do mundo e, ao alcance da mão, sempre tiveram o controlo do petróleo venezuelano e querem agora ter o controlo da Faixa [Petrolífera de Orinoco, a sudeste de Caracas]», declarou.

Numa conferência de imprensa em Caracas, o ministro frisou ainda que os EUA «querem impedir a propagação do pensamento bolivariano, porque um pequeno país, petrolífero, diz ao mundo que há outro rumo possível e outra forma de construir a sociedade».

Segundo Miguel Rodríguez Torres, Washington definiu duas linhas de ação para atacar Caracas: pelo tema dos direitos humanos, reunindo informação através de líderes opositores «como António Ledezma, Lepoldo López, Maria Corina Machado, Diego Arria e muitos atores políticos que manipulam informação para tratar de fazer ver ao mundo que na Venezuela se violam os direitos humanos».

Neste sentido precisou ter um relatório da coligação opositora Mesa de Unidade Democrática, que será enviado a várias instituições internacionais, apontando as forças de segurança do Estado venezuelano de atuarem em conjunto com grupos paramilitares.

«A outra linha de ataque vem pelo tema do narcotráfico e do terrorismo, para fortalecer a matriz de que na Venezuela há um Estado foragido. Com essas desculpas têm invadido outros países. Assim vão criando uma escusa necessária para atacar o nosso país», sublinhou.
(Pág.1/2) Página seguinte

maio
03
Posted on 03-05-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 03-05-2014

http://youtu.be/Z1zaiaWvNkE

========================================================

VENTO DE MAIO

Lô Borges

Vento de maio rainha de raio estrela cadente
Chegou de repente o fim da viagem
Agora já não dá mais pra voltar atrás
Rainha de maio valei o teu pique
Apenas para chover no meu piquenique
Assim meu sapato coberto de barro
Apenas pra não parar nem voltar atrás
Rainha de maio valeu a viagem
Agora já não dá mais…
Nisso eu escuto no rádio do carro a nossa canção
Sol girassol e meus olhos abertos pra outra emoção
E quase que eu me esqueci que o tempo não pára
Nem vai esperar
Vento de maio rainha dos raios de sol
Vá no teu pique estrela cadente até nunca mais
Não te maltrates nem tentes voltar o que não tem mais vez
Nem lembro teu nome nem sei
Estrela qualquer lá no fundo do mar
Vento de maio rainha dos raios de sol
Rainha de maio valeu o teu pique
Apenas para chover no meu piquenique
Assim meu sapato coberto de barro
Apenas pra não parar nem voltar atrás

BOM DIA!!!

  • Arquivos