Sergio Guerra:grande perna na política e no ninho tucano

=====================================================

DEU NO DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Faleceu nesta quinta-feira (6) o deputado federal Sérgio Guerra, presidente estadual do PSDB e do Instituto Teotônio Vilela, em decorrência de complicações provocadas por um câncer nos pulmões. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, há mais de 20 dias. O velório deve ser realizado na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

A família ainda aguarda a liberação do corpo do deputado em São Paulo. Só depois disso, serão discutidos o traslado do corpo e os detalhes do velório e do sepultamento.

Sérgio Guerra descobriu o tumor no pulmão em setembro de 2012 e vinha se tratando da doença com medicamentos de última geração e o deixou praticamente curado da doença. No entanto, o deputado sofreu com uma infecção decorrente, provavelmente, de efeito colateral da medicação, segundo o ex-presidente do PSDB no estado Evandro Avelar. Guerra estava internado há 21 dias em São Paulo para tratar desse problema. “Nos últimos dias, as informações médicas eram de que a infecção estava sendo debelada, mas, nas últimas 48 horas, o quadro regrediu”, disse Avelar. O deputado também tinha diabetes e problemas renais.

A assessoria nacional do PSDB deve divulgar uma nota ainda nesta manhã com informações sobre o motivo do falecimento e local onde o enterro será realizado.

Ao lamentar a morte do aliado, o deputado estadual Daniel Coelho (PSDB) lembrou que uma das principais características de Sérgio Guerra era a capacidade de articulação. “Era inesgotável. Quando dentro do partido existiam ideias divergentes, eram rapidamente estudadas e resolvidas pelo deputado da melhor forma”, disse em entrevista ao Diario por telefone. Ele citou o exemplo recente da condução do senador Aécio Neves, pré-candidato do partido ao Palácio do Planalto, à presidência nacional do PSDB. “Ele fez isso articulando e ouvindo todos que fazem o partido”, comentou.

Biografia

Sergio Guerra nasceu em 9 de novembro de 1947 no Recife. Formado em economia pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e foi presidente nacional do PSDB de 2007 a 2013, quando foi substituido pelo senador Aécio Neves. Era deputado federal e presidente da sigla em Pernambuco, últimos cargos na vida pública. Foi também deputado estadual com três mandatos consecutivos que foram de 1983 a 1991 e eleito senador na chapa do governador reeleito Jarbas Vasconcelos (PMDB), exercido do 1º de fevereiro de 2003 a 31 de janeiro de 2011. Cumpria atualmente o quarto mandato como deputado federal desde 2011.

Filiou-se ao PMDB em 1981 e, no ano seguinte, foi eleito deputado estadual. Em 1986, já pelo PDT, foi reeleito ao cargo. Em 1989, filiou-se ao PSB e ocupou os cargos de secretário estadual de Indústria, Comércio e Turismo e de Ciência e Tecnologia no governo Miguel Arraes. Em 1990, foi eleito para um mandato na Assembleia Legislativa, reelegendo-se em 1994 e 1998. Assumiu novamente a Secretaria de Indústria e Comércio entre 1997 e 1998, no último mandato de Miguel Arraes.

Em 1999, deixou o PSB e filiou-se ao PSDB, onde se manteve desde então. Participou do primeiro governo Jarbas Vasconcelos (PMDB) em Pernambuco, ocupando a Secretaria Extraordinária. Guerra disputou em 2002 o cargo de senador. Foi o segundo colocado naquela disputa, eleito com 1.675.779 votos (26,9% dos válidos) – eleito juntamente com Marco Maciel (PFL), o primeiro colocado. Nas eleições de 2006, foi o coordenador nacional da campanha presidencial de Geraldo Alckmin (PSDB). Em 2010, foi o sexto candidato a deputado federal mais votado em Pernambuco. Elegeu-se com 167.117 votos (3,79% dos válidos).

Além de implantar um processo de modernização no PSDB, Sérgio Guerra foi o principal articulador dos tucanos na decisão do partido se aliar ao governo do PSB, presidido pelo governador e presidenciável Eduardo Campos, no estado. O acordo foi selado em dezembro do ano passado, potencializando as alianças para a disputa das eleições deste ano. O partido assumiu os cargos deixados pelo PTB do senador Armando Monteiro, possível adversário dos socialistas na sucessão estadual.

Sérgio Guerra deixa dois filhos e duas filhas.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos