Dique, sem oxigênio na água, à espera
do desastre ecológico anunciado
=======================================================

DEU NO BLOG O INIMIGO DO REI

JORNAL COMENTADO

TONY PACHECO

Só mesmo Gabriel García Márquez para contar a falta de tesão administrativa de nossas autoridades… O parque do Dique do Tororó, como a maioria sabe, não é administrado pela Prefeitura do Salvador. Desde os tempos do falecido ACM que a administração do Dique, do Parque do Abaeté, do Jardim dos Namorados, entre outros logradouros da capital, fica a cargo do Governo do Estado. Isto, na época de ACM, O Velho, era uma beleza para nós, moradores de Salvador, pois escapávamos da incompetência e da displicência dos prefeitos de plantão. O Velho era extremamente carinhoso com Salvador e cuidava bem da cidade. Contudo, agora, o privilégio acabou. Tudo que é administrado pelo Governo do Estado, através da Conder, está ao abandono.

O caso do Dique do Tororó é emblemático. Na lagoa existem quatro esguichadores de água que têm função estética muito bonita: um em frente à Praça dos Restaurantes; outro na Praça dos Orixás; outro em frente à Sucop e, finalmente, um último em frente ao Posto S. Jorge, na Vasco da Gama. O que a maioria não sabe é que aqueles esguichadores não têm apenas a função de embelezar o Dique do Tororó. Eles são OXIGENADORES da água da lagoa, que tem muitos peixes que servem ao lazer e à cozinha dos moradores do entorno. Sem a função oxigenação, o Dique vai se transformar, aos poucos, numa lagoa de águas podres e, finalmente, os peixes vão morrer e nós teremos um espetáculo dantesco digno da Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro.

Eu nem queria fazer este post. Antes de trazer isso a público, eu, como cidadão que amo esta cidade, procurei os funcionários da Conder no Dique por três vezes nos últimos 60 dias. Mas, que nada. Conversinha pra lá, conversinha pra cá e, de prático, nada. Há dois meses que os esguichadores-oxigenadores estão lá parados e a água vai ficando podre. Aguardem a mortandade de peixes e, aí, é aquele deus-nos-acuda que sempre acontece na Bahia. Quem foi que fez isso? Quem é o culpado? O culpado é um só e a gente sabe quem é…

MAIS DESMAZELO

Também no Dique do Tororó, no Deck de Remo em frente ao Apaches, as tábuas do deck foram ou roubadas ou caíram de podres (só os Orixás sabem…). Só sei que pedimos também atenção àquilo, pois coloca em risco a vida dos frequentadores, mas o máximo que fizeram foi colocar uma cordinha vermelha pra ninguém ter acesso. Agora, vá dizer aos pivetes que não passem pela cordinha… Eu fui pivete e quando via qualquer obstáculo deste, era como um convite à transgressão. Aguardem menino morto afogado no deck do Apaches…
Outra coisa ridícula na administração da Conder do Dique é que não há uma placa indicando que os barcos pedalinhos estão ali para aluguel. Fiz uma enquete de improviso na região e o que deu foi estarrecedor: 100% das pessoas acham que aqueles pedalinhos estão desativados. Só que não. É que a Conder não tem interesse em alugar os barquinhos. Durma-se com uma falta de barulho desse…

TAMBÉM NO ABAETÉ

O Parque do Abaeté também é administrado pelo Governo do Estado da Bahia e tomei um susto com o que vi. No alto do parque, ruínas de um antigo bar panorâmico são assustadoras. O matagal tomou conta de tudo. A vagabundagem divide roubo ali, no meio da pista. O módulo da Polícia Militar foi DESATIVADO, como convém aos vagabundos, que ficam felizes com a ausência do Estado, pois, assim, eles proclamam o seu Território do Tráfico. As calçadas nestas lamentáveis PEDRINHAS PORTUGUESAS estão todas esburacadas e o aspecto geral é medonho. Nem é preciso dizer que aquele burburinho que vivenciei ali há 8 anos não existe mais. A Conder, que teria que administrar a área, está mostrando o seu jeito muito doido de deixar a coisa se acabar. Isto sem falar da Lagoa do Abaeté em si mesma: com as águas secando e o entorno sendo invadido por pobres, remediados e ricos.

E A MÍDIA?

Ah, nossas TVS, rádios, jornais, revistas, blogs e sites só ficam no ar condicionado. Odeiam se misturar com o populacho, a não ser que haja algum interesse político ou financeiro em vista. Não gostam de andar nas ruas para ver os problemas da população e da Cidade do Salvador. Lamentável.

* Tony Pacheco é jornalista-radialista profissional formado pela UFBA e registrado no Ministério do Trabalho sob o número 966 DRT-BA.

Be Sociable, Share!

Comentários

vangelis on 25 novembro, 2013 at 22:32 #

De cima e de longe tudo é normal…


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2013
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930