http://youtu.be/SmvM51QkkCk

===========================================================

========================================================

Que Viva Chile na festa de seu reencontro com Michelle Bachelet, que retorna ao comando do país andino à beira do Pacífico, e Isabel Allende, primeira mulher a presidir i Senado em seu país.
Que grande vitória póstuma de Salvador Allende!

As músicas vão dedicadas também ao meu compadre Oscar Vallejos., chileno amigo, generoso e solidário, como a maior parte de seu povo corajoso, produtivo e heróico.

Para lembrar dos maravilhosos encontros recentes que tivemos na Califórnia (Pablo, Margarida, Marcia e Regina e Gabee presentes), regados ao melhor vinho, e cantando “Si vas para Chile”.

Te acuerdas, compadre? Hoje festeje por mim.

(Vitor Hugo Soares)


Bachellet recebe faixa da presidente do Senado
Isabel Allende: emoção à flor da pele

===========================================================

DEU NO YAHOO NOTÍCIAS

SANTIAGO – Depois de um longo e apertado abraço, a nova presidente chilena, Michelle Bachelet, recebeu nesta terça-feira a faixa presidencial de outra mulher, a senadora socialista Isabel Allende, filha do presidente deposto presidente Salvador Allende, e eleita para presidir o Senado do país. A cerimônia contou ainda com a presença dos principais chefes de Estado da região, que aproveitaram o evento para participar de uma reunião da União de Nações Sul-americanas (Unasul), convocada para discutir a crise venezuelana.

Mais cedo, a senadora socialista assumiu nesta terça-feira como a primeira mulher a presidir o Senado chileno.

– É uma grande honra assumir hoje o desafio de ser a primeira mulher presidente do Senado na história do Chile e entregar a faixa presidencial a outra mulher, Michelle Bachelet – declarou visivelmente emocionada, após assumir posse do cargo. – A imagem histórica de duas mulheres ocupando simultaneamente os dois cargos mais importantes do Estado percorrerá o mundo.

Antes da cerimônia, a aparição de Evo Morales, presidente boliviano, e do peruano Ollanta Humala, causaram comoção no público presente. Alguns gritaram “Fora!” para os presidentes. Também estiveram presentes a brasileira Dilma Rousseff, o uruguaio José Mujica, muito solicitado para fazer fotos com parlamentares. O ex-presidente Sebastián Piñera foi aplaudido.

A grande ausência foi do venezuelano Nicolás Maduro que, após um longo dia de confrontos, suspendeu sua viagem para assistir à posse da socialista. A chegada do chefe de Estado era esperada com expectativa, num momento em que seu país sofre uma onda de manifestações que já deixaram 23 mortos, um deles uma chilena que faleceu ao ser baleada em um protesto.

Durante a campanha de 2013, a nova presidente chilena, eleita no segundo turno de dezembro passado com mais de 60% dos votos, prometeu enviar ao Parlamento um ambicioso projeto de reforma educacional, que inclua a gratuidade, principal bandeira dos estudantes chilenos. Em seu primeiro mandato, entre 2006 e 2010, Bachelet enfrentou a chamada rebelião dos pinguins, quando milhares de estudantes participaram de protestos em todo o país para exigir livre acesso à educação. A reforma não tornou-se realidade por falta de apoio no Parlamento e hoje representa o maior desafio da nova presidente do Chile.


Barbosa sobre OAB:”precisa separar
o público do privado”

=======================================================

DEU NO G1

Mariana Oliveira/ Do G1, em Brasília

O plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) liberou, por maioria de votos (dez a cinco), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de arcar com despesas básicas, como água e energia elétrica, pelo uso de salas cedidas para a entidade em tribunais trabalhistas do país.

O entendimento foi criticado pelo presidente do conselho e do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. Para ele, a OAB é entidade privada e deveria pagar os custos.

“Precisa separar o público do privado. Que pague proporcionalmente pela ocupação dos espaços. Não ter essa postura ambígua de ora é entidade de caráter público, para receber dinheiro público, ora atua como entidade privada, cuida dos seus próprios interesses e não presta contas a ninguém. […] Quem não presta contas não deve receber nenhum tipo de vantagem pública. Ocupar prédio, usar energia e não pagar por isso é valer-se do erário público”, disse Barbosa, que ficou vencido ao lado de mais quatro conselheiros.

A decisão do CNJ foi tomada em pedido de providências feito pela OAB contra resolução do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) que obrigou o pagamento de despesas de manutenção.

Agora, os tribunais trabalhistas não poderão mais cobrar da OAB o pagamento de despesas, como água, energia elétrica, vigilância e taxas condominiais pela cessão de uma sala para uso de advogados. O entendimento segue recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU) em decisão sobre o uso de sala em prédios públicos.

Geralmente, nesses locais, advogados fazem ligações e usam tomadas para ligar computadores ou carregar celulares.

A conselheira Maria Cristina Peduzzi, relatora do pedido da OAB, votou para que a entidade tivesse de pagar apenas custos como telefone e instalação e conservação de móveis e equipamentos. A maioria do conselho concordou.

“Uma sala da ordem dos advogados não significa causar ônus à administração”, disse o conselheiro Gilberto Martins.

O também conselheiro Fabiano Silveira destacou que considera “muito pouco até” conceder à OAB um local com água, luz e telefone. “Me parece pouco porque é um órgão que interfere na composição dos tribunais”, destacou.

Depois da fala de Silveira, Joaquim Barbosa voltou a criticar liberar a OAB dos pagamentos: “Esse é um tipo de procedimento [usar sala cedida sem pagar os custos] que não sobrevive mais no Brasil de hoje.”

O conselheiro, então, sugeriu que regra fosse feita no CNJ com essa finalidade. E Barbosa rebateu: “Nós vamos propor isso aqui.”

Depois que todos proferiram seus votos, Joaquim Barbosa disse que não pagar os custos seria aproveitar-se dos recursos públicos.

“Qualquer pessoa, entidade, que tenha comodidade, facilidade, proporcionada por quem quer que seja, deve pagar por essa comodidade em se tratando de poder público. Usufruir dessa comodidade sem nada pagar por isso, significa locupletar-se dos recursos públicos.”

Defensoria x OAB

O presidente do Supremo e do CNJ, Joaquim Barbosa, disse ainda, ao falar sobre o tema, que a OAB foi contra ação julgada no STF que obrigava a criação da Defensoria Pública em vários estados porque recebia repasses de tribunais para atuar em defesa da população.

“Foi triste e vergonhoso. A guerra que foi no Supremo Tribunal Federal para a declaração de constitucionalidade da Defensoria Pública. Tão vultosos eram os montantes orçamentários envolvidos, que a OAB não queria abrir mão. É disso que se trata”, afirmou Barbosa.

O conselheiro Paulo Teixeira, que foi do Conselho Federal da OAB, disse no plenário do CNJ que a oposição em relação às defensorias ocorreu em poucos estados. “Em mais de 20 estados do país não há convênio [entre tribunais e OAB]. Tenho mais de 20 anos de advocacia e conheço a realidade pelo país.”

mar
11
Posted on 11-03-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 11-03-2014

=========================================================

DEU NO iBAHIA

Por Redação Bahia Alerta

Nove pessoas foram baleadas na madrugada dessa segunda-feira (10) no município de Feira de Santana, a 109 Km de Salvador. As vítimas estavam em uma seresta no bairro da Pamplona, quando foram surpreendidas por dois homens em uma moto. Eles chegaram atirando no local. Entre os atingidos, sete foram baleados de raspão e atendidos na Policlínica do Conjunto George Américo, mas já receberam alta. O menor L.S.C, de 16 anos, foi encaminhado para o Hospital Estadual da Criança e Leonardo Souza de Queiroz, 22 anos, para o Hospital Geral Clériston Andrade. Ambos foram feridos com maior gravidade, mas o estado de saúde atual ainda é desconhecido. O caso será investigado pela Polícia Civil da região.


Voo Kuala Lumpur-Pequim: mistérios no ar

=============================================================

DEU NO PÚBLICO, DE LISBOA

Enquanto seguem as buscas do boeing desaparecido na rota Kuala Lumpur-Pequim, acumulam-se perguntas cruciais. Algumas sem respostas.

Há algum caso de desaparecimento de avião semelhante a este?

Não há registo de um aparelho desta dimensão (trata-se de um Boeing 777) alguma vez ter desaparecido. O caso mais próximo é o do Air France 447 que CAIU no Atlântico em 2009 depois de ter descolado do Rio de Janeiro, mas os primeiros destroços foram detectados no mar no dia seguinte ao desastre e o avião cinco dias depois. No caso de aviões pequenos, as buscas podem ser bastante mais demoradas e os destroços podem nunca aparecer. O caso registado de um avião desaparecido durante um longo período de tempo é famoso: um aparelho da Força Aérea do Uruguai caiu nos Andes argentinos em Outubro de 1972 e ali permaneceu quase dois meses, até os sobreviventes (29 de início, 19 no final) serem resgatados.

Porque está demorando tanto tempo a encontrá-lo?

Explica o jornal The New York Times que a cobertura dos radares não é universal, sobretudo quando a aeronave sobrevoa os oceanos. Nessas alturas, os aviões utilizam outros sistemas de navegação, transmitindo um sinal que permite determinar a sua posição recorrrendo a satélites, explica o diário britânico The Guardian. Os pilotos têm, de X em X tempo, que comunicar via rádio a posição em que se encontram. Aparelhos como o Boeing 777 têm sistemas automáticos que enviam os dados do motor e de outras funções técnicas para uma base de manutenção (não para a torre de controle que monitora a rota). Os investigadores podem usar estes dados para perceber onde se encontra o avião ou o que resta dele; esses dados ajudaram a encontrar o Air France 447, mas bastou um dia e no caso do MH370 já se passaram quase quatro. Ou os sinais foram parados deliberadamente, ou houve uma avaria eléctrica total, ou então o avião desintegrou-se em pleno ar.

Onde estava o avião quando desapareceu dos radares?

O MH370 fez o último contacto com a torre de controle uma hora depois de decolar de Kuala Lumpur (ia para Pequim e a rota iria fazê-lo passar pelo Vietname e Estreito de Malaca), era sexta-feira em Portugal e já sábado na Malásia. Ia em velocidade e altitude de cruzeiro — a pelo menos dez mil metros e a 222km por hora. Não estava longe da cidade malaia portuária de Kota Bharu, mas encontrava-se já no espaço aéreo do Vietname.

As caixas pretas dos aviões não têm um sinal que permite localizá-los em caso de acidente?

Têm, mas o sinal tem um alcance limitado e as buscas podem estar sendo feitas fora desse perímetro.

A que distância pode estar o avião do lugar do último registo?

Há muitas dúvidas sobre o local da queda. O protocolo determina que, perante um alerta, os pilotos devem pilotar, navegar e comunicar, por esta ordem. Manter o avião no ar é, então, a primeira prioridade. Mesmo com problemas nos motores, este modelo pode voar durante 20 minutos se os pilotos conseguirem controlá-lo. Por esta circunstância — e por não se encontrar vestígios na zona da rota — as buscas foram alargadas. As buscas centraram-se primeiro na zona marítima entre a Malásia e o Vietname, mas agora realizam-se também na costa oeste da Malásia. O site FlightRadar24 tem um registo que mostra o MH370 a desviar-se do curso mas isso não prova que tenha mudado de rota, o que porém pode ter acontecido depois do último registo. Foi levantada a hipótese de o avião ter mudado o sentido de voo (voltado para trás?) e de poder ter passado a voar a baixa altitude. Se tivesse perdido motores, poderia planar durante cerca de 145 km, se os pilotos ainda estivessem aos comandos.

Quem está a realizar as buscas?

Participam equipas de vários países: Auatrália, China, Estados Unidos, Filipinas, Indoinésia, Malásia, Nova Zelândia, Singapura, Tailância, Taiwan, Vietnam. Realizam-se buscas aéreas apoiadas por uma frota de 24 embarcações.

Quantas pessoas estavam a bordo?

227 passageiros e 12 tripulantes. Chineses (153), malaios (38), indonésios (7), australianos (6), indianos (5), franceses (4), americanos (3), neo-zelandeses, ucranianos e canadenses (2), russos, de Taiwan, italianos, holandeses e austríacos (1). O passaporte italiano e o austríaco, já se sabe, tinham sido roubados na Tailândia e não era os titulares que viajavam com eles. Um dado que fez levantar a possibilidade de o desaparecimento do avião ter sido um ato terrorista, mas essa hipótese começou a perder força ao conhecer-se a identidade de um dos passageiros suspeitos — trata-se um um homem iraniano que pretendia continuar a viajar até chegar ao país onde iria pedir asilo político.

O que aconteceu ao MH370?

Todas as hipóteses estão em aberto: acidente, erro humano, terrorismo. Até a possibilidade de o piloto ter derrubado intencionalmente o aparelho está em cima da mesa — já aconteceu duas vezes, nos casos dos EgyptAir, em 1999, e do SilkAir (Indonésia), em 1997. O que se sabe é que o B777 (modelo que chegou ao mercado em 1995) é um avião resistente e o único desastre que se conhece é recente, data de 7 de Julho de 2013 quando um aparelho da Asiana caiu ao aterrar em San Francisco (EUA); morreram três pessoas. O avião das linhas aéreas da Malásia tinha 11 anos de serviço e já registava uma avaria numa asa, em 2012. O aparelho desaparecido tinha 11 anos e havia uma avaria no seu registo — em 2012 foi detectado um problema numa asa quando o aparelho já rolava na pista

mar
11
Posted on 11-03-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 11-03-2014


================================================================
Miguel, hoje, no Jornal do Comércio

========================================================

DEU NA COLUNA DO JOSIAS/FOLHA

Josias de Souza

Membro da Executiva Nacional do PMDB, Geddel Vieira Lima afirma que a legenda “precisa ter mais respeito por si mesma.” Ex-ministro de Lula, ele não se conforma com o fato de dirigentes do partido ainda pedirem ministérios a Dilma Rousseff. “É hora de sair, de entregar ministérios, não de pedir mais. Isso nos arrebenta, acaba com a nossa imagem.”

Irônico, Geddel evoca o Lepo Lepo, sucesso da banda Psirico no Carnaval de 2014, para resumir a situação do PMDB. “O partido não tem nada, é tratado pela presidente da República com requintes de crueldade, é apresentado como fisiológico e se mantém no governo. Ficar com Dilma por quê? Só pelo Lepo Lepo? Na prática, é o que está acontecendo.”

Geddel defende o reposicionamento do PMDB. “Vice-presidência da República não é projeto, é circunstância”, diz. “Um partido pode, circunstancialmente, fazer alianças. Mas é natural que evolua. Temos eleições de quatro em quatro anos justamente para permitir repactuações políticas. Vale para os eleitores e também para os partidos.”

Ele ironiza os ataques de petistas como Rui Falcão e a própria Dilma à diversidade de opiniões dos peemedebistas. “Nesse aspecto, o PMDB é igualzinho ao PT. A diferença é que eles dão nome aos seus grupos. É democracia radical, convergência de esquerda, isso e aquilo.”

Sob Dilma, Geddel ocupou a vice-presidência de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal até dezembro de 2013. Deixou o cargo para dedicar-se à sucessão na Bahia. É adversário do PT no Estado. Ante a acusação de incoerência, o amigo do vice-presidente Michel Temer se escora no PT e em Lula.

“O PT entende a evolução como alto natural. Até porque nenhum outro partido mudou tanto suas posições ideológicas quanto o PT. O presidente Lula, que é o grande líder do PT, patrono da presidente Dilma, já disse que prefere ser uma metamorfose ambulante. Portanto, não sou eu que estou dizendo que é preciso evoluir. Quem diz é o Lula. E o Raul Seixas.”

=============================================

Billie Holiday
Gloomy Sunday
album Greatest Hits

BOM DIA!!!

=======================================================

DEU NO G1


RIO – Os jurados da versão norueguesa do programa “Got Talent” ficaram de queixo caído quando uma menininha mostrou sua interpretação de “Gloomy sunday”, música eternizada por Billie Holiday.

Apesar de ter apenas 7 anos, Angelina Jordan Astar provou que tem jazz na voz. Em uma entrevista à rede local TV2, a garotinha disse que fala inglês bem e que entendia a letra da música muito bem.

“Eu senti algo especial nela, é difícil explicar em palavras. Quando cantei para minha mãe, ela disse que a música era bonita, mas incrivelmente triste”, comentou Jordan.

Segundo alguns sites de música que fizeram uma crítica da performance da pequena cantora, o que mais impressiona não é a capacidade vocal da menina, mas sua entrega total à música: o fraseado impecável, a presença marcante, apesar de frágil, e aquela rouquidão que só as estrelas já calejadas têm.

Jordan não parece tentar imitar a diva do jazz, mas realmente compreender sua música. No bate-papo com a TV norueguesa, a garota contou que é fã de outras cantoras de jazz das antigas, entre elas Julie London, Nancy Sinatra e Shirley Bassey. Ela também faz aulas de canto há quatro anos.

  • Arquivos