Foto do “Jornal da Mídia”, capturada de imagem da “Rede Record”, mostra
a tosqueira máxima:corda de um ferry-velho puxando outro ferry-velho

==========================================================

DEU NO BLOG “OS INIMIGOS DO REI”, CUJA LEITURA DIÁRIA O BAHIA EM PAUTA RECOMENDA VIVAMENTE.
( http://osinimigosdorei3.blogspot.com.br/ )

======================================================

JORNAL COMENTADO

TONY PACHECO

“Empresária cita tripulante e diz que ferryboat “Pinheiro” é uma bomba-relógio”
(jornaldamidia.com.br)

A matéria do “Jornal da Mídia” coloca o governador Wagner (PT-BA) e a concessionária “Internacional Marítima” nos seus devidos lugares, quais sejam, de responsáveis diretos pelo caos no sistema ferry-boat que liga Salvador à Ilha de Itaparica e também aos destinos turísticos mais famosos da Bahia: Morro de São Paulo, Ilhéus e, seguindo pela BR-101, também Porto Seguro.

O governo atual, contudo, está longe de se interessar ou ENTENDER a importância estratégica do ferry-boat. Parece que o interesse é FAZER UMA PONTE. Esgarçar esta corda do ferry até ela estourar e justificar uma ponte que, tal como a Arena Fonte Nova, dizem poderá ser mais uma daquelas obras PRA EMPREITEIRO passar de milionário a BILIONÁRIO e pra político aposentar-se de vez. Mas isso pode não ser verdade, pode ser só calúnia da oposição…

E por falar em corda, vamos falar de um ator desta ópera bufa pouco lembrado: a CAPITANIA DOS PORTOS, órgão do Ministério da Defesa (Marinha).

Olha que imagem, um ferry puxando o outro na Baía de Todos os Santos com uma corda. Sim, o ferry “Juracy Magalhães” puxando o ferry “Pinheiro” com uma corda.

Pergunta-se à Capitania: isto é PADRÃO de rebocar equipamentos do porte do ferry-boat?

Do alto de nossa ignorância achávamos que a concessionária teria que contar com um REBOCADOR sempre À DISPOSIÇÃO pra estas emergências, que deixaram de ser emergências, pois ocorrem à toda hora. E por que a Marinha permite que as concessionárias (não só a atual da terra dos Sarneys, mas todas até hoje) operem sem um rebocador que tenha capacidade de intervir em caso de crises???
Precisa de um ferry-velho (sim, Alex Ferraz, estou imitando seus trocadilhos…) puxando o outro, jogando corda no meio da

Baía de Todos os Santos?
QUÊ TOSQUEIRA É ESSA, DONA CAPITANIA DOS PORTOS?

Pensávamos que a Capitania era A AUTORIDADE MARÍTIMA na Baía de Todos os Santos, mas, pelo visto, não é.
Pessoas e automóveis num ferry-velho sendo puxado por outro ferry-velho, como se vidas e propriedades não tivessem a menor importância.

E, aí, fica mais uma dica aos coleguinhas: coloquem os almirantes na linha de fogo. Entrevistem, queiram saber o porquê de tanta indiferença se quem manda no mar é a Marinha. Claro que não se deve esquecer o governador Wagner, o vice Otto Alencar e os dirigentes da Internacional Marítima. Eles são os RESPONSÁVEIS DIRETOS, mas a Capitania dos Portos, PERMITINDO este descalabro que é navios que NÃO PODEM navegar NAVEGANDO, é, em última instância, o responsável maior, pois já deveria ter mandado APREENDER todos os ferries-velhos. Ou não?

Ou baiano merece mesmo é ser ESCULACHADO até arrebentar a corda, literalmente?

Tony Pacheco é jornalista-radialista formado pela UFBA, registro 966 no Ministério do Trabalho.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos