dez
27
Posted on 27-12-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 27-12-2013

Belo entardecer musical, com Aznavour


=========================================================

O pichador de Minas, identificado

———————————————————

DEU NO UOL/FOLHA

Policiais da DPMA (Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente) identificaram o jovem flagrado por uma câmera de monitoramento da Prefeitura do Rio de Janeiro enquanto pichava a estátua de Carlos Drummond de Andrade que fica na orla de Copacabana, na zona sul da cidade.

Ele foi identificado como Pablo Lucas Faria e também é suspeito de pichar a estátua de Zózimo Barroso do Amaral, no posto 12, no Leblon, e o monumento de Estácio de Sá, no Parque do Flamengo. Faria é empresário da cidade de Uberaba (MG) e foi identificado após uma pesquisa no sistema da delegacia.

De acordo com o delegado José Fagundes, as investigações continuam em andamento para localizar o suspeito. Ainda segundo o delegado, a mulher que aparece nas imagens foi identificada como sendo namorada de Faria, e é conhecida como Mel.

Pablo Lucas Faria é empresário da cidade de Uberaba (MG) e foi identificado após uma pesquisa no sistema da delegacia

A imagem de Drummond foi pintada com uma tinta branca. A parte mais atingida foi a do rosto do poeta, mas também foram pichados o peito e as pernas da obra, que é um dos principais atrativos turísticos na orla carioca.

Os óculos do poeta também já foram alvo de vandalismo em oito oportunidades, a última dela em 12 de maio de 2012. O reparo do acessório custa cerca de R$ 25 mil.

A estátua, de autoria do artista plástico Leo Santana, foi instalada em outubro de 2002, em comemoração aos 100 anos do nascimento do poeta. Dois dias depois, o monumento amanheceu pichado.

dez
27
Posted on 27-12-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 27-12-2013

====================================================

DEU NO PÚBLICO, DE LISBOA

A chuva forte que tem caído nas últimas semanas nos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, no Sudeste do Brasil, já provocou a morte de 41 pessoas. Há cidades isoladas, estradas cortadas e habitações destruídas – mais de 60 mil pessoas foram obrigadas a abandonar as suas casas. Nesta sexta-feira, o mau tempo deverá dar tréguas em alguns municípios.

Segundo a imprensa brasileira, os maiores estragos são visíveis no leste de Minas Gerais e no Noroeste do Espírito Santo. Neste estado, 52 dos 78 municípios foram afetados pelas tempestades, que provocaram 23 mortos, de acordo com a Defesa Civil – que chegou a avançar com 27 mortos, número entretanto corrigido após a identificação de vítimas resgatadas com vida.

Há mais de 60 mil desalojados e muitas cidades estão isoladas, com estradas cortadas. “O levantamento das pessoas afetadas continua prejudicado pela dificuldade de acesso a muitas localidades, algumas totalmente isoladas pela intensa inundação, sem comunicação, água potável e energia elétrica”, refere uma nota da Defesa Civil, citada pelo Jornal do Brasil. Algumas pessoas foram resgatadas a partir dos telhados das casas. O governador decretou estado de emergência e o Exército do Rio de Janeiro enviou 170 militares para ajudar no resgate dos habitantes de áreas mais críticas.

Em Minas Gerais, foi encontrado na madrugada de quinta-feira o corpo de uma mulher de 56 anos que estava desaparecida, elevando para 18 o número de mortos desde Outubro, quando começaram as tempestades. A mulher foi vítima de um deslizamento de terras que atingiu a casa onde morava. Só neste estado há mais de 3500 desalojados e cerca de seis mil casas danificadas, segundo o Jornal do Brasil. Dos 79 municípios atingidos, 26 estão em situação de emergência.

O governo está também a aceitar doações de alimentos, roupa e medicamentos para as vítimas. Até porque a chuva já fez disparar o preço de produtos como hortaliças. O jornal Gazeta Online escreve que a alface, por exemplo, já está 150% mais cara.

Chuva bate recordes

Segundo o Incaper, o instituto que faz a previsão do tempo naquela região, esta é a “a maior chuva desde que começaram as medições meteorológicas no Estado, há 90 anos”. Os estragos causados pelo temporal nas últimas semanas já são considerados maiores do que os registados na enchente de 1979, quando morreram 74 pessoas. O Incaper explica que o fenómeno resulta de “um canal de humidade associado à presença de Zonas de Convergência do Atlântico Sul que vem mantendo o tempo encoberto em todo o Estado”.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) estima uma redução da pluviosidade nesta sexta-feira na região do rio Doce, que corta os dois estados. No entanto, a chuva deverá cair com intensidade elevada na região do Triângulo Mineiro, no Centro e no Oeste de Minas.

dez
27
Posted on 27-12-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 27-12-2013


======================================================
Clayton, hoje, no jornal O Povo (CE)

==========================================================

OPINIÃO POLÍTICA

Chapa quase pronta

Ivan de Carvalho

A chapa governista para as eleições majoritárias de 2014 na Bahia já está claramente delineada. Dos três candidatos, dois são oficialmente conhecidos – o deputado e secretário da Casa Civil, Rui Costa, do PT, para governador, escolhido por Jaques Wagner, aceito por seu partido (por unanimidade do diretório estadual, mas sem consenso) e o vice-governador Otto Alencar, secretário de Infraestrutura e presidente estadual do PSD, para a cadeira de senador hoje ocupada pelo ex-governador João Durval, do PDT.

O detalhe da “unanimidade sem consenso” não é pequeno como os da composição de Roberto Carlos. É, antes, de bom tamanho. Pois quem nega o consenso é o senador Walter Pinheiro, que em 2008 e 2010 disputou eleições majoritárias na Bahia (primeiro para prefeito de Salvador e, depois, para senador) e que é, enquanto outro não for escolhido para a função, líder do PT no Senado Federal.

Sabe-se nos bastidores políticos que o ex-presidente Lula, principal liderança política do PT (uma espécie de manda-chuva, sem o qual o PT estaria hoje vivendo uma perfeita bagunça, ante as dificuldades da presidente Dilma Rousseff para conduzir articulações políticas importantes) não tem simpatia especial por Walter Pinheiro, assim como tem pelo secretário do Planejamento e ex-presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli.

Mas essa simpatia nada pode para mudar a determinação do governador Jaques Wagner de fazer de Rui Costa o candidato do PT e do governismo estadual à sua sucessão. Assim, vale concluir que a ausência de simpatia de Lula por Walter Pinheiro igualmente não o atrapalhou, pois o que valeu no processo de escolha do candidato governista a governador foi mesmo a vontade de Wagner e sua ascendência sobre o PT da Bahia.

O senador Walter Pinheiro definiu com clareza a ausência de consenso que apontou. No final, havia duas candidaturas (Luiz Caetano e Gabrielli – este, no último minuto – haviam retirado as deles), sendo uma a do próprio Pinheiro. “O PT fez outra opção”, disse ele. O PT, não ele, que manteve a candidatura e não recebeu um voto sequer do diretório, embora esse “abandono” não corresponda à influência do senador no seu partido.

Um pouco diferente foram os parâmetros para definir o candidato a senador. Aí houve um encontro de vontades. O governador sempre viu a presença do ex-governador e atual vice-governador na chapa de candidatos à eleição majoritária como importante, eleitoralmente. Já Otto Alencar revelou não ter interesse em ser novamente candidato a vice-governador e ficou repetindo que deseja ser senador (o que passa por ser candidato a senador). Claro que se a conjuntura e as necessidades governistas conduzissem seu nome para uma candidatura a governador, ele ficaria muito contente, mas nunca reivindicou isso. Como o governador entendeu que o governismo se basta com Rui Costa candidato à sua sucessão, estavam assim definidos os dois nomes da chapa que disputam diretamente o voto do eleitor.

Falta o vice, que disputa o voto dos eleitores apenas indiretamente – supostamente carreando votos para o candidato ao governo. Estão no páreo o presidente da Assembléia Legislativa, Marcelo Nilo e o deputado federal e ex-ministro Mário Negromonte. Estavam de relações pessoais rompidas há muito tempo, mas fizeram as pazes há poucas semanas. Parece que dentro da presunção (aparentemente acertada) de que a inimizade só servia para atrapalhar a ambos. Um ficaria tentando vetar o outro – este era apenas um dos inconvenientes. Agora, estão numa boa, um não veta o outro, mas o que se ouve nos bastidores indica firmemente que Marcelo Nilo se posicionou na questão da vice, pública e reservadamente, de uma maneira que o impulsionou muito na direção de seu objetivo de ser o companheiro de chapa de Rui Costa. É claro que se isto se confirmar, a Mário Negromonte, que não pretende reeleger-se deputado federal, será oferecida alguma compensação. O que bem pode incluir uma cadeira em um dos dois tribunais

dez
27

http://youtu.be/eO0Ie5iV8Ws

=========================================================

Influência do Jazz, de Carlinhos Lyra, com Luizinho Eça, Bebeto e Hélcio Milito, o Tamba Eterno.

BOM DIA!!!

( Gilson Nogueir)

  • Arquivos

  • dezembro 2013
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031