Eliana: uma força contra a corrupção
==================================================

“Nos piores momentos que eu passei na corregedoria do CNJ, no momento que eu estava no meio do fogo cruzado com todas as Associações dos Magistrados que contra mim se levantavam eu disse: não se metam comigo que eu sou baiana. E e eu não poderia deixar que isso fossem apenas palavras”.

Assim a ministra Eliana Calmon resumiu a opção de se filiar ao PSB da Bahia, em uma concorrida cerimônia que atraiu a presença de mais de 500 pessoas em uma casa de eventos de Salvador e foi prestigiada pelos presidentes nacional e estadual do partido, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e da primeira senadora da Bahia, Lídice da Mata, além da coordenadora nacional da Rede Sustentabilidade, Marina Silva.

Diante de uma plateia entusiasmada, Eliana explicou que apesar de ter passado os últimos 24 anos de sua vida em Brasília é efetivamente na Bahia que estão suas origens. “É na Bahia que está o meu coração”, decretou.

Primeira mulher a assumir vaga no Superior Tribunal de Justiça, Eliana disse ter recebido inúmeros convites de partidos políticos, mas que estava indecisa entre filiar-se à Rede e ao PSB. “Foi uma explosão no meu coração quando abri o jornal no dia no dia 6 de outubro e vi que a Rede estava no PSB. Não precisei mais escolher, o destino escolheu para mim”, afirmou.

Saudada com o slogan “Justiça, Justiça, Justiça Social, Eliana Calmon no Senado Federal”, Eliana agradeceu o grito de guerra improvisado pela militância e deixou claro qual será a plataforma de sua vida pública. “Chega, não aguentamos mais. A corrupção está corroendo os pilares da sociedade e ameaça as conquistas sociais que o Brasil alcançou. Estou certa de que o povo baiano não me faltará, estaremos juntos para vencer o ovo da serpente, vamos fazer uma campanha sem estar atrelada a esta máquina que é uma verdadeira camisa de força que é a força do dinheiro. Na política, serei a mesma Eliana que combateu a corrupção no Judiciário”, salientou.


Barroso: um jurista pela descriminalização da maconha

=========================================================

DEU NA VEJA

Na última sessão plenária do ano no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Luís Roberto Barroso defendeu nesta quinta-feira o debate sobre a descriminalização da maconha e utilizou como argumento a tese de que o entorpecente não torna os usuários “antissociais”. Para o ministro, o debate sobre o tema deve ocorrer de forma “pragmática”, já que é preciso “reduzir o poder que a criminalização dá ao tráfico e aos seus barões nas comunidades mais pobres do país”. Para Barroso, a realidade aponta que atualmente pequenos traficantes são encarcerados e acabam se tornando “pós-graduados” em criminalidade.

“A minha constatação pior é que esses jovens, geralmente negros e pobres, entram nos presídios por possuírem quantidades não tão significativas de maconha e saem escolados no crime e pessoas muito piores do que eram antes, quando entraram. Por esta razão, que em relação à maconha, penso que o debate público sobre descriminalização é menos discutir acerca de uma opção filosófica e mais a circunstância de se fazer uma escolha pragmática”, afirmou o magistrado.

O plenário julgava dois habeas corpus que questionavam se os réus poderiam ser beneficiados com atenuantes de pena por serem primários, com bons antecedentes, não se dedicarem às atividades criminosas e não integrarem organização criminosa.

Em sua manifestação, Barroso destacou que não discutia o papel dos usuários na cadeia do tráfico de drogas, e sim a necessidade de prender pequenos traficantes ou a “conveniência de uma política pública que manda para as penitenciárias jovens geralmente primários e de bons antecedentes que saem pós-graduados em criminalidade”. “Diante do volume de processos que recebemos, cheguei à constatação, que me preocupa, de que boa parte das pessoas que cumprem pena nos presídios brasileiros por tráfico de drogas são pessoas pobres que foram enquadradas como traficantes por portarem quantidades que caracterizaram tráfico, mas que não eram significantes de maconha”, opinou o ministro.

“O foco do meu argumento não é a questão do usuário, não que considere esse foco desimportante. [A preocupação é] reduzir o poder que a criminalização dá ao tráfico e aos seus barões nas comunidades mais pobres do país e, especialmente, na minha cidade de origem, o Rio de Janeiro. A criminalização fomenta o submundo, dá poder político e econômico a esses barões do tráfico, que oprimem essas comunidades porque eles conseguem oferecer utilidades e remuneração maiores que o Estado e o setor privado em geral”, completou.

No Congresso tramita uma proposta que endurece punições para traficantes de drogas – mas só para grandes traficantes. De autoria do deputado Osmar Terra (PMDB-RS), o projeto de lei aumenta de cinco para oito anos a pena mínima para chefes do narcotráfico e oferece oportunidades de ressocialização para usuários em tratamento, como reserva de vagas de emprego em obras públicas.

dez
19

================================================

00:00 – Carta Ao Tom
02:27 – A Carta Que Nao Foi Mandada
05:13 – Agua de Beber
07:43 – Eu Sei Que Vou Te Amar
10:21 – Pra Que Chorar/Consolação
12:48 – Tarde Em Itapu
16:44 – Rancho das Mamoradas
18:49 – Samba do Carioca
21:28 – Regra Três
24:08 – Onda Anda Você

—————————————
Som na caixa, baianinhas!.

BOA TARDE.

(Vitor Hugo Soares)


Identidade do primeiro morto: quem responde?

===========================================================

DEU NO CORREIO

Da Redação

Morreu na noite desta quarta-feira (18) o segundo soldado da Polícia Militar que passou mal durante um teste físico para o Curso de Operações Policiais Especiais (Copes). Luciano Fiuza de Santana, 29 anos, que era lotado no 12º BPM (Camaçari), estava internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital do Aeroporto. Ele sofreu falência múltipla de órgãos.

Em nota, a PM confirmou a morte “com pesar” e diz que o soldado Fiuza foi encaminhado ao hospital “após apresentar quadro de mal estar durante a realização do Teste de Habilidade Específica (THE), para ingresso no Copes”. O corpo será encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) e informações sobre velório e sepultamento serão divulgadas assim que os familiares do militar definirem.

O PM Manoel dos Reis Freiras Júnior, 34 anos, morreu na noite de ontem, também no Hospital do Aeroporto. Já o tenente Joserrise Mesquita de Barros Nascimento, 30 anos, da Companhia Independente de Policiamento Especializado (CIPE) Cerrado, está internado no Hospital São Rafael. Apesar do estado de saúde dele ser considerado grave, a equipe médica avaliou como estável o seu quadro. O soldado Paulo David Capinam da Silva Pedro, 26 anos, lotado na 81ª CIPM/Itinga, tinha previsão de alta médica para ontem, quarta-feira (18).

Os policiais também estão sendo acompanhados por oficiais médicos do quadro de saúde da PM, através do Serviço de Valorização Policial (SEVAP). Na nota, a PM esclarece que todos os candidatos que participaram do processo seletivo passaram por exames laboratoriais, cardiorrespiratórios e físicos, além de apresentarem laudo médico atestando sua capacidade física para a realização de atividades físicas de alto impacto.

Um inquérito policial militar foi instaurado com o objetivo de investigar as causas do incidente que culminou na morte de um PM e na internação de mais três. Ao todo, 67 policiais participaram do teste, que previa ainda atividades como transposição de muro, subida no cabo vertical, transporte de carga e apneia na água.

Morte choca família

Familiares do PM Manoel ficaram chocados com a notícia da morte. “Ele não tinha nenhum problema de saúde: não bebia, não fumava e era mais saudável que eu e você juntos”, disse o irmão do PM, Toni Moreno. “Ele [Manoel] tinha se preparado para participar desse curso, e tinha feito todos os exames físicos e de sangue, e não tinha apresentado nenhum problema. Inclusive foi aprovado em outras etapas do processo antes da corrida”. relata.

“O mais estranho de tudo é que ele e os outros três PMs tiveram os mesmos sintomas”, diz Toni, que acompanha o translado do corpo do soldado da capital para o interior. Lotado na 4ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Macaúbas) há dois anos, Manoel passou mal após participar, com outros 66 policiais, de uma corrida de 10 km – primeira etapa de treinamento para o Curso de Operações Policiais Especiais (Copes), no Batalhão de Polícia de Choque, em Lauro de Freitas, que capacita PMs para operações de alto risco.

dez
19
Posted on 19-12-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 19-12-2013


=============================================
Amarildo, hoje, no jornal A Gazeta(ES)


Eliana:conquista socialista de impacto nacional

=========================================================

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) realiza nesta quinta-feira (19) em Salvador (BA) a cerimônia de filiação da ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Eliana Calmon. A magistrada baiana, que pediu aposentadoria em 25 de novembro, um ano antes da compulsória dos 70 anos para o serviço público, será a candidata da sigla ao Senado em 2014, na chapa para o governo da Bahia encabeçada pela senadora Lídice da Mata (PSB-BA).

O presidente Nacional do PSB, governador de Pernambuco, Eduardo Campos, a coordenadora nacional da REDE Sustentabilidade, ex-ministra Marina Silva, que se filiou ao PSB em 05 de outubro, e o líder da bancada socialista na Câmara, deputado Beto Albuquerque (RS), participam do evento, assim como Lídice da Mata, que é a presidente Estadual do partido socialista.

Antes da cerimônia de filiação, haverá uma entrevista coletiva à imprensa para anunciar oficialmente a entrada de Eliana Calmon no PSB.

“Vai ser um marco na nossa política”, avalia a atual senadora do PSB. “Estamos montando uma via de composição não tradicional, que independe de grandes partidos, e Eliana agrega esse valor, de não fazer parte da política tradicional”.

Segundo Beto, a magistrada é “uma mulher que tem uma trajetória fantástica como jurista e como alguém que sempre esteve comprometida com o Direito, dedicada ao serviço público com muita notoriedade. Certamente tem muito a acrescentar ao PSB”.

Eliana foi a primeira mulher do país a ocupar o posto de ministra numa Corte Superior de Justiça. Ela assumiu o cargo no STJ em 30 de junho de 1999, na vaga destinada ao terço da magistratura. Era juíza federal de carreira, aprovada por concurso público em 1979. Antes disso, em 1974, tinha sido procuradora da República pelo estado de Pernambuco e em 1976 foi para a Subprocuradoria Geral da República, o Ministério Público Federal. Como juíza, atuou também no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) da Bahia, de 1983 a 1984, e no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, a partir de 1989.

Corregedora

Mas foi no cargo mais recente de sua carreira, o de corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que ela ficou conhecida nacionalmente. O CNJ atua desde 2005 com a missão de aperfeiçoar o trabalho do sistema judiciário brasileiro, principalmente no que diz respeito ao controle e à transparência administrativa e processual. Corregedora da instituição entre setembro de 2010 e setembro de 2012, a ministra teve uma atuação marcada por denúncias contundentes, especialmente quando afirmou haver “bandidos de toga” na magistratura. Segundo ela, haveria uma infiltração de criminosos no Judiciário, que se escondiam atrás de suas posições.

Eliana, então, iniciou diversas investigações sobre a evolução patrimonial de juízes e para esclarecer acusações de improbidade. Enfrentou a interferência do Supremo Tribunal Federal (STF), que concedeu várias liminares interrompendo medidas corretivas determinadas por ela e que estavam em andamento. O então presidente do STF e do CNJ, ministro Cezar Peluso, chegou a criticá-la publicamente numa moção de repúdio às declarações de Eliana Calmon à imprensa. Ao mesmo tempo, porém, diversos grupos de magistrados, entidades políticas e setores da sociedade civil apoiaram a magistrada, entre eles a Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados e o Tribunal de Justiça da Bahia.

Outra polêmica protagonizada pela ministra baiana quando corregedora do CNJ foi a investigação de indícios de irregularidades no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP). Maior tribunal do país, o TJSP sempre foi avesso às interferências externas. E as ações de Eliana Calmon como corregedora geraram protestos de seus magistrados. Entre as investigações promovidas por ela na corte paulista estão a comparação entre as declarações de renda dos magistrados e servidores com as folhas de pagamento e o processo de liberação de pagamentos de precatórios.

Eliana Calmon, entretanto, sempre fez questão de destacar que apesar de haver maus juízes, “a imensa maioria dos 16 mil juízes do país é honesta, os bandidos são uma minoria”. Ela cita como sua principal realização na corregedoria a manutenção das prerrogativas do CNJ que permitem a luta por mais transparência no Judiciário.

Após a saída do cargo, Eliana Calmon dedicou-se, de setembro de 2012 até novembro último, ao cargo de diretora-geral da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados Ministro Sálvio de Figueiredo (ENFAM).

Receitas

Mas não é só no mundo do Direito e do serviço público que ela atua. Eliana também é conhecida por ser apaixonada por gastronomia e tida como grande cozinheira. Escreveu até um livro sobre o tema – o “Resp – Receitas Especiais”, numa referência à sigla jurídica para Recurso Especial – que já teve nove edições. Todo o dinheiro arrecadado com a venda dos livros é revertido para obras sociais.

De acordo com a senadora e presidente estadual do PSB da Bahia, Lídice da Mata, é esse longo histórico de correção e defesa da honestidade que permite tranquilidade à nova socialista em sua estreia na política. “Mesmo nunca tendo participado e estando ciente do tamanho do desafio, isso envolve o debate público que ela já faz há muito tempo, embora não partidariamente”, ressaltou.

====================================================

BOM DIA! GRANDE QUINTA-FEIRA PARA A BAHIA E PARA O PAÍS!

SOM NA CAIXA, MAESTRO, QUE A FESTA PROMETE!

(Vitor Hugo Soares)


Whashington Cinel:cidadão baiano na ALBA

==============================================

Washington Umberto Cinel, presidente da Gocil Segurança e Serviços, será agraciado no próximo dia 19 com o Título de Cidadão Baiano, concedido pela Assembleia Legislativa do Estado. A honraria é uma homenagem à trajetória empreendedora do empresário, e acontece no momento em que a Gocil consolida e expande sua operação na Bahia e Nordeste.

A proposta do título partiu do Deputado Yulo Oiticica, e coincide com o momento em que a empresa registra crescimento de 500% na Bahia, onde iniciou sua atuação em meados do ano passado. Cabe ressaltar que a Gocil tem mais de 18 mil empregados, dos quais cerca de 5 mil são nordestinos e 2,4 mil baianos.

“O Nordeste é a região que mais cresce no País, e também um celeiro de talentos. A homenagem que recebo, e que dedico a esses profissionais, vai ao encontro da estratégia da Gocil de fortalecer sua operação não só na Bahia, mas em outros estados da região”, exalta o Presidente da Gocil.

Trajetória

Bacharel em Ciências Sociais e Oficial Militar formado pela Academia do Barro Branco, em São Paulo, Washington Umberto Cinel desligou-se da Polícia Militar do Estado de São Paulo para criar a Gocil Segurança e Serviços em 1985. Foi o conhecimento na área e a percepção da necessidade da iniciativa privada por serviços qualificados na área que o levaram a empreender.

Fundada em Bauru, interior paulista, e rapidamente levada para a Capital, a Gocil tornou-se uma das mais importantes empresas do Brasil no segmento, sendo a maior da região Sudeste.

Hoje, tem mais de 18 mil empregados, atua em sete estados (além de São Paulo e Bahia, está no Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, atendendo mais de 400 clientes distribuídos em 3 mil endereços. Projetos de expansão indicam a entrada da empresa em mais dois estados em curto prazo.

Atende os segmentos de varejo, logística, saúde, condomínios empresariais, indústrias e educação, entre outros.

dez
19


========================================================

DEU NO G1 – BLOG DO CAMAROTTI

O ex-presidente Lula decidiu priorizar Pernambuco na eleição do próximo ano. Quer derrotar o governador Eduardo Campos em seu estado. Na conversa que teve recentemente com o também ex-presidente Fernando Henrique Cardoso – durante viagem à África do Sul para o funeral de Nelson Mandela – Lula foi direto: “No próximo ano, vou morar em Pernambuco. E só vou sair depois que ganhar a eleição”.

Para interlocutores petistas, Lula explicou a sua estratégia. “Se eu for para o enfrentamento pesado em Pernambuco, vou obrigar Eduardo a perder mais tempo do que ele pensava para fazer campanha no estado”, disse Lula, segundo relatos. O ex-presidente disse que sua ideia é dar trabalho para Campos no estado e, com isso, não deixar o socialista solto para fazer campanha pelo Brasil.

Lula tem dito ainda que a candidatura presidencial de Eduardo Campos é uma incógnita. “Pode não dar muita coisa. Mas também pode ser o principal adversário de Dilma”, ressaltou. Por isso, a ordem no PT é sufocar a candidatura de Campos.

  • Arquivos

  • dezembro 2013
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031