DEU NA FOLHA

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), decidiu exonerar os petistas que fazem parte de sua administração, incluindo os secretários que ocupam as pastas do Meio Ambiente e de Assistência Social e Direitos Humanos, Carlos Minc e Zaqueu Teixeira, respectivamente.

Outros 700 funcionários petistas também deverão ser demitidos.

A decisão foi tomada nesta semana após a direção petista marcar a saída da administração do governo para o próximo dia 28 de fevereiro. O motivo da saída é o apoio à pré-candidatura do atual senador Lindbergh Farias ao governo do estado.
Rafael Andrade – 1.out.2010/Folhapress
Sérgio Cabral (PMDB) durante visita a obra; governador exonerou petistas por e-mail
Sérgio Cabral (PMDB) durante visita a obra; governador exonerou petistas por e-mail

Com as demissões, Cabral poderá compor mais aliados na chapa do vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que concorrerá à sucessão estadual em outubro deste ano com o apoio do governador.

A comunicação das demissões foi feita por meio de um e-mail enviado pelo governador na tarde deste sábado (25) ao presidente do PT no Rio, Washington Quaquá. Há uma semana, Quaquá havia usado o mesmo meio eletrônico para comunicar a saída antecipada dos petistas da administração, inicialmente marcada para o dia 31 de março.

No e-mail, o governador agradeceu a Quaquá “pelos sete anos e um mês de convívio fraterno” e o convidou para uma café da manhã, na próxima segunda-feira (27), no Palácio Guanabara, sede do governo estadual.A Folha tentou contato com Quaquá, mas não obteve retorno.


Protestos de hoje(25) no Rio de Janeiro

================================================================


Um ato em protesto contra a a Copa do Mundo em São Paulo, inicialmente pacífico, registrou no início desta noite de sábado, 25, ações de vandalismo com depredações a uma viatura policial e focos de incêndio.

Os protestos contrs o Mundial de futebol no Brasil aconteceram também no Rio de Janeiro, Recife e outras capitais e grandes cidades do País.

Em São Paulo, a manifestação começou pacífica, por volta das 17:00 , reunindo cerca de 1.000 manifestantes, em frente ao Museu de Arte de São Paulo (MASP).

Os integrantes iniciaram uma caminhada, que chegou a fechar a principal avenida da cidade. O ato recebeu novos participantes ao longo da caminhada, chegando a 2.500 pessoas, segundo as últimas estimativas da Polícia Militar.

No final do trajeto, próximo do centro, pequenos grupos formados por pessoas mascaradas iniciaram ataques a uma agência bancária e uma loja da McDonald’s.

A polícia fez uso de gás lacrimogéneo e balas de borracha para tentar controlar a situação, segundo informações do canal “Globo News”.

Noutro ponto, um grupo tentou virar uma viatura policial, mas foi reprimido pelos polícias, enquanto, num terceiro foco de ações, um grupo ateou fogo a uma lata de lixo, que acabou por gerar incêndio num automóvel, conforme imagens transmitidas pela televisão local.

(Com informações do Diário de Notícias,de Portugal)

jan
25
Posted on 25-01-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-01-2014

DEU NO PORTAL METRO1

Um homem que trabalhava no Porto de Salvador, no Comércio, morreu esmagado por um container de nove toneladas na madrugada desse sábado, 25. De acordo com a Superintendência de Telecomunicações das Polícias Civil e Militar (Stelecom), Josevaldo Alves, de 34 anos, trabalhava em um caminhão quando a carga caiu sobre o veículo.

O homem foi socorrido por uma unidade do Corpo de Bombeiros e do Serviço Móvel de Urgência (Samu) e foi encaminhado para o Hospital São Jorge, no Largo de Roma, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. De acordo com a Tecon Salvador, empresa responsável pelo container, o motorista trabalhava em uma operação de desempilhamento no pátio do Porto quando o acidente aconteceu.

“Após ser retirado das ferragens, o motorista foi atendido pela equipe do SAMU. Apesar de todos os esforços em reanimá-lo, a equipe não obteve êxito. O óbito foi confirmado pelo Samu à 01h45. A empresa lamenta o ocorrido e presta assistência à família do motorista, bem como está à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos. O Tecon Salvador segue rígidos padrões e normas de segurança”, afirmou através de nota.


Hollande e Valerie: “c`est fini”

====================================================

DEU NO PORTAL EUROPEU TSF

O presidente francês Francois Hollande anunciou que vai se separar da sua companheira, a jornalista Valerie Trierweiller, primeira dama da França, duas semanas após de terem surgido as primeiras notícias sobre a sua ligação com a atriz Julie Gayet.

Frisando que falava a título pessoal e não tanto como chefe de Estado, François Hollande disse, em declarações à AFP, que «pôs fim à vida comum que partilhava com Valerie Trierweiller”»

DEU NO ESTADÃO

MARIANGELA GALUCCI – Agência Estado

A Justiça do Distrito Federal suspendeu por 30 dias a análise do pedido do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu para que ele seja autorizado a trabalhar fora da penitenciária da Papuda. Condenadoa 10 anos e 10 meses de prisão por participação no esquema do mensalão e preso desde novembro na capital, Dirceu quer deixar todos os dias a prisão para dar expediente num escritório de advocacia.

Num despacho assinado na sexta-feira, 24, o juiz Mario José de Assis Pegado determinou que sejam apuradas num prazo de 30 dias as suspeitas de que, mesmo preso, Dirceu teria usado um aparelho celular na Papuda. As investigações serão realizadas em um inquérito disciplinar.

De acordo com o magistrado, se for verídico, o fato pode configurar falta disciplinar grave, o que poderá impossibilitar a concessão de benefícios como o trabalho externo. Além disso, o inquérito deverá investigar se alguém facilitou o suposto acesso de Dirceu ao aparelho celular, o que é considerado crime.

Pegado reiterou despacho assinado no dia 17 pelo colega Ângelo Pinheiro Fernandes de Oliveira, para que as suspeitas fossem apuradas de forma mais aprofundada.

“Vislumbro que da apuração sumária realizada diretamente pela Sesipe (Subsecretaria do Sistema Penitenciário) não restaram atendidas às determinações desta Vara de Execuções Penais, possivelmente em razão de ter a mesma antecedido o recebimento do ofício desta VEP comunicando a decisão prolatada em 17/01/2014”, afirmou Pegado.

No inquérito, deverão ser ouvidos Dirceu, o responsável pelo plantão ou o chefe da vigilância no dia 6 e os servidores que eventualmente tenham acompanhado ou fiscalizado o contato do ex-ministro com outras pessoas.

“Considerando a informação sobre o suposto envolvimento do sentenciado em falta disciplinar de natureza grave, e a fim de manter o tratamento isonômico dado por este juízo aos internos do sistema carcerário local, suspendo cautelarmente a análise de eventuais benefícios externos do sentenciado, até a conclusão do apuratório disciplinar”, afirmou o juiz Oliveira.

A notícia sobre as suspeitas de que Dirceu teria falado ao celular diretamente da Papuda foi divulgada pela imprensa em meados deste mês. De acordo com as informações veiculadas, há suspeitas de que o secretário da Indústria, Comércio e Mineração da Bahia, James Correia, teria conversado por celular com o ex-ministro no último dia 6.

“A decisão de suspender o pedido de trabalho de José Dirceu com base numa nota de jornal é totalmente descabida”, reagiu o criminalista José Luís Oliveira Lima, que defende o ex-ministro. “Além disso, o juízo da Vara de Execuções Penais não tem competência legal para determinar a instauração de sindicância contra o meu cliente, mas sim o diretor do presídio que determinou a investigação e concluiu pela improcedência dos fatos.”

Oliveira Lima informou que segunda-feira vai recorrer ao Supremo “contra essa decisão desprovida de fundamento jurídico”.

Polêmica. O pedido de trabalho de José Dirceu, preso na Papuda desde novembro, foi o que causou mais polêmica. Em novembro, o ex-ministro pediu autorização para trabalhar como gerente administrativo no Saint Peter Hotel, em Brasília, com salário de R$ 20 mil.

O petista, contudo, desistiu depois de uma série de notícias veiculadas na imprensa sobre a existência de um laranja residente no Panamá na constituição societária do hotel quatro estrelas. Em dezembro, a defesa de Dirceu entrou com um outro pedido, dessa vez para que ele trabalhe na biblioteca do escritório de advocacia José Gerardo Grossi, com um salário de R$ 2,1 mil. Dentre os clientes do escritório de Grossi estão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o deputado Eduardo Azeredo (PSDB-MG),

O ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, também entrou com pedido para trabalhar na Central Única dos Trabalhadores (CUT), em Brasília e já começou a trabalhar como assessor de presidência da entidade, com salário de R$ 4,5 mil. Dos 17 condenados presos no mensalão, 10 têm direito ao regime semiaberto, no qual podem sair para trabalhar. Destes, cinco já conseguiram autorização para trabalhar fora da prisão.

=================================================

“Calma, pessoá: as coisas aqui tá muito cínina. Os mais pió vai pras Crínicas”.

Viva São Paulo!!! Viva Adoniran Barbosa!!!

BOA TARDE!!!

(Vitor Hugo Soares)

jan
25
Posted on 25-01-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-01-2014


=========================================================
Sid, hoje, no portal de humor A Charge Online

========================================================

Luiza no Manhatta: boas perguntas e boas respostas

==============================================================

ARTIGO DA SEMANA

O copo de Luiza no Manhattan Connection

Vitor Hugo Soares

Está bem, eu confesso meu senhor: Tornei-me, de uns tempos para cá, um ouvinte assíduo, assumido e quase inveterado do programa Manhattan Connection, transmitido aos domingos em canal privado de televisão.

Três entrevistas, mais recentes, foram decisivas para aumentar ainda mais o meu interesse – de telesespectador comum, e tambem jornalista, em busca de programas fora do circuito ramerrão quase padronizado e demente que prolifera como praga na TV brasileira – pela atração do canal privado Globo News no ar todo domingo, a partir das 23 horas.

Refiro-me às conversas com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, na última edição de 2013; um pouco antes a de José Bonifácio Sobrinho, o Boni, craque em televisão, doublê de gourmet internacional; e, é claro, a surpreendente entrevista com a empresária Luiza Trajano, domingo passado.

Esta última segue ainda espalhando brasa nos comentários, debates e análises na mídia em geral, mas principalmente nas chamadas redes sociais – Twitter e Facebook à frente.

Nos três casos citados, a confecção com base na antiga receita e fogões onde em geral se produzem e são cozinhadas as melhores entrevistas jornalísticas: Boas perguntas e boas respostas, temperadas com sal, pimenta a gosto e inteligência aguda dos dois lados.

Mesmo que em um dos lados não esteja uma rematada figura de sábio, artista ou intelectual, a exemplo do ocorrido domingo, durante a conversa com a dona do Magazine Luiza, a “rainha do varejo no Brasil”.

O Manhattan Connection vem de longe, como dizia Leonel Brizola. Desde as polêmicas encarniçadas de Paulo Francis com Caetano Veloso. Ultimamente, o programa parecia conformado e satisfeito em ir tocando adiante o seu tom blasé. Conversas sustentadas mais na base do incenso, do atiçamento das fogueiras de vaidades, dos embates intelectuais de egos inflados. Ao lado de atitudes abertamente arrogantes de estrelas da companhia: Um certo jeito colonizado e de pouco caso em relação aos fatos, pessoas e coisas fora do circuito de interesses nova-iorquino. Descaso especial com o acontecer das bandas do hemisfério sul.

De repente o sopro de renovação.

Creio até que a data da ruptura foi aquela noite de domingo em que foi anunciada ao mundo, desde a Casa Branca, a morte de Bin Laden. O programa estava no ar, com estúdio magnificamente situado nas vizinhanças das Torres Gêmeas (em reconstrução depois de transformada em escombros mortais da grande tragédia dos Estados Unidos). As emissoras de Radio e TV não falavam em outra coisa, enquanto Manhattan Connection discutia as virtudes das camisarias de Nova Iorque.

A Globo News retirou o programa abruptamente do ar, para entrar com o noticiário da morte de Bin Laden. Um vexame!

Mas são águas passadas. De lá para cá, o Manhattan, sem perda das suas características mais emblemáticas, a partir DA inimitável introdução sonora, começou a se renovar positivamente.

Mistura, não raramente de forma corrosiva – nada bem comportada para os padrões da casa -, política com arte, cultura e variedades, tudo somado a excelentes dicas semanais de turismo, comportamento e inovações. Primeiras críticas dos lançamentos do cinema, teatro, novidades da Broadway. Música de primeira qualidade e bom gosto, integra ainda a saborosa salada de conteúdo internacional, servida de Nova Iorque, Veneza, Miami e São Paulo.

Tudo ancorado com bom humor, elegância e alguns escorregões de memória, pelo jornalista mineiro, Lucas Mendes (que semana sim outras não exibe um clássico relógio, creio que um Cartier, sonho de consumo que Margarida,minha mulher e também jornalista, ao meu lado, elogia sempre). Ainda direto de sua famosa e plasticamente bem situada poltrona instalada no estúdio de Nova Iorque. Ao seu lado, o jornalista Caio Blinder e agora mais raramente, “o melhor guia de New York”, Pedro Andrade, no corre-corre que divide o seu trabalho entre a ilha de Manhattan e Miami.

De Veneza, pontua Diogo Mainardi, com sua incrível e inesgotável capacidade de provocar e causar polêmicas. De São Paulo, no lado sul da linha, o comentarista econômico Ricardo Amorim, o mais jovem, mas não menos inteligente, com brilho próprio, e que não foge das provocações do veterano Mainardi.

Em ambiente assim, não raramente o inesperado faz surpresas, principalmente nas entrevistas. É bem o caso do domingo passado, quando a dona do Magazine Luiza foi levada ao estúdio do Manhattan na capital paulista, para uma conversa na qual, a princípio, poucos apostariam um tostão furado, incluindo o jornalista que assina estas linhas.

Recém chegada de uma mega-convenção de varejistas do mundo inteiro em New York, Luiza começou vendendo seu peixe. O fazia com a retórica verde e amarela e ufanista, carregada na singeleza e praticidade dos bons comerciantes. Discorria sobre as maravilhas do ano de 2013, e até contava vantagem, comparativamente com os Estados Unidos, atribuindo o sucesso nacional à qualidade do atendimentos dos vendedores patrícios nas lojas. “Em NY o vendedor nem olha para a sua cara. Aqui lhe carregam nos braços”, disse Luiza Trajano, cheia de entusiasmo.

De Veneza Diogo Mainardi entrou para falar do “aumento da inadimplência” ano passado. Disse que bons preços, como os praticados nas lojas dos Estados Unidos e da Europa contam mais que bons vendedores. Não satisfeito, futucou: ”Acho que a senhora, empresária de sucesso, está enfeitando seu peixe para vender por melhor oferta O Magazine Luiza ao grupo Amazon”.

A entrevistada foi para cima. Desmentiu os dados da inadimplência jogados no ar por Diogo, prometeu mandar via e-mail para Veneza os números corretos que ela tinha nas mãos e falou da metáfora do copo e a imprensa no Brasil: ”nossos jornalistas sempre mostram mais a parte vazia que a parte cheia do copo”.

Nascia aí um rico debate, inclusive do ponto de vista político, que seria a grande surpresa da noite. E que nos dias seguintes incendiaria as redes sociais e levaria até à criação de fãs clubes da empresária país afora. Algo que raros políticos e governantes brasileiros conseguem e que, seguramente, ainda renderá panos pra manga na mídia e nos palanques em 2014. A conferir.

Paulo Francis deve ter vibrado na cova. Salve a Luiza, do Magazine. Parabéns ao Manhattan! Queremos mais.

Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail: vitor_soares1@terra.com.br

jan
25
Posted on 25-01-2014
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-01-2014


=======================================================
DEU NO ESTADÃO

RIO – Revoltados com a demora para serem autorizados a desembarcar de um avião no aeroporto do Galeão, na zona norte do Rio, na noite de desta sexta-feira, passageiros de um voo da Gol quebraram as portas de emergência da aeronave, jogaram objetos na pista e chegaram a subir em uma asa do aparelho.

======================================

BAHIA EM PAUTA COMENTA: “Tudo pode piorar”. É bom que ninguém esqueça da verdade contida neste ensinamento popular.

Atitudes inconsequentes, como as registradas ontem no aeroporto do Rio de Janeiro, só podem levar a consequências ainda piores. Um desastre, por exemplo.

(Vitor Hugo Soares)

==================================================
BOM DIA!!!

  • Arquivos