dez
24
Posted on 24-12-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 24-12-2013

==============================================================

UM MÚSICO PARA NÃO ESQUECER!!!

(Vitor Hugo Soares)


====================================================

DEU NO PÚBLICO, DE LISBOA

Yusef Lateef, figura lendária do jazz-norte-americano, faleceu na segunda-feira, 23. Com 93 anos de idade, o artista tinha sido diagnosticado com câncer na próstata.

A sua carreira começou nos finais dos anos 1940 e, desde então, Yusef Lateef lançou mais de cinquenta discos pessoais. Embora tenha colaborado com nomes destacados do jazz como Charles Mingus ou Dizzy Gillespie, Yusef ganhou notoriedade pela sua carreira a solo e por ser um dos primeiros a fundir o jazz tradicional com a world music, abrindo-o a influências orientais. É conhecida a sua importância na música do saxofonista John Coltrane, nomeadamente no seu período tardio mais free jazz.

Yusef Lateef começou como saxofonista em Detroit, numa carreira acompanhada pelo trompetista Curtis Fuller e pelo baterista Louis Hayes na década de 1950. Viria a juntar à sua lista de instrumentos de eleição a flauta transversal, o oboé e o fagote, tendo também explorado vários instrumentos orientais. Mudou-se para Nova Iorque nos anos 1960, onde trabalhou com o baixista Charles Mingus e com o saxofonista Cannonball Adderley. Em 1961, gravou o seu álbum mais icônico, Eastern Sounds.

Em 1987, ganhou um Grammy pelo álbum Yusef Lateef’s Little Simphony na categoria de melhor performance new age.

Paralelamente, seguiu uma carreira acadêmica extensa que alternou entre os Estados Unidos e a Nigéria, incluindo um doutoramento na Universidade de Massachusetts.

Em 2010 recebeu o maior prê mio norte-americano para um músico de jazz: o National Endowment for the Arts Jazz Master. Segundo o seu obituário, o artista andou em atividade até o Verão de 2013 nos Estados Unidos.

Tópicos
Música

1

Outros Artigos

Deu na Agência Estado

Duas vítimas de extorsão mediante sequestro foram resgatadas do cativeiro na madrugada desta terça-feira (24). Os sequestrados foram mantidos no bairro Vila Galvão, em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo. De acordo com a Polícia Civil, uma das vítimas era um ganhador de um prêmio milionário de loteria – a outra, era o irmão.

A operação foi composta por integrantes da Delegacia de Investigações Sobre Facções Criminosas (Patrimônio) e do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra), ambos unidades do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). De acordo com a polícia, os sequestradores revidaram com tiros contra as equipes. Um bandido foi preso e outro morto no confronto. Entre os reféns, não houve registro de ferimentos.

Em nota, o Deic informou que o objetivo da quadrilha era obter um resgate de R$ 500 mil. O sequestro ocorreu no Parque Continental II, bairro também de Guarulhos. A polícia informou que já investigava anteriormente os criminosos e, assim, obteve “a localização do possível cativeiro”, a cerca de 2 km do local do sequestro.

Operação

Vinte policiais foram destacados para libertar os reféns dos bandidos. O imóvel foi cercado. Foi quando, de acordo com a polícia, dois integrantes do bando “tentaram furar o cerco atirando”. Um feirante de 25 anos foi atingido – ele já tinha passagens policiais por roubo e homicídio. Um outro suspeito, que trabalha como marceneiro e tem 23 anos, acabou detido.

A polícia ainda apreendeu uma pistola .40 e um revólver calibre 32 – que estavam em poder dos sequestradores. Agora as investigações devem prosseguir. Os policiais não descartam haver outros envolvidos no crime.

============================================================


DEU NO PORTAL EUROPEU

O ex-técnico da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla inglesa), Edward Snowden, disse na segunda-feira que considera «missão cumprida» o debate gerado após a revelação de milhares de documentos secretos da espionagem norte-americana.

«Para mim, em termos de satisfação pessoal, a missão foi cumprida. Já ganhei», disse Snowden numa entrevista publicada no diário norte-americano Washington Post e realizada em Moscou, onde se encontra asilado.

Edward Snowden, de 30 anos, afirmou que assim que os jornalistas puderam começar a trabalhar, todo o seu trabalho foi validado.«Porque, recordem, eu não queria mudar a sociedade. Queria dar à sociedade a oportunidade de determinar se deveria mudar-se a si mesma», acrescentou Snowden.

Na entrevista, a primeira dada pessoalmente pelo analista informático desde que chegou à Rússia em junho, Snowden insistiu que o seu objetivo “era que a opinião pública pudesse dar a sua opinião sobre a forma de ser governada”.

As revelações de espionagem maciça, fornecidas pelo ex-técnico da NSA aos jornais Washington Post (EUA) e The Guardian (Grã-Bretanha), provocaram um conflito diplomático, ao tornar público que os serviços secretos norte-americanos espiaram as comunicações na Europa e incluindo as de líderes políticos, como a chanceler alemã Angela Merkel e a Presidente do Brasil, Dilma Rousseff.

O caso causou fortes embaraços a Washington, gerando desconfiança de muitos aliados em relação aos norte-americanos e aumentou o questionamento sobre o equilíbrio entre privacidade individual e a batalha contra o terrorismo na sociedade dos EUA.

dez
24
Posted on 24-12-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 24-12-2013


=============================================================
Sid, hoje, no portal de humor A Charge Online

dez
24

=============================================================

OPINIÃO POLÍTICA

HÔ, HÔ, HÔ!

Ivan de Carvalho

Amanhã, 25 de dezembro, é Natal, escolhido por convenção como o dia em que, mesmo tendo sido gerado em Nazaré da Galiléia, nasceu, em Belém da Judéia, Jeoshua, com nome traduzido para o latim de Iesus, posteriormente chamado mundialmente de Jesus ou Jesus Cristo, o fundador da igreja cristã. Por muitos outros nomes ele é também conhecido – e muito conhecido, sem dúvida a pessoa mais conhecida do mundo e da história, ainda que relativa e espantosamente pouco compreendido – mas esta não pretende ser uma nota religiosa.

Em verdade, a data de 25 de dezembro foi fixada por convenção quando o cristianismo, após pesadas e prolongadas perseguições, não parava de ampliar o número de seus adeptos, o que levou o imperador Constantino a torná-lo a religião oficial do Império Romano. No entanto, não há registro e nem um cálculo preciso a respeito da data em que Jesus nasceu. Os autores dos Evangelhos não se preocuparam (ou preferiram evitar) a data exata, embora citando circunstâncias que certamente balizam um período.

Não existe um Ano Zero da Era Cristã, ela começa com o Ano I. E hoje a grande maioria dos estudiosos do cristianismo e especialmente do nascimento de Jesus está convicta de que o Filho do Homem (denominação que ele mais gostava de aplicar a si mesmo) nasceu pelo menos quatro anos antes do Ano I e no máximo, sete anos antes. Assim, ao ser crucificado, Jesus não teria apenas 33 anos, mas 37 a 40 anos. (40, na Bíblia, é um dos números repetitivos, ligado a sacrifício, expiação, penitência, preparação; mas não estou tentando relacionar isso com a crucificação de Jesus à eventual idade de 40 anos, coisa que é, hoje, mera hipótese, entre outras).

O nascimento de Jesus e o cálculo de que teria nascido no Ano I dividiu o tempo de existência da atual civilização. Em quase todo o Ocidente e partes expressivas do Oriente, o tempo da civilização foi dividido em duas partes. A segunda, a Era Cristã.

A datação convencional do nascimento de Jesus Cristo também estabeleceu outras maneiras de divisão do tempo anterior e posterior a este evento. Antes de Cristo e Depois de Cristo (AC e DC). O tempo depois do nascimento de Cristo também recebe a denominação de Anno Domini (AD).

De algum tempo para cá, muitos (entidades jurídicas e pessoas) vêm substituindo a expressão Era Cristã por Era Comum, por preferirem evitar referências que poderiam ser consideradas religiosas, mas também poderiam ser consideradas apenas tradicionais.

Curioso é que com essa preocupação de importar o laicismo do Estado (onde ele é correto) para instituições privadas e até manifestações pessoais públicas (a manifestação de um apresentador de televisão, por exemplo), passa-se a usar não somente a inexpressiva e vaga expressão “Era Comum” e adota-se como proibição não escrita expressões até não muito tempo tão usadas quando “se Deus quiser”, “fiquem com Deus”, “esteja em paz” ou “Deus o acompanhe”, trocando-as pela anódina e insensível “boa sorte”, que nada acrescenta, nem mesmo sorte.

Bem, voltando mais especificamente ao Natal e passando a outros aspectos a ele relacionados. Nas últimas semanas e muito mais intensamente nos últimos dias as emissoras de televisão (principalmente), mas também outros veículos, divulgaram propaganda ligada ao Natal, quase que exclusivamente com o objetivo de levar o público consumidor a comprar produtos. Presentes para a família toda e tantos amigos quanto possível, além de “árvores de Natal” e produtos para a “ceia de Natal”.

Não vi nestes anúncios, uma vez sequer, referência alguma ao dono da festa. As agências de propaganda poderiam ter sido até menos monótonas, lembrando que ao nascer, Jesus ganhou presentes, ouro, incenso e mirra, levados pelos “reis magos” do Oriente e deixando ao público a especulação de que essa tradição de dar presentes no Natal tem algo a ver com isso, ou se é uma manifestação de alegria com o nascimento do Salvador ou, afinal, mera exploração comercial. Como está, elas fazem parecer que a alternativa acertada é a última, pois Jesus tem sido o personagem ocultado no Natal, substituído por um tal de Papai Noel.

Que saco! Hô, Hô, Hô.

=======================================================

Luther Vandross, em Have yourself a merry little Christmas, brilhante como o Natal

BOM DIA!

(Gilson Nogueira)

===================================================

DEU NO UOL/FOLHA

Envolvido em mais uma polêmica após ter usado um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) para fins particulares, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), defendeu austeridade com gastos públicos nesta segunda-feira (23), durante pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão.

O peemedebista ainda inflou a “agenda positiva” do Congresso em resposta aos protestos de junho destacando a aprovação de matérias aprovadas pelo Senado, mas que ainda não se tornaram leis porque esperam votação na Câmara. Estão nessa situação, por exemplo, a proposta que transforma corrupção em crime hediondo, a ficha limpa para o servidor público e o fim da aposentadoria como “prêmio” para juízes e promotores punidos.

Renan afirmou que “2013 entrará para história como ano da mudança nas instituições” e “amadurecimento da democracia”. Ele disse ainda que as manifestações que sacudiram as ruas pediram mais “eficiência, decência, transparência”, além de serviços públicos de qualidade.

Falando em nome do Congresso, o senador afirmou que estava prestando contas e sustentou que os congressistas deram respostas rápidas para “transformar o Brasil no Brasil que os brasileiros querem”. Ele apontou ainda que “a transparência e controle social corrige erros, elimina vícios e aperfeiçoa distorções”.

O presidente também questões que estão em práticas como o fim do pagamento do 13º e 14º salários para os congressistas, a transformação em lei da aposentadoria especial para pessoas com deficiência, e destacou a otimização de sua gestão no comando do Senado.

De acordo com Renan, mais de 600 cargos de indicações políticas foram bloqueadas, novas nomeações foram proibidas e teria ocorrido uma economia de mais de R$ 260 milhões.

O pronunciamento de Renan foi gravado antes dele embarcar na quarta-feira passada de Brasília para Recife (PE), onde passou por uma cirurgia para implante capilar e ainda uma correção das pálpebras. O deslocamento foi feito com um avião da FAB (Força Aérea Brasileira). Ao solicitar a viagem, ele informou que a motivação era serviço. O decreto presidencial que regulamenta o voo de autoridades não prevê o uso para fins particulares.

Após uma consulta a FAB, Renan informou na noite de hoje que vai ressarcir os cofres públicos pelo gasto com a viagem. As autoridades podem usar voo da FAB por questões de segurança e emergência médica, serviço, e em deslocamentos para o local de residência permanente.

Renan mora em Maceió (AL), mas como a coluna Painel da Folha revelou na edição de sábado, viajou na noite de quarta-feira para Recife, onde submeteu-se a uma cirurgia para implantar 10 mil fios de cabelo. A agenda oficial publicada no site do Senado não registrava compromissos do peemedebista na capital pernambucana.

A consulta de Renan foi direcionada ao comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito. Em nota, o Comando da Aeronáutica informou que “abstraídas questões de mérito relacionadas ao motivo da viagem o qual, embora declarado na solicitação, foge à alçada deste Comando julgar” . O valor do ressarcimento ainda será calculado pela FAB.

Essa foi a segunda vez em que o presidente do Senado foi flagrado usando uma aeronave da FAB para fins particulares. Em julho, Renan foi a Trancoso (BA) para o casamento da filha do senador Eduardo Braga (PMDB-AM).

Inicialmente, o peemedebista mostrou resistência a desembolar o valor gasto com a viagem, mas diante da polêmica e das críticas, o senador resolveu pagar R$ 32 mil aos cofres públicos. Na época, a decisão foi tomada pelo presidente do Senado sem nenhuma consulta ao Comando da Aeronáutica.

  • Arquivos

  • dezembro 2013
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031