mar
30


Foto: Reuters
=================================================================

DEU NO DIÁRIO DE NOTÍCIAS, DE LISBOA

O abraço de Javier Espinosa e do filho à chegada à base aérea nos arredores de Madrid fala por mil palavras sobre o seu regresso a Espanha, esta tarde, após seis meses de cativeiro na Síria. O jornalista do diário El Mundo e o fotógrafo freelance Ricardo García Vilanova foram libertados e entegues aos militares turcos na madrugada desde domingo. Foram sequestrados por um grupo armada da Al Qaeda em setembro de 2013.

Mais magros mas aparentemente de boa saúde, Javier Espinosa e Ricardo García Vilanova chegaram este domingo, às 16.26 (hora espanhola), a bordo de um avião militar espanhol à base aérea de Torrejon de Ardoz, perto de Madrid, onde foram recebidos pela família e amigos. Disseram as primeiras palavras públicas já no “El Mundo”, diante dos colegas, fortemente aplaudidos, segundo a AFP.

“Obrigada a todos os que se preocuparam por nós e tornaram possível o nosso regresso a casa”, disseram, após 194 dias de cativeiro. “Estamos perfeitamente”. Foram sequestrados no dia 16 de setembro.

Não podem contar nada por razões de segurança, explica o “El Mundo”, mas “é possivelmente o dia mais feliz da história deste jornal”, sublinhou o diretor do jornal, Casimiro García Abadillo, que tomou posse enquanto os jornalistas se encontravam sequestrados na Síria, sucedendo a Pedro J. Ramírez.

Ainda na base áerea militar, a número 2 do governo espanhol, Soraya Sáenz de Santamaría, declarou que “se tratava de um caso com uma grande carga humana”, aproveitando para felicitar os funcionáriso envolvidos no regresso a casa dos dois jornalistas.

=========================================================
São Sebastião proteja os desprotegidos do Rio de Janeiro do império inabalável de Sérgio Cabral, seus aliados e protetores no poder.

BOM DOMINGO, SE POSSÍVEL FOR.

(Vitor Hugo Soares)


Rio 40 graus:armamento pesado na invasão da Maré

====================================================

DEU NO PORTAL EUROPEU TSF

No Brasil, a Polícia e o Exército ocuparam, esta manhã, o Complexo da Maré, um conjunto de favelas consideradas as mais perigosas do Rio de Janeiro. Já foram detidas cerca de cem pessoas.

A dois meses e meio do início do Mundial de Futebol, mais de 1200 policias e militares entraram esta manhã no Complexo da Maré, apoiados por 14 blindados da Marinha e da Polícia Militar, além de aviões não tripulados das Forças Armadas e da polícia Federal.

O Complexo da Maré é um conjunto de 16 favelas, com mais de 120 mil habitantes, e é considerado um dos locais mais perigosos do Rio de Janeiro. E, por estarem junto ao aeroporto internacional, são também um ponto estratégico para a segurança do campeonato do mundo de futebol.

A rede Globo diz que a operação já levou à detenção de uma centena de pessoas. Esta ocupação do Complexo da Maré acontece no âmbito do processo de “pacificação”, iniciado em 2008 com a instalação de 38 Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) em 174 favelas.

A polícia justifica a intervenção como uma medida de pacificação, a 74 dias do Mundial de futebol.

mar
30
Posted on 30-03-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 30-03-2014


=============================================================
Sid, hoje, no portal A Charge Online


DEU NO G1

O corpo do estudante de medicina veterinária da UFBA morto após um assalto em Salvador será enterrado nesse domingo (30), na cidade de Brumado, a 552 km da capital baiana.

Charles Müller dos Santos foi assassinado na noite de sexta-feira (28) em frente à residência universitária da UFBA, na Avenida Garibaldi, em Salvador. O corpo do jovem, que estava no Instituto Médico Legal, foi liberado no final da manhã deste sábado (29), depois da chegada da família, e levado para Brumado.

Segundo a polícia, por volta das 21h30 de sexta-feira, o rapaz estacionou o carro em frente à residência universitária para esperar uma amiga que mora no prédio. Em seguida, dois homens desceram de um táxi e abordaram o estudante. Charles foi baleado na cabeça quando tentava descer do veículo. Ele morreu na hora e os bandidos fugiram no carro dele.

“Pela forma que ele era, não tenho certeza de que ele teria reagido”, disse um dos amigos do jovem. “Eu fui fazer uma caminhada pela avenida e praticamente três minutos depois foi quando isso aconteceu”, relatou o estudante Deivson Mendes. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.

Protesto
Na manhã deste sábado, colegas de Charles se reuniram no local do crime. Com os rostos pintados, o grupo fez um protesto pedindo justiça e mais segurança na residência universitária. Por causa do protesto, o trânsito ficou lento nas avenidas Garibaldi e Adhemar de Barros, até por volta das 13h.

Segundo os estudantes que moram na residência, na guarita que fica na frente do prédio, trabalha um funcionário que não fica armado. Ele é responsável por cuidar do patrimônio da universidade. “É tudo escuro, não tem policiamento”, revelou a estudante Mônica Souza.

A secretaria municipal de Ordem Pública informou que vai mandar uma equipe para fazer uma vistoria no local para apurar a denúncia sobre a falta de iluminação no local feita pelos estudantes. Já a Polícia Militar informou que são feitas rondas na Avenida Garibaldi.

mar
30

http://youtu.be/rZOMcEvJRPk

==================================================

SEM FIM (HD)
“NANA CAYMMI 1979”

De Novelli e Cacaso

“Quando me larguei lá de onde eu vim
Chão de sol a sol
Ramo de alecrim, paletó de brim
Tempo tão veloz
Não chamei meu pai, minha mãe não viu
Desgarrei de nós
Quando dei por mim, um sertão sem fim
Pelo meu redor
“Coração, não deixe de bater”

Quando meu amor disse adeus pra mim
Eu perdi a voz
Quis dizer que sim, mas me desavim
E fiquei menor
Não chamei meu pai, minha mãe saiu
Me senti tão só
Procurei por mim e um desvão sem fim
Pelo meu redor”

MARAVILHA DE LETRA, DE MELODIA E DE INTERPRETAÇÃO. CONFIRA.

BOM DOMINGO!

(Vitor Hugo Soares)


DEU NO PORTAL EUROPEU TSF

A ministra de Comunicação e Informação da Venezuela, Delcy Rodríguez, informou hoje que desconhecidos atacaram um dos edifícios do canal estatal Venezolana de Televisión (VTV).

«Opositores violentos atacaram as instalações da VTV em San Cristóbal, na madrugada», escreveu a responsável na sua conta no Twitter.

A ministra questionou se o Colégio Nacional de Jornalistas (CNP) teria algo para dizer sobre o ataque, que teve lugar no estado de Táchira, a 840 quilómetros a sudoeste de Caracas.

O CNP é a entidade responsável pela atribuição da carteira profissional de jornalista no país e denunciou recentemente (em conjunto com o Sindicato Nacional de Trabalhadores da Imprensa), 116 casos de agressões a profissionais da comunicação social.

Estes casos teriam ocorridos desde 12 de fevereiro passado, quando cobriam protestos nas ruas, havendo denúncias de que algumas das agressões teriam sido feitas por funcionários de organismo de segurança do Estado.

Embora a ministra se refira aos agressores como «opositores violentos», órgãos do Sistema Bolivariano de Comunicação e Informação (Sibci), como o CiudadCcs, atribuem o atentado a «grupos fascistas».

  • Arquivos